Prefeitura de São Paulo lança edital voltado a tecnologias para mobilidade urbana

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Projetos de aplicativos, softwares e ferramentas digitais com foco em trânsito e transporte receberão, juntos, até R$ 4,3 milhões. Iniciativa do MobiLab é voltada a pequenas empresas, startups e pessoas físicas.

A Prefeitura de São Paulo publicou nesta terça-feira (24) um edital de concurso público para seleção e contratação de novos projetos de tecnologia da informação e da comunicação, com foco em mobilidade urbana. Serão selecionados até 14 projetos, entre aplicativos para smartphones, softwares para computadores e ferramentas digitais. O edital completo está no portal e-negócios.

Podem participar apenas micro empreendedores individuais, microempresas ou empresas de pequeno porte, além de projetos realizados por pessoas físicas,com no mínimo dois proponentes. As inscrições devem ser realizadas até 8 de janeiro de 2016, no gabinete da São Paulo Transportes (SPTrans), no centro. Os resultados serão publicados no dia 11 de janeiro. 

Os recursos que serão destinados aos projetos selecionados somam mais de R$ 4,3 milhões.O tema “Central de operação de semáforos de tempo fixo”, para permitir a comunicação com as redes de semáforos por meio de GPRS, receberá a maior quantia, no valor de R$ 835 mil. A solução deve incluira possibilidade de comandar planos, horários e receber alarmes de falhas, além da criar interface gráfica georreferenciadapara cadastramento e gestão das redes de semáforos de tempo fixo. Veja os outros 13 tipos de projetos pedidos no edital.

Os projetos serão desenvolvidos no MobiLab, Laboratório de Mobilidade da Secretaria Municipal de Transportes (SMT), criado pela Prefeitura em 2014, pelo período de, no máximo, 12 meses, com início previsto para fevereiro do próximo ano. As criações devem priorizar o sistema open-source (código aberto) e a utilização pelo municípcio.

O edital já havia sido apresentado a jovens programadores e representantes de startups em setembro, no Centro Cultural São Paulo (CCSP), durante o evento “Mobicidade e Governo Aberto”, que integrou a programação da Semana da Mobilidade 2015.

MobiLAB
O Laboratório de Tecnologia e Protocolos Abertos para Mobilidade Urbana foi lançado em março do ano passado, para incentivar a criação de aplicativos para smartphones e tablets, desenvolver softwares e dispositivos para semáforos, radares, GPSs e para todos os demais aparelhos usados com o propósito de contribuir para a solução e modernização dos sistemas existentes. 

O laboratório tem grupos de pesquisa, cada qual com um foco diferente em mobilidade urbana, formados por estudantes do ensino médio até especialistas em Tecnologia da Informação (TI), que recebem bolsa de pesquisa, com apoio financeiro da Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo (FUSP). As bolsas variam de R$ 351,90 a R$ 5.908,80, de acordo com currículo, experiência na área e horas de dedicação semanais ao projeto. 

A primeira atividade promovida pelo laboratório foi a Hackatona, realizada em março pela CET, em parceria com a FUSP. Participaram da maratona 51 hackers e 15 projetos relacionados à área. O vencedor foi o aplicativo 'Como estou dirigindo?', que avalia como motoristas estão dirigindo a partir da inclusão de dados como placa do e modelo do veículo. Pelo projeto, a equipe Mil Diálogos, responsável por sua execução, recebeu um prêmio no valor de R$ 10 mil.

Informações: SPTrans

Leia também sobre:

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960