Cidades-sede que não tiverem projeto de mobilidade até o fim do ano ficarão fora da Copa

sábado, 9 de julho de 2011

O ministro do Esporte, Orlando Silva, reuniu nesta quinta-feira (7) representantes das cidades-sede da Copa do Mundo para cobrar agilidade nas obras de transporte urbano. Quem não tiver contrato assinado até o fim deste ano poderá ser excluído do mundial.

O ministro fez um “forte alerta” quanto à necessidade de se cumprir o prazo estipulado pela presidente da República Dilma Rousseff. O limite para a contratação das obras de mobilidade urbana é dezembro de 2011. Além disso, um cronograma de execução dos projetos deverá ser apresentado até o fim de 2013.

- As obras de mobilidade urbana que não estiverem com contratos assinados até dezembro desse ano poderão ser excluídas do projeto da Copa do mundo de 2014.

Segundo o ministro, os projetos que não conseguirem cumprir o prazo não serão descartados, mas deixarão de ser prioritários para o governo.

- Os projeto que ultrapassarem esse prazo entrarão em outra programação. Deixarão de ser projetos da Copa e entrarão na rotina de debate com o governo federal.

Esse não é o primeiro puxão de orelha que as cidades-sede levam do ministro Orlando Silva. Em reuniões anteriores, ele vem cobrando mais agilidade na reforma ou construção de estádios.

Nenhum dos estádios das 12 cidades-sede está pronto. Os casos mais preocupantes são de São Paulo, cuja arena ainda está na fase de terraplanagem, e de Natal, que ainda não começou a obra.

- Nós comunicamos detalhadamente nossas preocupações para os responsáveis nos Estados e nos municípios porque o prazo é muito curto.

Em abril, o próprio presidente da Fifa, Joseph Blatter, fez um alerta sobre os problemas nos preparativos para o mundial e chegou a dizer que o Brasil está mais atrasado que a África do Sul, sede do torneio em 2010.

As cidades-sede, porém, acreditam que a Fifa está “exagerando”, segundo relatou o ministro.

- As cidades vão apresentar suas demandas para a Fifa de modo que haja um equilíbrio na relações. Por vezes as cidades acreditam que a Fifa está exagerando em um tema ou em outro então eles querem compactuar com a Fifa o relacionamento da preparação do mundial.

Na reunião, os representantes comemoraram a aprovação pelo Congresso Nacional do RDC (Regime Diferenciado de Contratações), modalidade de contratação que vai acelerar o processo de licitação de obras e serviços destinados ao mundial.

- Eles ficaram satisfeitos com o RDC, que pode criar uma oportunidade de simplificar ritos, acelerar as contratações e se comprometeram a cumprir esses prazos.

Fonte: R7.com

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960