Riocard poderá ser usado para alugar bicicleta

sexta-feira, 9 de julho de 2010


O Rio quer andar na garupa da moda das bicicletas, que já pegou em diversas cidades, sobretudo europeias. Daqui a 60 dias, quem tiver tiver um Riocard, o cartão de vale transporte eletrônico do estado, poderá alugar as bikes disponíveis nas 19 estações do projeto Solução Alternativa para Mobilidade por Bicicletas de Aluguel (Samba). Até o ano que vem, a prefeitura quer aumentar para 50 estações, levando o serviço para Botafogo, Flamengo e Tijuca. Além disso, a primeira hora já não está sendo cobrada. Quem devolver a bicicleta e esperar 15 minutos, terá mais uma hora para pedalar gratuitamente, podendo repetir a operação inúmeras vezes.
A meta da Secretaria municipal de Meio Ambiente é difundir o uso das bicicletas no cotidiano dos cariocas. Um dos exemplos é Sevilha, onde o número de viagens de pessoas que pedalam para ir ao trabalho pulou, em apenas quatro anos, de quatro mil para 60 mil por mês, segundo o subsecretário municipal de Meio Ambiente, Altamirando Moraes. Para tanto, além de facilitar o acesso à bicicleta de aluguel, a prefeitura pretende dobrar até 2012 a sua rede de ciclovias, de 150 para 300 quilômetros. Também será alterado o traçado das já existentes, tornando-as as mais funcionais e integradas a pontos de ônibus e estações de trem e metrô. Ciclovias e ciclofaixas serão conectadas.
Assim, a cidade se credencia para tentar receber, em 2013, o evento mundial que reúne projetos e inovações relacionadas à bicicleta, o Velo-city, realizado semana passada em Copenhague, na Dinamarca. Altamirando voltou de lá com ideias na bagagem:

- A mobilidade por bicicleta é, individualmente, benéfica para saúde e, em muitos casos, mais ágil do que os carros. E benéfica coletivamente, uma vez que não emite poluentes e contribui para combater o aquecimento global. Quero que a bicicleta seja encarada como meio de transporte, como são o ônibus, o metrô e as barcas. Nisso, o uso do Riocard será fundamental, além de facilitar o sistema atual, que depende de um telefonema para destravar a bicicleta.
O gerente da filial Rio da empresa que opera o Samba, Leandro Araújo, comemora as novidades. Ele planeja um aumento da utilização do sistema, hoje com 520 usuários fixos mensais e já registrando crescimento. Além disso, novos equipamentos de segurança, como a instalação de câmeras, vêm impedindo furtos desde 21 de maio.
- Tivemos 1.288 viagens em abril e batemos o recorde em maio, com 2.897. Em junho, por causa do frio, houve uma queda natural, para 2.274 viagens. Mas esperamos o crescimento do uso com o Riocard. O (projeto) piloto já foi testado no Jardim de Alah. Hoje é necessário usar o telefone, mas as pessoas podem pagar com cartão de crédito. O plano diário custa R$ 10 e o mensal, R$ 20, mas, neste caso, também é necessário fazer um cadastro no nosso site (www.mobilicidade.com.br) - explicou Leandro.
Além de equipamentos, o subsecretário também promete investimentos em educação para aumentar o uso de bicicletas. Ele está propondo um acordo com hotéis da cidade. Os que cuidarem de estações públicas de bicicleta ganharão cartões para distribuir aos seus hóspedes. Além disso, as escolas municipais terão aulas para incentivar alunos a usarem bicicletas. E, nas ruas, equipes da secretaria vão fazer campanhas educativas para que a convivência entre ciclistas, motoristas e pedestres seja mais harmônica.

Provavelmente faremos um projeto piloto numa escola municipal da Zona Oeste. Na região, vamos fazer ciclovias unindo Bangu, Campo Grande e Santa Cruz. O próximo passo será fazer ciclovias em Jacarepaguá, Barra e na Zona Norte - prometeu Altamirando.

Fonte: O Globo

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960