Greve de ônibus em Curitiba chega ao fim após oito dias

quarta-feira, 22 de março de 2017

Os motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba e Região Metropolitana decidiram, nesta quarta-feira (22), aceitar uma nova proposta dos empresários e encerrar a greve da categoria, que começou há oito dias. A nova proposta dos empresários foi encaminhada depois que a Urbs e a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), que gerenciam o transporte coletivo, decidirem aumentar o repasse de dinheiro às viações.

A mudança de postura da Urbs, da Comec e dos empresários aconteceu durante uma reunião entre eles e o sindicato que representa os trabalhadores. Com o novo aporte, as empresas decidiram ceder à reivindicação e oferecer reajuste de 6% nos salários, retroativo a fevereiro, um abono de R$ 400,00 e outros 15% de reajuste no vale-alimentação, que passou de R$ 500,00 para R$ 575,00 por mês.

Essa mesma proposta do sindicato dos trabalhadores foi rejeitada na audiência de conciliação que ocorreu na terça-feira (21), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Na ocasião, o impasse se manteve apenas em torno do vale-refeição, pois a categoria aceitou o reajuste salarial de 6%.

Sem acordo no TRT, o caso foi encaminhado para ser julgado pela Corte, o que não havia prazo para ocorrer. No entanto, o novo acordo deve por fim ao processo, pois só precisa ser homologado pelo Tribunal para que entre em vigor, sem a necessidade de julgamento.

Origem do dinheiro
De acordo com o sindicato das empresas de ônibus, o dinheiro que elas vão receber a mais virá do Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC), que é onde fica depositado o valor das passagens pagas pelos usuários. Esse fundo é gerenciado pelo poder público.

Segundo os empresários, a Urbs havia dito inicialmente que poderia repassar um aumento de, no máximo, 6% desse fundo para pagar reajustar o vale-refeição dos motoristas e cobradores. No entanto, durante a reunião desta quinta-feira, a Urbs cedeu e prometeu aumentar em 15% o repasse desse valor, para cobrir a diferença que as empresas vão pagar aos trabalhadores.

Informações: G1 Paraná

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960