Em BH, Corredores do Move em BH terão 93 radares para coibir infrações

sábado, 16 de novembro de 2013

Os corredores do Move (nome dado ao BRT, sigla em inglês para transporte rápido por ônibus) em Belo Horizonte vão ganhar 93 pontos de fiscalização por radares para vigiar a invasão da faixa exclusiva por automóveis, além de excesso de velocidade e avanço de semáforo cometidos pelos próprios condutores dos coletivos. A medida está em edital de licitação para aquisição dos radares publicado ontem no “Diário Oficial do Município”.

No total, 185 faixas das avenidas Cristiano Machado, Antônio Carlos, Pedro I, Santos Dumont e Paraná serão monitoradas, dificultando que motoristas consigam burlar o sistema e usar o carro particular nos corredores do Move para fugir de engarrafamentos. Isso porque, para possibilitar que as linhas alimentadoras cheguem até a estação, as pistas exclusivas terão entradas junto à pista mista – sem barreira física entre as duas pistas.
Infrações cometidas pelos motoristas dos coletivos também serão combatidas, com 50 pontos com fiscalização de avanço de semáforos e 37 de excesso de velocidade.

Crítica. Não é comum essa fiscalização em outros sistema de BRT, o que pode indicar uma falha da central de controle do sistema. Para o engenheiro civil Berilo Torres, especialista em trânsito, os radares não fazem muito sentido e podem apontar uma falha no controle do sistema.

“A ideia do BRT é justamente ser sincronizado com os sinais de trânsito, para que o veículo não pare muito. Não conheço nenhum lugar que use radares. Em algumas cidades, o próprio condutor do BRT controla os semáforos”, disse Torres.

O número de equipamentos implantados vai depender da licitação, já que o edital prevê que a proposta seja apresentada tendo como base o número de faixas a serem fiscalizadas. Como há radares que conseguem monitorar apenas uma faixa, e outros que fiscalizam até quatro, ficará a cargo da empresa participante da concorrência escolher com quantos equipamentos pretende fazer a fiscalização.

Em 36 pontos haverá vigilância dupla, tanto de invasão da faixa exclusiva, quanto do avanço de velocidade. Outros 85 locais vão contar com estrutura pronta para receber a implantação do equipamento, o que vai possibilitar o rodízio da fiscalização.

Pista Mista. No último mês, a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) publicou edital para instalação de radares em outros 153 pontos das pistas mistas dos corredores onde vai passar o Move e nos locais que receberão faixas exclusivas para ônibus.

Saiba mais sobre o sistema

- Cronograma. A maioria das obras do Move devem ser concluídas em dezembro deste ano. O início da operação do sistema está marcado para 15 de fevereiro de 2014. Em 15 de abril, todo o sistema deve estar em funcionamento.

- Capacidade. A expectativa é que o Move tenha capacidade para transportar até 700 mil pessoas por dia, levando em consideração os dois principais corredores que integram o sistema – Cristiano Machado e Antônio Carlos/Pedro I.

- Faixas exclusivas. A BHTrans prepara a implantação de faixas exclusivas para ônibus em outras avenidas da capital. Entre as vias contempladas, estão as avenidas Raja Gabaglia e Tereza Cristina, e a rua Padre Eustáquio.

Por Bernardo Miranda / Joana Suarez
Informações: O Tempo

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960