Mercedes-Benz desponta no BRT do Rio de Janeiro

segunda-feira, 6 de junho de 2016

De olho na crescente demanda do transporte público, a Mercedes-Benz amplia sua participação com a venda de 50 ônibus superarticulados exclusivos para o sistema de BRT do Rio de Janeiro, cidade sede dos Jogos Olímpicos que serão realizados em agosto próximo. Somados aos 18 novos ônibus também negociados para a capital fluminense no fim do ano passado, o sistema será acrescido de 68 novos veículos da marca. Além disso, até o fim de julho, o sistema terá 158 novos veículos previstos para operar até as Olimpíadas.

O novo volume chega em momento propício para a montadora, que entre janeiro e maio deste ano acumula fatia de 55,3% do mercado total de chassis, considerando urbanos e rodoviários e modelos a partir de 8 toneladas de PBT. Em 2015, a Mercedes-Benz encerrou o ano com 52,5% de market share, sendo a líder do segmento urbano, com 71,6% das vendas no período.

“Acreditamos que apesar da retração do mercado de ônibus, que caiu 42% no acumulado até maio, nos manteremos neste patamar de participação este ano”, afirma Walter Barbosa, diretor de vendas e marketing de ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. Segundo o executivo, as baixas do mercado previstas para este ano no segmento urbano estão concentradas na faixa de micro-ônibus e escolares, incluindo os do programa Caminho da Escola, exatamente os segmentos onde a empresa tem pouca participação.

Com o anúncio da encomenda destes novos 50 veículos, a Mercedes-Benz soma 271 ônibus de grande capacidade rodando em vias do BRT carioca, entre modelos padron, articulados e os superarticulados, o que garante participação de mais de 80% da frota exclusiva para o sistema, que conta com 367 ônibus.

Barbosa defende que este é o resultado do trabalho dedicado ao negócio de ônibus: na cidade do Rio de Janeiro, onde a montadora tem 20 concessionárias de veículos pesados, quatro delas são inteiramente voltadas para o segmento. “Oferecemos não só no Rio de Janeiro mas em todo o Brasil e América Latina uma consultoria especializada em transporte de passageiros fazendo o papel de intermediários entre o produto e a infraestrutura local”, comenta Gustavo Nogueira, gerente de marketing para BRT.

Segundo ele, há 14 projetos de BRT aprovados no Brasil com previsão de serem concluídos em até cinco anos: “Dez deles estão em estágio avançado e a Mercedes-Benz participa de todos eles”, acrescenta.

Para Nogueira, o superarticulado é uma alternativa inteligente para o operador do transporte público urbano: “Prova disso é que em três anos, desde o seu lançamento, já vendemos mais de mil unidades em todo o País”, relembra.

Com seus 23 metros de comprimento, o modelo O 500 MDA de piso alto tem capacidade para transportar entre 200 e 220 passageiros, dependendo da configuração da carroceria. “Um ônibus biarticulado que tem um pouco mais de capacidade, além de não encontrar essa demanda ao longo do dia e ter de ficar parado no fim de semana, tem um custo operacional mais alto, fora o valor da aquisição. Acredito que o sucesso do superarticulado se dá por essas diferenças, pela demanda de transporte e pelo custo operacional mais baixo”, defende. Segundo ele, o preço final do veículo depende da configuração da carroceria: “Em média, o biarticulado custa de 35% a 40% mais caro que o superarticulado”, revela.

Os novos veículos rodarão no terceiro corredor do sistema BRT no Rio de Janeiro, a linha Transolímpica, com previsão de ser inaugurada a tempo das Olimpíadas, informa Alexandre Castro, gerente de infraestrutura do consórcio que opera o sistema. O BRT do Rio já opera com as linhas Transoeste, desde 2012, e com a Transcarioca, desde 2014. Para 2017, está prevista a inauguração do quarto corredor, o Transbrasil.

Informações: Automotive Business

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960