Tarifa do metrô de Salvador deve ser de R$ 3

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

A Estação Pirajá, a última da Linha 1 do metrô de Salvador está pronta. Passa por testes de trafegabilidade e aguarda apenas uma decisão do governador Rui Costa para que possa ser inaugurada e integrar todo o sistema do metrô em operação, no trecho que começa pela Lapa e termina 12,5 quilômetros adiante, na BR-324, no bairro de Campinas de Pirajá.

Informações ainda não oficializadas pelo Governo do Estado definiram que a tarifa do sistema será a mesma cobrada pelos ônibus urbanos, de R$ 3. A decisão  teria sido acordada com representantes do Consórcio Integra (antigo Setps) formado por três grupos de empresas que operam o sistema de transportes coletivo em Salvador, Prefeitura, Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado (Sedur) e a própria empresa concessionária do metrô, a CCR.

Em nota no início da tarde, a Secretaria de Comunicação do Governo do Estado esclareceu que o valor da tarifa do metrô e o esquema de integração entre os diversos meios de transporte da capital baiana serão amplamente divulgados imediatamente após a definição dos últimos detalhes do início da operação comercial do sistema metroviário Salvador / Lauro de Freitas.

A Secom também não definiu a data da inauguração do terminal do Metrô em Pirajá, última etapa da Linha 1, e que está prevista para acontecer ainda este mês.

Tanto o secretário Fábio Mota, da Secretaria Municipal de Mobilidade  de Salvador(Semob), quanto o representante do Consórcio Integra, Jorge Castro, não quiseram se pronunciar a respeito, alegando que a condução de todo o processo é do Governo do Estado. Já a CCR informou, através de sua Assessoria de Comunicação que está pronta para operar por completo a Linha 1, e que não cabe a ela emitir qualquer nota antecipada sobre valor de tarifa e detalhes do sistema de integração com os ônibus.

Segundo informou a Assessoria de Comunicação do Metrô de Salvador, a estação final da Linha 1, no terminal Pirajá, está pronta e passa por testes, com os trens indo até ela mas sem transportar passageiros. Já a estação de transbordo de ônibus ainda está em obras e mesmo que não fique  pronta este mês, quando deverá ser inaugurada a do metrô, não será obstáculo para o funcionamento do metrô, uma vez que os acessos dos passageiros entre os dois terminais (passarelas) encontram-se prontos.

A CCR esclarece ainda que não pode definir como será feito o sistema de integração com o transporte urbano por ônibus e o metropolitano, no que se refere a quantidade de linhas, uma vez que isso cabe ao Governo do Estado. Contudo, esclarece que após a inauguração da Estação final da Linha 1, esta deverá passar por um período de operação assistida, para que haja tempo suficiente para possíveis ajustes e adaptação dos usuários à nova modalidade de transportes.

O Metrô de Salvador  é formado por duas linhas, com total de 41quilômetros de extensão e 23 estações. Na Linha 1, dos 17 quilômetros projetados, já foram construídos 12  estão prontos, entre a Estação da lapa e estação Pirajá. Nove está sendo operado com passageiros, até a Estação Bom Juá, na BR-324. Outros cinco quilômetros estão previstos na continuidade da linha que vai da Estação Pirajá até a entrada do Bairro de Águas Claras, também na BR-324, e cujo projeto  está sendo elaborado.

A Linha 2, que se inicia no Acesso Norte,  quando concluída, terá 23 quilômetros de extensão e 13 estações. O término da obra está previsto para o segundo semestre de 2017. Essa linha deverá ser operacionalizada em 2017 até a Estação Aeroporto, e à exemplo da  Linha 1, terá uma extensão que irá até Lauro de Freitas.

Vereadores cobram definição
Na última quinta-feira desta semana a Comissão de Transportes da Câmara dos vereadores realizou uma audiência pública justamente para debater a questão da cobrança de tarifa do sistema de metrô e como será feito o processo de integração por ônibus urbano e metropolitano.

Os vereadores questionaram a exclusão da Câmara das discussões que vêm sendo realizadas entre a Prefeitura, CCR (concessionária que opera o metrô), empresas de ônibus e o Governo do Estado, no processo de debate para a se definir o valor da tarifa.  O presidente do colegiado, Euvaldo Jorge (PP), o vice-presidente, Pedrinho Pepê (PMDB), além de Arnando Lessa bradaram por causa da falta de informações mais detalhadas sobre a tarifa.

Reunião
O vice-presidente da Comissão, vereador Pedrinho Pepe, explicou que tem sido cobrado sobre o papel da comissão nas discussões sobre o metrô. 

“A população quer se planejar, saber quanto e quando vai pagar pela tarifa e não temos uma resposta sequer, porque não somos chamados para discutir e porque as informações não nos são repassadas”, desabafou. 

“E mais constrangedor é saber que a Comissão de Transporte da Câmara tem plena legitimidade para participar das discussões”, completou.

Na próxima segunda-feira os vereadores que integram a comissão de Transporte da Câmara vão definir a ida da comissão à Secretaria de Desenvolvimento Urbano do estado (Sedur), que é o quem responde pela administração do metrô. “Vamos cobrar uma definição para que possamos dar uma satisfação à população”, disse Pepe.

Por Adilson Fonsêca

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960