BRT Rio lança campanha nas redes pela conservação dos ônibus articulados

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

O BRT Rio está lançando uma campanha de conscientização para despertar junto aos clientes a necessidade de ajudar na conservação dos veículos que circulam nos corredores Transoeste e Transcarioca. 

Batizada de #BRTEuCuido, a campanha nasceu a partir de uma mobilização espontânea de passageiros dos dois corredores nas redes sociais e consiste na adesivação especial dos ônibus simulando danos como vidros quebrados ou assentos pichados, gerando uma reação imediata junto aos passageiros. 

 Com o constante trabalho de monitoramento ativo realizado pelo BRT Rio nas redes sociais em, que atuamos - como Facebook e twitter -, percebemos nos comentários de usuários conteúdos espontâneos denunciando a depredação dos veículos por parte de uma minoria de passageiros. Avaliamos que era importante aproveitar essa mobilização em favor do próprio sistema, explica Jorge Dias, presidente do Consórcio BRT.

Trazendo o cliente para o centro da comunicação, foi criada a ação #BRTEuCuido, como forma de conscientizar a todos que utilizam o sistema BRT de que o maior prejudicado com a depredação e o vandalismo é o cidadão que fica com uma menor oferta de serviço.

Um adesivo simulando um vidro quebrado foi colado na porta de mais de 60 coletivos. Junto com a imagem, criada para chamar a atenção, o número de dias e usuários impactados.

A melhor forma de engajar as pessoas na campanha foi mostrar o quanto cada reparo em um item destruído impacta na mobilidade de todos, destaca Dias.

Em complemento à ação de adesivagem na frota, foi desenvolvido um aplicativo no Facebook que mostra os cinco itens que mais têm recorrência de manutenção causada pelo vandalismo. Além de agrupar as fotos produzidas pelos próprios internautas, e publicadas com a hashtag da campanha #BRTeuCuido.

Para se ter uma ideia, só com reposição de vidros uma das empresas ligadas ao Consórcio BRT, com frota aproximada de 50 ônibus articulados, gasta cerca de R$ 21 mil mensais ou R$ 252 mil anuais, o que equivale a 31% do preço de um veículo articulado de 18 metros (com capacidade para transportar 140 pessoas). Veja, abaixo, alguns números que mostram como os passageiros podem ser prejudicados com o vandalismo nos ônibus.

Depredação de assentos 

- tempo de reparo: 1 dia

- pessoas impactadas: até 288 pessoas

- reincidência: 1 a cada 3 dias ou 2 vezes por semana

 Quebra dos vidros

- tempo de reparo: 5 dias

- pessoas impactadas: 1.440 pessoas

- reincidência: todos os dias 

 Furto/Depredação de itens essenciais de segurança (câmeras, martelo, etc)

- tempo de reparo: 2 dias 

- pessoas impactadas: 576 pessoas

- reincidência: todos os dias 

 Depredação da borracha das portas

- tempo de reparo: 1 dia 

- pessoas impactadas: 288 pessoas

- reincidência: 1 a cada 3 dias ou 2 vezes por semana

 Depredação dos itens essenciais de conforto (ventilação, ar-condicionado, etc)

- tempo de reparo: 2 dias

- pessoas impactadas: 576 pessoas

- reincidência: 1 a cada 3 dias ou 2 vezes por semana

Informações: BRT RIO

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960