Passageiros ignoram Lei e viram "DJs" em ônibus da Grande Vitória

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Uma Lei estadual proíbe o uso de aparelhos alto falantes dentro dos coletivos e prevê multa de R$ 500. O problema é que essa Lei ainda não foi regulamentada e muitos usuários do transporte público continuam ouvindo músicas sem a utilização de fones de ouvido.

Como no caso registrado por um telespectador da Rede Vitória. No vídeo abaixo é possível perceber que a pessoa não utiliza fones e o som incomoda os demais passageiros.

A diretora Operações da Ceturb, Rosane Giubert, explica que em casos como o do vídeo, a orientação é tentar sempre o diálogo. Motoristas e cobradores podem abordar o passageiro se ele estiver incomodando.

“O ideal é que todos nós exerçamos o papel de fiscalizador e orientador, então a conversa com a pessoa é o primeiro momento, solicitando que se cumpra a Lei. Porém, em casos extremos em que incomode a todos no veículo, é possível que o motorista leve o coletivo até uma Delegacia e registre um boletim de ocorrência”, explicou.  

Nos ônibus do sistema Transcol existem adesivos com avisos de proibição do uso de aparelhos sonoros no modo alto falante, conforme prevê a Lei estadual 9.832/2012. E de acordo com a Ceturb, o resultado tem sido positivo, o número de pessoas que usam aparelhos de som sem a utilização de fones diminuiu, desde que estes adesivos foram fixados com o objetivo de orientar e de conscientizar os usuários.

Quem não quer incomodar os outros passageiros tem bom senso e utiliza os fones, como é o caso da vigilante Sonia Pereira. “Do mesmo jeito que eu não quero e não sou obrigada a ouvir as musicas que os outros estão ouvindo, eles também não são obrigados a ouvir as minhas músicas”.  

Menos barulho é sinônimo de alívio para os usuários do transporte coletivo e para os profissionais que são obrigados a lidar com isso todos os dias.

Informações: Folha Vitória

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960