No Recife, Aluna cai de ônibus lotado e morre

sábado, 9 de maio de 2015

A universitária Camila Mirele Pires da Silva, 18 anos, morreu após cair do ônibus em que voltava para casa, no Recife. O acidente aconteceu na noite de sexta-feira (08), quando o ônibus da linha Barro-Macaxeira passava pela BR-101, em frente à Casa do Estudante, perto do campus da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A linha é operada pela empresa Metropolitana.

Aluna do segundo ano do curso de biomedicina na UFPE, Camila estava voltando para casa, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana, e o ônibus estava lotado. O veículo estava em movimento quando a porta se abriu e a jovem caiu.

Ela foi socorrida para o Hospital Getúlio Vargas, mas não resistiu aos ferimentos. O pai de Camila cuidou da liberação do corpo da filha no Instituto Médico Legal, nesta manhã, e não quis conversar com a imprensa. Vizinhos que estavam com ele disseram que a família está revoltada, muito abalada e quer explicações sobre como a porta se abriu. O velório e enterro aconteceram na tarde deste sábado, no cemitério do Barro, em Jaboatão.

Em nota, a Universidade lamentou a morte da estudante. "A UFPE colocou assistentes sociais e psicólogos para prestar apoio à família da estudante. A Universidade cobra das autoridades responsáveis pelo transporte público na Região Metropolitana do Recife uma rigorosa apuração dos fatos que levaram à morte da aluna".

O caso foi registrado pela Central de Flagrantes, onde um parente da vítima esteve para relatar o que aconteceu. A Polícia Civil vai decidir se a investigação ficará a cargo da Delegacia de Trânsito ou do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa.

O Grande Recife Consórcio de Transporte, responsável pela fiscalização dos ônibus que circulam na Região Metropolitana, informou que está à disposição das autoridades para fornecer as informações necessárias que ajudem nas investigações sobre o acidente.

Leia o depoimento da estudante Lays Camila, que estava no ônibus na hora do ocorrido:

"Nós estávamos na parada em frente ao Centro de Ciências Sociais (CCS) e quando o ônibus parou entramos pela porta do meio porque estava muito lotado. Meu amigo até ajudou ela pois a bolsa de Camila tinha ficado presa na porta. Não sei quantas paradas depois, mas o motorista passou da parada e abriu a porta. Ela não estava segurando em nada, apenas encostada na porta e quando a porta abriu ela caiu. Foi muito rápido. Todo mundo começou a gritar para o motorista parar e quando ele parou nós fomos vê-la. Só vi que a calça dela estava rasgada e a perna muito machucada. Não imaginei que tinha sido tão grave a ponto de chegar à morte. Ela ainda estava consciente e até conseguindo mexer a perna." 

Informações: G1 PE

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960