Expansão do metrô do Recife custará R$ 300 mi

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

O primeiro passo para a ampliação da malha viária do metrô do Recife foi dado ontem pelo ministro das Cidades, Bruno Araújo. Ele autorizou a elaboração do projeto executivo, no valor de R$ 1 milhão, para a conclusão da duplicação da linha de VLT da estação de Cajueiro Seco à estação de Cabo de Santo Agostinho e a criação do Ramal de VLT a diesel para o Porto de Suape, em Ipojuca. As obras estão avaliadas em até R$ 300 milhões e têm prazo de conclusão de dois anos. A expectativa é que até o início de 2017 o projeto executivo esteja concluído.

Desde 2010, os técnicos da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) já apontavam a necessidade de realização dessas obras, que estavam previstas no PAC Mobilidade. Parte dos recursos no valor de R$ 62 milhões foi relocada. “Tivemos que atender de forma emergencial a Linha Centro, que estava sofrendo um grave processo de degradação e transporta um número maior de pessoas”, afirmou o superintendente da CBTU/Metrorec, Leonardo Villar.

O desafio maior, segundo o ministro das Cidades, é obter os recursos para as obras. “Nós vamos buscar parcerias com o governo do estado e Suape para viabilizar a obra o mais rápido possível. São recursos factíveis de serem captados”, garantiu Bruno Araújo.

O projeto executivo, já autorizado, pode ter o prazo encurtado. De acordo com Leonardo Villar existe a possibilidade de se aproveitar um projeto elaborado para o mesmo trecho pelo governo do estado há menos de três anos. “Recebi hoje (ontem) o projeto feito pela empresa ATP e nós iremos avaliar se ele poderá ser aproveitado ou se precisa de alguns ajustes, mas tenho esperança de aproveitá-lo para encurtamos esse prazo”, afirmou Leonardo Villar.

Um trecho de 10km da duplicação entre Cajueiro Seco e o Cabo já foi concluído. Os oito quilômetros restantes irão precisar de duas pontes por causa dos rios Jaboatão e Pirangi. Já o ramal de Suape, que sairá do trecho duplicado nas imediações da Cidade Garapu em direção a Suape, com 11km de extensão, terá duas estações integradas: uma na PE-28 e outra na Estação Massangana, dentro de Suape. “As estações integradas do ramal do VLT na PE-28 irão permitir também acesso às praias do Litoral Sul”, explicou Maurício Meirelles, coordenador operacional de planejamento da CBTU/Metrorec. 

Revisão
Um dos maiores problemas do Metrorec é de orçamento. A União subsidia mais de 80% da operação do sistema. Hoje 56% dos usuários do metrô não pagam a passagem porque entram no sistema pela integração. A partilha do pagamento foi definida desde o início da concepção do Sistema Estrutural Integrado (SEI).

“Nós estamos estudando uma forma de rever esse modelo de partilha que nós concordamos, mas a situação hoje é bem diferente”, revelou Leonardo Villar. Até o fim do ano, o Metrorec está com um orçamento de R$ 81 milhões. “Nós aumentamos o orçamento de 2016 e iremos ampliar em 2017”, afirmou o ministro das Cidades, Bruno Araújo. Por enquando, o Metrorec não estuda a possibilidade de aumento da tarifa, que custa R$ 1,60, desde 2012. 

Informações: Diário de Pernambuco

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960