Aplicativo Uber chega a cidade de Salvador

domingo, 10 de abril de 2016

O aplicativo Uber, que oferece serviço semelhante ao táxi, estreou ontem em Salvador sob ameaças do prefeito ACM Neto e do secretário da Mobilidade, Fábio Mota, que prometem apreender os veículos que oferecem o serviço, considerado ilegal, e de taxistas, que agendaram uma manifestação para a próxima semana contra a presença do app na cidade.

O Uber, por sua vez, diz que pretende pagar eventuais multas e avarias em veículos  parceiros.De acordo com o presidente da Associação Metropolitana dos Taxistas de Salvador, Vandeilson Miguel, está prevista uma carreata saindo do Posto Metrô, na Bonocô, na próxima quarta-feira, às 9h, para pressionar pela saída do Uber.

“O prefeito e o secretário já se disseram contra o aplicativo. Nós vamos mostrar que eles não estão sozinhos. Vamos fazer uma grande carreata para que a gente possa aniquilar esse serviço”, declarou.

Ontem, às 14h42 (42 minutos após o início da operação na cidade), o CORREIO procurou por um motorista do Uber  nas imediações da Federação para levar a repórter até o Campo Grande, mas não encontrou, ainda que fosse possível ver o ícone de um carro se deslocando pela Avenida Garibaldi. Às 14h44, surgiu na tela a mensagem: “Todos os veículos estão ocupados no momento. Verifique novamente mais tarde!”. Em seguida, outra mensagem: “Não há carros disponíveis”.

A falta de prestadores do serviço talvez seja explicada pelas declarações de ACM Neto e Fábio Mota, reiterando a promessa de marcação cerrada contra os parceiros do aplicativo polêmico. “Sou contra o serviço do Uber porque ele passa ao largo de qualquer regulamentação”, reafirmou o prefeito, ontem. Ainda segundo ACM Neto, “o que haverá é fiscalização e, sempre que possível, apreensão de quem esteja fazendo esse serviço, que está à margem da lei, portanto é considerado ilegal pela prefeitura”.

Monitoramento
Mota disse que a Semob  vai  monitorar o aplicativo e adotará uma estratégia para autuar os motoristas e apreender os veículos. “O Uber não é regulamentado e será considerado como transporte clandestino, está passível de ser apreendido e de ser enquadrado na legislação de transporte clandestino, ser multado por rodar sem autorização e ser enquadrado no Código Penal por estar transportando passageiro, colocando vidas humanas em risco”, concluiu o secretário.

O Uber disse que pretende seguir com o serviço, que já foi regulamentado em São Paulo, está em fase de regulamentação em Goiânia e opera com liminar no Rio de Janeiro. O grupo se disse disposto a conversar com a prefeitura de Salvador para “mostrar as formas que o serviço pode melhorar a mobilidade” e ressaltou que possui respaldo legal na Política Nacional de Mobilidade Urbana, operando como transporte individual privado.

Sobre as possíveis apreensões, o Uber afirma que adota a política de ajudar os motoristas. O motorista Milton Azevedo, 48 anos, que atuava há um ano pelo Uber, em Brasília, e que pediu ‘transferência’ para Salvador, explicou que são disponibilizados dois números de telefone para que o dono do veículo possa acionar o grupo e liberar o carro em até 24 horas, sem ônus. Em casos de carros danificados por taxistas, como já aconteceu em São Paulo, Belo Horizonte e Brasília, o proprietário também não tem despesas.

Por Clarissa Pacheco 
Informações: Correio 24 Horas

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960