Ônibus de Ribeirão passam a contar com faixas preferenciais

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Cinco quilômetros de faixas preferenciais de ônibus começam oficialmente a fazer parte do trânsito na região central de Ribeirão Preto (SP) a partir desta segunda-feira (14). O sistema visa agilizar em até 20% o deslocamento de 71 linhas que cruzam diariamente o Centro.

A medida, que demandou um investimento de R$ 500 mil em pavimentação de vias, pinturas e colocação de placas, faz parte do pacote de obras previstas no contrato de concessão do transporte público assinado em 2012 pelo município com o Consórcio Pró-Urbano.

Depois de ser projetado para entrar em operação em maio de 2014 como um corredor de um quilômetro em caráter experimental, o projeto foi redefinido e tinha previsão de ser concluído em junho, segundo José Mauro Araújo, diretor da Transerp, empresa que gerencia o trânsito e o transporte em Ribeirão.

As faixas que priorizam a circulação de ônibus, de acordo com o engenheiro de tráfego da empresa, Reynaldo Lapate, estão espalhadas por ruas como Florêncio de Abreu, Cerqueira César, Américo Brasiliense, Visconde de Inhaúma, José Bonifácio, Duque de Caxias, além da Avenida Jerônimo Gonçalves.
"Transformou-se o valor na época em faixas de ônibus, considerando-se, no caso do Centro, não só a sinalização de solo e as placas como também a adequação de pavimento. A pintura tem uma tinta mais adequada, com durabilidade de no mínimo cinco anos", afirma.

Além de pavimentação e pintura, o trabalho exigiu o remanejamento de dois trechos de estacionamento rotativo da Área Azul.
Por não serem exclusivas, as faixas não impedem a utilização por carros de passeio, já que em muitos casos passam ao lado de garagens de imóveis. Por outro lado, ônibus também poderão circular pela via convencional.

Segundo Lapate, com a sinalização, a expectativa é de que os condutores se adequem e se conscientizem.
"O objetivo é fazer um disciplinamento na medida do possível para aqueles que, por desatenção ou distração, vão andando na faixa da direita e encontram o ônibus parado no quarteirão seguinte. Essa faixa preferencial será sinalizada para alertar todo mundo, de que naquela faixa possivelmente terá um ponto de parada de ônibus", diz.

A fim de desafogar o trânsito na região central, ele defende uma espécie de divisão funcional das vias, entre as voltadas para estacionamentos rotativos, como a Rua São Sebastião, e aquelas a serem utilizadas como corredores de ônibus, como a Florêncio de Abreu.

Ele cita que a Transerp estuda instalar mais faixas em outras regiões, mas que as principais mudanças devem vir a partir das obras de mobilidade financiadas pela segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), do governo federal, sem data para acontecer.

A adoção das faixas preferenciais é colocada pelo engenheiro de tráfego em um contexto de medidas adotadas desde o ano passado – como a retirada de dinheiro dos ônibus, o reconhecimento facial dos usuários e o aumento da tarifa da Área Azul para carros – para tentar privilegiar o uso do transporte coletivo na cidade.

Por Rodolfo Tiengo

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960