Justiça determina manutenção de cobradores em SP

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Os ônibus da capital paulista do sistema estrutural devem continuar a ter cobradores, segundo decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo. A informação é do Sindmotoristas – Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo.

A entidade estima que dos 32 mil cobradores, em torno de 13 mil já foram demitidos em 2015, sobretudo das linhas dos bairros, que eram operadas por cooperativas, e que a pouco tempo se transformaram em empresas, por determinação da prefeitura. O Sindmotoristas diz que a permanência dos trabalhadores garante 24 mil empregos.

O sindicato recorreu a justiça e a administração municipal perdeu nas instâncias estaduais. Depois, está última recorreu ao STF – Supremo Tribunal Federal. Mas o ministro Gilmar Mendes entendeu que este caso deve ser julgado pela justiça em São Paulo.

A prefeitura afirma que 96% dos passageiros pagam a passagem por meio do bilhete único, e que a manutenção dos postos de trabalho causa um impacto financeiro de R$ 1 bilhão. O prefeito Fernando Haddad afirmou que não haveria demissões, e que os trabalhadores seriam reaproveitados em outras funções.

Os projetos de sistemas de corredores de ônibus do tipo BRT (Bus Rapid Transit) preveem pagamento antecipado nas paradas, dando agilidade e velocidades aos coletivos.

Por Renato Lobo
Informações: ViaTrolebus

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960