Manaustrans registra queda no número de multas aplicadas na Faixa Azul

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Das 4.160 autuações lavradas, em seis meses, a veículos não autorizados que trafegaram pela Faixa Azul da Avenida Constantino Nery, na zona centro-sul de Manaus, quase metade (1.983) foram aplicadas apenas na primeira semana de fiscalização, segundo a assessoria de comunicação do Instituto Municipal de Infraestrutura e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans). O diretor-presidente do órgão, Paulo Henrique Oliveira, afirma que os motoristas estão mais conscientes, mas quem trafega pela via atribui a redução do número de multas à falta de fiscalização.
Foto: Isabelle Marques

A equipe de reportagem do Portal D24am percorreu, na manhã da última quinta-feira, os 4,48 quilômetros  do corredor exclusivo instalado na Avenida Constantino Nery, das 8h30 às 10h30, e constatou que não havia, no local, agentes de fiscalização do Instituto de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), até as 10h. Nesse período, pelo menos, 40 veículos não autorizados, entre carros e motocicletas, invadiram a faixa exclusiva.

 “Não temos auxílio dos agentes. Eles só atrapalham o trânsito. Isso quando eles atuam na avenida. Muitas vezes, já vi infrações de motoristas na Faixa Azul e percebo que nada foi feito ou registrado”, disse o farmacêutico Kleiton Souza, 25.

O motorista Ricardo Josenir, 58, criticou a ação de quem comete a infração e observou que, com ou sem fiscalização, a lei deve ser respeitada. “É preciso fiscalização sim, mas os próprios motoristas devem ter a consciência de trafegar no lugar certo. Infelizmente, isso não acontece, pois todos os dias que passo por aqui, eles continuam a infringir a lei”, destacou.

O diretor-presidente do Manaustrans negou que não haja efetivo trabalhando nas vias que possuem o corredor exclusivo, mas afirmou  que os agentes não trabalham exclusivamente nas autuações. “Eles possuem um trabalho dinâmico, precisam resolver a fluidez no trânsito ou, até mesmo, autuar outros tipos de situações. Por isso, algumas vezes, eles não são vistos nas ruas, mas garanto que eles ficam na via. Tudo depende da demanda. Às vezes, ficam quatro, às vezes, seis. Dependendo do horário, ficam até dez agentes”, rebateu.

Paulo Henrique disse, ainda, acreditar  que o número de multas tenha reduzido devido à  consciência dos motoristas. “Hoje, tem menos pessoas trafegando (na Faixa Azul), mas é claro que ainda existe um ou outro que é teimoso. Mas, como eu sempre digo, a educação é a chave”, afirmou.

Atualmente, o valor de multa pago para quem trafegar na  Faixa Azul é de R$ 191,57, e o condutor perde sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O preço foi alterado após decreto da presidente Dilma Rousseff,  no fim de julho.  

O secretário reforçou que a implantação do sistema de trânsito integrado ao Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) deve auxiliar nas fiscalizações. “Quando for implantado, vamos verificar se o motorista está acatando as lei, não só da Faixa Azul, como as outras infrações, e auxiliar o trabalho dos agentes que ficam nas ruas. Todas essas medidas são  para que possamos melhorar o trânsito de Manaus”, afirmou.   

Essa também é a expectativa da enfermeira Doralice Sena, 41, que acredita que usar imagens de câmeras na fiscalização pode minimizar o problema. “O trânsito é um caos nessa cidade. Espero que, com essa medida, quem desrespeitar  seja de uma vez por todas punido”, declarou.

Assim como na Constantino Nery, a Avenida Mário Ypiranga  teve 207 multas registradas por desrespeito ao corredor exclusivo, desde que iniciaram as fiscalizações na via, em 6 de abril. Desse total, 108 autuações foram lavradas apenas na primeira semana.

Vale ressaltar que podem trafegar na faixa exclusiva, além dos ônibus do sistema Bus Rapid System (BRS), táxis e frete escolar com passageiros, viaturas da polícia, bombeiros e ambulâncias.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960