Campanha vai incentivar denúncias de queima de ônibus em São Paulo

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Com o mesmo número de ônibus queimados nestes quatro primeiros meses de 2014 do que em todo o ano de 2013, a entidade que representa as empresas de transporte da cidade de São Paulo lança nesta quinta-feira (24), uma campanha publicitária para tentar fazer com a população denuncie suspeitos de cometer esse tipo de crime. Só entre as linhas municipais, foram 65 veículos atacados neste ano, segundo o balanço da SPTrans (São Paulo Transporte).

Francisco Christovam, presidente do SPUrbanuss (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo) explica o objetivo da ação.

— O mote da campanha é "ônibus queimado não leva ninguém a lugar nenhum", que sintetiza exatamente o que acontece.

Esta é a primeira campanha publicitária da entidade que representa as concessionárias das oito regiões do serviço na capital. Será veiculada na televisão, rádio, na internet e relógios de rua.

Média mensal de ônibus queimados em São Paulo quadruplica após manifestações de junho

Christovam ressalta que os ônibus são alvo de todos os tipos de protesto violento, mas o descontentamento geralmente não é relacionado ao próprio serviço que eles oferecem.

— Em nenhum dos casos de ônibus queimados o ataque está relacionado com o transporte. Há protestos por falta de água, por assassinatos e contra a polícia.

Segundo o presidente da SPUrbanuss, a reposição dos coletivos queimados geralmente é demorada e só afeta quem usa a linha atacada. Além de tentar passar a ideia de que o maior prejudicado pela queima é o próprio usuário do ônibus, a meta da ação é divulgar o telefone 181, serviço da Polícia Civil especializado em coletar denúncias anônimas.

Crimes

Nesta madrugada, um ônibus foi incendiado por criminosos no Parque Santo Antônio, zona sul de São Paulo. O motivo do ataque, que ocorreu por volta da 0h, ainda é desconhecido pela polícia.

Antes dissso, um dos últimos casos registrados na capital paulista foi de um ônibus incendiado por volta das 22h30 de terça-feira (22), na Brasilândia, na zona norte. Segundo a Polícia Militar, um grupo obrigou passageiros, motorista e cobrador a descerem e atearam fogo no veículo. Não houve feridos nem detidos. O caso está sendo investigado pelo 72º DP (Vila Penteado).

No fim da noite de segunda-feira (21), outros dois veículos foram incendiados em Ermelino Matarazzo, na zona leste. A polícia suspeita que os ataques foram em represália à morte de um suspeito, na madrugada anterior, que teria tentado assaltar um policial federal no Itaim Paulista, também na zona leste.

Em Osasco, 34 veículos municipais foram queimados em uma mesma garagem nesta terça. Somados os ônibus intermunicipais, foram 116 ataques a coletivos em toda a região metropolitana neste ano.

1 comentários:

a campanha dá a impressão de que o usuário é o responsável pela queima dos ônibus, o que não é. Infelizmente trata-se de uma situação absurda, e não é absurdo algum imaginarmos que tem política por trás disto tudo, que são partidos políticos pagando por isto, como já vimos nas consequencias das manifestações de rua que resultaram na morte do cinegrafista e onde o autor do arremesso do coquetel molotov confirmou que recebia de um partido 150 reais por dia de participação nos protestos. Não está sendo diferente com os que estão queimando ônibus. E não é diferente com esta campanha que estão iniciando agora que incentiva a pedir o dinheiro de volta se viajar em pé apertado.

www.busontheroad.net

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960