Das 600 linhas que operam o sistema de ônibus de Salvador, apenas 223 transportam 80% dos cerca de 1,3 milhão de usuários do serviço diariamente

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Das 600 linhas que operam o sistema de ônibus de Salvador, apenas 223 transportam 80% dos cerca de 1,3 milhão de usuários do serviço diariamente. Desta forma, em média, 1,04 milhão de pessoas utilizam cerca de um terço das linhas existentes na capital baiana.
Joá Souza l Ag. A TARDE 
A informação foi passada, nesta terça-feira, 8, pelo secretário municipal de Mobilidade, Fábio Mota, durante o lançamento da nova versão do aplicativo CittaMobi, que possibilita aos cidadãos terem informações sobre o transporte coletivo na cidade.

Com a atualização, quem utilizar o software poderá informar à prefeitura ocorrências no coletivo, como assaltos, acidentes e veículos que não param nos pontos. Os dados passados pelos usuários serão encaminhados Centro de Controle Operacional (CCO), que monitora o sistema de ônibus, localizado em Amaralina.

A informação sobre as linhas foi obtida, segundo Mota, graças ao trabalho realizado pelo CCO nos dois meses de funcionamento. Com este diagnóstico em mãos, 67 linhas com grande demanda ganharam um acréscimo na frota, conforme o secretário Fábio Mota.

Para o prefeito ACM Neto, o CCO e o aplicativo permitem à prefeitura realizar intervenções para melhorar a qualidade do serviço.
"Conseguimos ordenar, de forma mais clara, essas linhas, para evitar o que  acontece em Salvador. O ônibus para no ponto e rapidamente enche. Mas ainda fica gente no ponto, porque o ônibus não foi suficiente para a quantidade de pessoas que demandam aquela linha", frisou o prefeito.

As linhas Jardim Santo Inácio-Pituba, Estação Mussurunga-São Joaquim e Engenho Velho da Federação-Nazaré estão entre as que tiveram o aumento da frota, com o acréscimo de um veículo em cada.
"São Paulo, que tem 11 milhões de habitantes, tem 600 linhas de ônibus, o mesmo que Salvador. Isso mostra que o problema não é a quantidade de linhas", disse Fábio Mota.

Para chegar ao problema da necessidade de mais ônibus em determinadas linhas, a prefeitura cruzou dados de bilhetagem e quantidade de veículos nas áreas. "A mudança já possibilitou, segundo pesquisas feitas pela prefeitura, uma melhoria na qualidade do  serviço oferecido por estas linhas", reforçou Mota.

Segundo o prefeito, também estão sendo avaliados casos em que linhas têm demanda menor do que a quantidade de ônibus ofertada.

Outras áreas
O secretário de Mobilidade contou, ainda, que dois grupos de trabalho estão estudando todas as linhas do subúrbio e da região de Cajazeiras visando avaliar a demanda de cada uma delas.
"A nossa ideia é que, no prazo de um ano, a gente vá melhorando linha por linha em cima da demanda. Agora, com esse elemento novo (a atualização do aplicativo), a gente tem maior interação do cidadão. Todas as informações passadas para o CCO serão base para a gente examinar aquela linha específica", afirmou.

O CCO está auxiliando a prefeitura também no estudo de reordenamento de todas as linhas de ônibus de Salvador. Estudo este conduzido pela gestão municipal e pelas empresas e previsto na licitação do sistema de transporte público da capital baiana.
"Esse estudo que impacta basicamente em refazer todas as linhas da cidade tem um prazo de dois anos. Nós começaremos, provavelmente, no segundo semestre de 2016 a aplicação dessas mudanças, que precisam ser validadas pela população", afirmou ACM Neto.

Ainda conforme o prefeito, a mudança será feita de maneira progressiva, para possibilitar a adaptação das pessoas.

Melhora
No bairro da Pituba, onde trafegam três linhas que tiveram a frota ampliada, muitos usuários - apesar de não saber da novidade - relataram que o tempo de espera dos coletivos diminuiu significativamente.

É o caso da diarista Maria de Jesus dos Santos, 41 anos. Moradora do bairro de São Gonçalo do Retiro, ela disse que tem três opções de ônibus para casa, mas percebeu, nos últimos dias, que a linha Jardim Santo Inácio-Pituba está mais rápida. Esta linha recebeu um ônibus (passou de 16 para 17 veículos).
"Não estava sabendo de nada. Até comentei com uma amiga ontem sobre isso. Costumo pegar o Mata Escura ou Tancredo Neves, que sempre chegam primeiro, mas já tem três dias que só pego Jardim Santo Inácio", disse Maria.

O serralheiro Péricles de Almeida Couto, 47, também notou uma leve mudança no tempo de espera da linha Arenoso-Pituba, que teve acréscimo também de um veículo (de cinco  para seis ônibus). "Esse ônibus costumava demorar uns 30 minutos. Agora, tá passando em menos de 20 minutos", constatou Péricles.

*Colaborou Jair Mendonça Jr.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960