Tarifa da região metropolitana de Goiânia é a quinta mais cara do País

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Na última quarta-feira, foi encerrada mais uma etapa das medidas de melhorias a qualidade do transporte público na região metropolitana de Goiânia. A tarifa que custava nos bolsos dos goianos R$ 2,70 passou a valer R$ 2,80 desde o dia 3 de maio, alcançando o quinto lugar no ranking das tarifas mais caras do País, de acordo com um levantamento do portal de notícias Terra.

O reajuste de R$ 0,10, conforme a Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC), tem como objetivo trazer benefícios para cerca de 750 mil usuários do transporte público na Grande Goiânia. Embora alguns passageiros afirmarem que não estão satisfeitos com o valor e com a qualidade dos ônibus, desde quarta-feira, 21 linhas das regiões sul, leste e oeste ganharam a mais 155 viagens diárias, além da contratação de mais 24 novos motoristas e o incremento de 14 ônibus, representando um aumento de 3.543 km na quantidade de quilômetros percorridos diariamente e aumentando 23.484 lugares a mais todos os dias.

O aumento das viagens está sendo realizado em etapas, com conclusão no dia 25 de junho. Segundo o cronograma, no dia 11 de junho, 249 novas viagens serão acrescentadas em 34 linhas; no dia 18, serão 314 viagens em 48 linhas e no dia 25, 282 viagens em 47 linhas. Nessas quatro semanas, a frota veicular também terá um acréscimo de 74 veículos.

Entre as medidas de melhorias de médio em longo prazos, vale ressaltar que está previsto para o dia 1° de outubro deste ano, o retorno do programa Ganha Tempo, a reforma e construção dos novos pontos de ônibus, extensão do Eixo Anhanguera nas regiões leste, oeste e noroeste e instalação de aproximadamente seis mil câmeras de vigilâncias nos ônibus com link direto para a Central de Controle Operacional da Secretária de Segurança Pública do Estado de Goiás (SSP) e Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC).

Para o usuário do transporte público, Weverton Sousa, 21 anos, o valor de R$ 2,80 não é caro levando em consideração que ele anda bastante e passa por terminais. "Eu moro no fim do mundo e chego aqui no Centro da cidade só por R$ 2,80, se eu fosse de carro ou outro meio, eu gastaria muito mais", salienta. Entretanto, o jovem aguarda perceber as melhorias nas linhas de ônibus que usa todo dia e acredita que após a volta do Programa Ganha Tempo os terminais ficarão menos sobrecarregados de passageiros.

Por Maria Planalto
Informações: Diário da Manhã

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960