Sem recursos, Metrô do Recife pode parar em julho

quinta-feira, 2 de junho de 2016

“Estou no metrô desde 1983. Eu nunca vi uma situação como essa.” É assim que o novo superintendente regional da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), o engenheiro mecânico Leonardo Villar, define o atual estado de degradação do modal no Recife. Com metade do orçamento previsto para 2016 – R$ 51,8 milhões – já utilizada e problemas como estoques insuficientes, são necessários R$ 100 milhões para manter o sistema em funcionamento até o fim do ano, sem contar com investimentos. É o dobro do que havia sido previsto para o ano inteiro e, sem esses recursos, o metrô já pode parar em julho.

Para defender o aumento da verba repassada pelo governo federal, o superintendente fez um paradoxo entre o alcance do metrô e o orçamento: enquanto em 2002, quando eram atendidos aproximadamente 200 mil passageiros, as verbas de custeio eram de R$ 72 milhões, hoje, com o dobro do número de passageiros, é de R$ 51,8 milhões. Foi justamente o aumento do aporte financeiro o motivo da reunião entre Villar e o atual ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), em Brasília, nessa terça (31).

Informações: Ne10

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960