Justiça determina fim da greve de rodoviários na Grande Vitória

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

A Justiça do Espírito Santo determinou o fim da greve dos rodoviários, ao final do julgamento do processo, nesta quarta-feira (11). Desta forma, caso 100% dos coletivos não voltem para as ruas a partir desta quinta-feira (12), o Sindicato dos Rodoviários do Espírito Santo será multado em R$ 30 mil por dia. O presidente do Sindirodoviários, Roberto Louzada, o Maguila, informou que a categoria não está satisfeita com a decisão, mas vai acatá-la. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES) definiu a greve como "parcialmente abusiva".

A greve dos rodoviários começou no início da manhã desta segunda-feira (9), quando 100% da categoria cruzou os braços na Grande Vitória, reivindicando mudança no plano de saúde. Os terminais da Grande Vitória amanheceram vazios e o pontos de ônibus ficaram cheios de passageiros que esperavam por algum coletivo. Por conta da paralisação total nesse dia, a Justiça disse que multou o sindicato em R$ 30 mil, pois a decisão de manter 70% da frota nos horários de pico e 40% nos demais foi descumprida neste primeiro dia. Nesta terça-feira (10) e quarta (11), a determinação foi cumprida.

O julgamento desta quarta também deu autorização para que as empresas cortem o ponto dos trabalhadores referentes ao primeiro dia da greve, quando nenhum deles trabalhou. Os rodoviários também não conseguiram fazer com que a empresa mudasse o plano de saúde oferecido. A assessoria do TRT-ES informou que os juízes consideram o momento indevido para esse pedido, e informou que a empresa que oferece o seguro foi escolhida pelos próprios rodoviários em novembro de 2014.

O presidente do Sindicato do Rodoviários, Roberto Louzada, disse que está inconformado com a decisão. "Não era o que eu esperava, muito longe do que eu esperava, a gente pensava que a Justiça poderia reconhecer a vida do trabalhador, mas não reconhece", falou.

Prejuízos
Os comércios da Grande Vitória, no Espírito Santo, deixaram de faturar de R$ 2 a 2,5 milhões com a paralisação de rodoviários, conforme estimativa divulgada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Espírito Santo (Fecomércio-ES). Segundo os empresários, a falta de funcionários foi um dos principais fatores que gerou danos para o comércio.

Informações: G1 ES

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960