Em Curitiba, Faixas exclusivas reduzem tempo de viagem

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Motoristas, cobradores e passageiros das 44 linhas de ônibus beneficiadas pelas faixas exclusivas sentem a melhoria causada pela implantação das faixas exclusivas para o transporte coletivo. Implantadas na Rua XV de Novembro no ano passado e, em março, na Avenida Marechal Deodoro e Rua Desembargador Westphalen, as faixas beneficiam diretamente 157 mil passageiros por dia.

“Esse é o caminho, Curitiba precisa das faixas exclusivas. E o benefício não é só para o ônibus: é para o trânsito também. Fica mais organizado e quanto mais faixas, melhor fica para todo mundo”, afirma o estudante de Engenharia da Produção Bruno Santos. Ele utiliza a linha Vila São Paulo, que sai da Praça Rui Barbosa, na Rua Desembargador Westphalen.

A estudante de Psicologia Letícia Azevedo, que utiliza a mesma linha para ir à faculdade, concorda. “Fica muito melhor, mais rápido, mais seguro, não tem freada toda hora, é bom mesmo. Esse trecho tem muito movimento e por isso a faixa está ajudando muito”, afirma.

A linha Vila São Paulo, que faz trajeto entre o bairro Uberaba e o Centro, transporta, por dia, 2 mil passageiros. Percorre oito quadras da Westphalen e dessas, em quatro há faixa exclusiva, justamente na região mais movimentada.

“Quando começar a fiscalização vai ficar ainda melhor. Por enquanto, aqui perto da Sete de Setembro ainda tem motorista que invade a faixa e atrapalha no cruzamento, mas mesmo assim, é um benefício grande. Agora não há perda tempo parado nesse trecho”, diz o motorista do Vila São Paulo Marcos de Alcântara.

Em outra rota – entre o Alto da XV e a Praça Zacarias -, a copeira Ivone Vidal, elogia. “Agora faço o trajeto inteiro com o ônibus em faixa exclusiva, primeiro na Rua XV e depois na Marechal. É um instante para chegar”, diz Ivone, que trabalha no Alto XV e se desloca para o Centro. “Quando uma coisa está ruim, tem que reclamar mesmo, mas quando está bom tem que falar também”, diz a copeira, enquanto espera “qualquer ônibus” que for para o Centro. O primeiro a passar, alguns minutos depois, foi o Detran/Vicente Machado, uma das linhas beneficiadas por duas faixas exclusivas – da Marechal Deodoro e da Rua XV.

O aposentado Gabriel Rissardi, que também utiliza o Detran/Vicente Machado, afirma que a viagem até o Centro ficou muito mais rápida. “Peguei o ônibus perto do Ginásio do Tarumã e, olha só, são 6 minutos e já estamos quase no Centro. Isso era impossível, antes”. Até a Praça Zacarias, onde desembarcou, Rissardi viajou no total 13 minutos. “Não dá 15 minutos e estou no centro. Não faria esse tempo de carro”, afirma.

A linha Detran/Vicente Machado transporta por dia em torno de 5 mil passageiros. O motorista Alessandro Correia lembra que a linha tem um trajeto longo, ligando o Tarumã ao final da Vicente Machado. “Mas esse trecho, que agora dá mais de três quilômetros de faixa exclusiva, faz muita diferença na viagem. Ajuda muito mesmo” afirma.

A cobradora Simone de Lima diz que as viagens estão mais rápidas. “Quando o ônibus chega na faixa exclusiva é uma maravilha. Vai rápido, muito bom e agora ainda vamos pela faixa exclusiva até a Praça Zacarias ”, conta.

Mobilidade

A implantação de faixas exclusivas para os ônibus começou a ser testada em Curitiba em julho do ano passado na Rua XV de Novembro, entre a Avenida Nossa Senhora da Luz e a Praça Santos Andrade, por onde hoje passam 13 linhas de ônibus. Nesse trecho o ganho de tempo chega a 30%. Consultados pela Urbs, passageiros de duas linhas que seguiam pela Itupava – Hugo Lange e Augusto Stresser – aprovaram a mudança de rota para a XV de Novembro, a partir da Ubaldino do Amaral.

No início de março a Prefeitura implantou a faixa exclusiva da Desembargador Westphalen, por onde passam 20 linhas de ônibus que transportam 70 mil passageiros. No final do mês foi implantada a terceira faixa exclusiva para ônibus da cidade, agora na Marechal Deodoro, entre João Negrão e Praça Zacarias, o que beneficia os 30 mil passageiros de 15 linhas de ônibus (quatro delas já beneficiadas pela faixa da XV de Novembro).

“As faixas exclusivas trazem para as vias compartilhadas a prioridade dada aos ônibus nas canaletas. Essa é a tendência nas grandes cidades hoje, prioridade ao ônibus em vias compartilhadas”, afirma o prefeito Gustavo Fruet destacando que, além da tarifa e da qualidade do sistema, um dos grandes atrativos do transporte público é o menor tempo de deslocamento. “Nos últimos 15 anos, Curitiba viu diminuir muito a velocidade média dos ônibus. Estamos invertendo essa trajetória priorizando o transporte coletivo”.

O projeto inicial prevê em torno de 20 quilômetros de exclusividade para o ônibus em trechos mais congestionados de ruas e avenidas da cidade.  As próximas etapas do projeto serão a ampliação da faixa exclusiva da Westphalen até a Avenida Presidente Kennedy; e a criação da faixa exclusiva da Alferes Poli até a Rua Brasílio Itiberê.

Confira as linhas de ônibus beneficiadas com as faixas exclusivas:

XV de Novembro
Trecho: Entre Nossa Senhora da Luz e Praça Santos Andrade
Passageiros: 57,5 mil
Linhas: Jardim Social/Batel; Rua XV/Barigui; Detran/Vicente Machado; Capão da Imbuia/Parque Barigui; Higienópolis; Tarumã; Alto Tarumã; Sagrado Coração; Pinhais/Guadalupe; Interhospitais; Curitiba/Piraquara (parador) e Curitiba/Piraquara (direto); Hugo Lange; Augusto Stresser. 

Marechal Deodoro
Trecho: Entre João Negrão e Praça Zacarias
Passageiros: 30 mil (destes 13 mil usam linhas que passam na Rua XV)
Linhas: Canal da Música/Vista Alegre, Novena, Jardim Social/Batel, Itupava/Hospital Militar, Rua XV/Barigui, Detran/Vicente Machado, Cristo Rei, Cajuru, Capão Imbuia/Parque Barigui, Alcidez Munhoz/Jardim Botânico, Fazendinha, Caiuá e Executivo/Aeroporto.

Desembargador Westphalen
Trecho: Entre Visconde de Guarapuava e Getúlio Vargas
Passageiros: 70 mil
Linhas: Jardim Mercês/Guanabara, Universidades, Bom Retiro/PUC, Vila Macedo, Jardim Centauro, Guabirotuba, Vila São Paulo, Uberaba, Jardim Itiberê, Canal Belém, Alferes Poli, Guilhermina, Menonita, Vila Izabel, Vila Rosinha, Carmela Dutra, Vila Velha, Cotolengo, Ligeirinho Bairro Novo e Ligeirinho CIC/Cabral.

Informações: Urbs

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960