No Recife, Empresas de ônibus querem tarifa a R$ 3,25

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

A Urbana-PE, sindicato que representa as empresas de ônibus, apresentou nesta quarta-feira (13) a sua proposta de reajuste das tarifas de ônibus para 2016 na Região Metropolitana do Recife (RMR). O órgão sugere um aumento de 32% no anel "A", que passaria dos atuais R$ 2,45 para R$ 3,25. Já o anel "B" passaria para R$ 4,40. O debate sobre o reajuste das tarifas começa nesta sexta-feira (15), com o início das reuniões do Conselho Superior de Transporte Metropolitano. 

O sindicato justifica que os valores dos aumentos é necessário para promover um equilíbrio econômico-financeiro do sistema de transporte coletivo rodoviário. Além disso, a Urbana-PE ainda aponta um aumento nos custos de manutenção do sistema, como o pagamento de pessoal, gastos com óleo diesel. 

A Urbana-PE alega ainda que há uma defasagem da tarifa que, segundo o sindicato, vem sendo acumulada durante anos. 

O reajuste para essa proposta foi calculado dividindo o custo total do setor pelo total de passageiros pagantes.

A Frente de Luta pelo Transporte Público já marcou um protesto contra o reajuste da tarifa. Um grupo de manifestantes deve se concentrar a partir das 7h30 desta sexta-feira, na Praça do Derby, área Central do Recife.

A reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano deste ano foi marcada para a este dia, às 8h, no Centro de Convenções de Pernambuco. O Conselho teve a sua primeira reunião nessa segunda (11), na Secretaria das Cidades. 

"Esse aumento é injustificável, uma vez que não houve melhoria no sistema. O Conselho se reúne apenas para debater reajuste de tarifa. Não houve as contrapartidas que deveriam ter sido feitas pelas empresas de ônibus neste ano", disse o advogado Pedro Josephi, um dos membros da Frente de Luta. 

O movimento ainda tece críticas ao governador Paulo Câmara (PSB) e faz cobranças das promessas de campanha feitas nas eleições de 2014, como o congelamento das tarifas e a bilhetagem eletrônica. 

Em entrevista ao JC Trânsito nessa segunda-feira (11), o presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte, Francisco Papaléo, não adiantou qual será a porcentagem de aumento proposta pelo órgão. "Nós temos a responsabilidade de apresentar uma tarifa técnica e aberta. Não posso levar em consideração apenas um IPCA, um IGP-M", disse. De acordo com Papaléo, serão levadas em consideração questões como o aumento do preço dos combustíveis e os custos do maior salário pago a cobradores e motoristas desde julho - a categoria recebeu 9,3% a mais no julgamento do dissídio coletivo.

Informações: NE 10


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960