QR Code deve operar em dois meses nos ônibus de Campinas

terça-feira, 4 de julho de 2017

Os leitores QR Code devem entrar em operação nos ônibus de Campinas em setembro. A previsão é da Transurc, que representa as permissionárias do transporte público. Os equipamentos já estão instalados em metade da frota. Ao todo, 600 veículos coletivos receberam o dispositivo de um total de 1.250. Segundo o diretor de Comunicação e Marketing da associação, Paulo Barddal, o sistema já passou por testes nas linhas dos distritos de Sousas e Joaquim Egídio.

Considerando os experimentos bem–sucedidos, ele prevê que todos os aparelhos para pagamento de tarifa sejam instalados nos próximos dois meses. As próximas concessionárias a receberem são a Campibus, a Onicamp e a VB. O QR Code, sigla em inglês para Código de Resposta Rápida, é um sistema de barras bidimensional que poderá ser usado pelos moradores de Campinas através de tíquetes de papel ou por meio de um aplicativo para smartphones.

No caso dos comprovantes individuais, a comercialização será feita na rede credenciada. O custo por passageiro vai ser o mesmo para o pagamento atual em espécie, de R$ 4,50, R$ 0,30 mais caro do que no Bilhete Único Comum. A medida é mais uma tentativa de eliminar o dinheiro dos ônibus. Além de diminuir o número de roubos no transporte público, a ideia é também evitar a dupla função dos motoristas, que atualmente recebem o dinheiro nos coletivos.

Em maio deste ano, um pedido de liminar do Ministério Público do Trabalho que pedia o fim da função de cobrador para os motoristas foi aceito pela Justiça. Por esse motivo, a alternativa do QR Code também é bem vista pelo sindicato. O vice-presidente da entidade que representa os rodoviários em Campinas e Região, Izael Soares de Almeida, diz que a pressão e o estresse diários devem diminuir e contribuir para a melhora do serviço em todo o município. O investimento inicial no projeto é de R$ 1,5 mil em cada equipamento.

Informações: CBN Campinas

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960