Operação dos VLTs na Paraíba deve começar em fevereiro, diz CBTU

domingo, 18 de janeiro de 2015

O Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) deve começar a ser incorporado no sistema de trens urbanos da Região Metropolitana de João Pessoa a partir da segunda quinzena de feveiro, segundo informou a coordenação de manutenção da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) na capital. As duas composições de VLT que já chegaram à Paraíba estão operando em fase de testes desde dezembro de 2014.

De acordo com o coordenador de manutenção da CBTU em João Pessoa, Sérgio Marcelino, o órgão aguarda o encerramento dos testes para que o VLT possa entrar em operação comercial. “Os testes seguem uma programação própria da fábrica que constrói os veículos. São feitos testes de frenagem, tração e também a adaptação da via ferroviária para evitar pontos de choque que podem danificar os carros”, disse.

Ainda segundo Marcelino, o processo de substituição das locomotivas atuais pelos VLTs deve acontecer gradualmente. “No começo os dois veículos (trens e VLTs) funcionarão ao mesmo tempo, mas conforme outros VLTs sejam entregues, as locomotivas devem parar de funcionar comercialmente e serão destinadas apenas para manobras de manutenção da CBTU”, informou. O terceiro VLT deve chegarà Paraíba em abril deste e outros cinco veículos serão entregues nos próximos dois anos.

O VLT é um tipo de trem mais moderno, rápido e seguro e a entrega e funcionamento dos veículos faz parte do projeto de modernização do sistema de trens urbanos de João Pessoa. Cada composição do VLT tem três carros e capacidade para 600 pessoas. Os veículos irão operar na malha ferroviária atual de 30km ligando as cidades de Santa Rita e Cabedelo, passando por Bayeux e João Pessoa. 
“Ainda faz parte da modernização a instalação de três ou quatro novas estações, além de uma reforma nas atuais e também uma campanha para apresentar os veículos aos usuários e também conscientizar para preservar os carros”, completou Marcelino.

Ao final do processo de modernização, prevista para os próximos quatro anos, a CBTU estima reduzir o tempo de espera entre os trens dos atuais 55 minutos para até 15 minutos, com a construção de estações ilhas que possibilitará mais cruzamentos entre as composições. Também prevê um salto no número de passageiros transportados de 5 mil/dia para até 40 mil usuários diários.

Por Adneison Severiano
Informações: G1 PB

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960