Em Curitiba, Ação educativa busca coibir a prática ilegal dos "fura-catracas"

terça-feira, 11 de junho de 2019

Com apoio da Prefeitura e da Urbanização de Curitiba S.A. (Urbs), as Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana lançaram nesta terça-feira (4/6), em estações-tubo da região da Praça Eufrásio Correia, uma ação de conscientização para coibir a prática de embarcar em ônibus do transporte coletivo sem pagar a passagem.

A ação contou com profissionais contratados pelas empresas de ônibus, que estavam devidamente identificados e tinham o apoio de veículos também caracterizados, para orientar sobre a maneira correta de utilizar o transporte coletivo. Todos que entravam ou saiam das estações-tubo recebiam um panfleto que informava sobre a ação e lembrava que embarcar nos ônibus sem pagar a passagem é crime.

A prática ilegal está prevista no artigo 176 do Código Penal. Já a lei municipal 14.856 de 2016 fixa multa no valor de 50 passagens para quem burla as catracas de ônibus, estações-tubo e terminais. O valor da multa dobra em caso de reincidência.   

Outros locais

Também chamada de “Fura-Catraca”, a operação seguirá por um ano em outros pontos considerados críticos na cidade e, mesmo se flagrar invasores ou ato de violência contra cobradores e motoristas, a situação será repassada aos órgãos de segurança pública, como a Guarda Municipal e a Polícia Militar.

De acordo com o diretor executivo das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana, Luiz Alberto Lenz César, o foco da operação é conscientizar a população de que pular a catraca traz um prejuízo enorme para a cidade. “O crime acaba retardando investimentos na melhoria do sistema e deixando a tarifa mais cara para todos, o que não é justo”, disse.

Lenz César apontou ainda que o custo da iniciativa será bancado exclusivamente pelas empresas e não terá nenhum impacto na tarifa técnica nem na tarifa para o passageiro. “Apoiem a iniciativa. É mais justo para todos. É mais segurança para o transporte coletivo”, afirmou.

Investimentos

Por meio da Urbs, a Prefeitura recuperou e colocou em pleno funcionamento as câmeras de estações-tubo e terminais de ônibus. A renovação da frota, que não acontecia desde 2013 e foi retomada em 2017, já conta com 262 novos ônibus e deve chegar em 450 até o fim de 2020. Todos os novos veículos são equipados com câmeras de segurança internas.

Em paralelo, a Guarda Municipal de Curitiba faz contínuo trabalho de investigação e vigilância nos locais mais críticos para o transporte coletivo sob o ponto de vista da segurança. O trabalho busca barrar a ação de assaltantes e de pessoas que furam as catracas.

As ações da Guarda Municipal e o apoio constante da Polícia Militar do Paraná fizeram o número de roubos no transporte coletivo de Curitiba cair nos últimos dois anos. Em 2017 foram registrados 1.678 roubos e em 2018 o número diminuiu para 1.113 - uma queda de 33%.

Nos primeiros dois meses de 2019, a queda foi maior ainda: 53% em relação ao mesmo período de 2018. Os dados correspondem ao número de boletins de ocorrência registrados pelos cobradores e motoristas e acompanhados pela Urbs.

Informações: URBS

Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960