Prefeitura de Curitiba apresenta projeto de novo trecho da Linha Verde

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba apresentou para a comunidade os projetos de duas novas etapas da Linha Verde. As obras integram o Programa PAC 2 – Pacto pela Mobilidade, do governo federal. A reunião aconteceu na quarta-feira (11) no salão da Paróquia Santa Madalena Sofia Barat, no Bairro Alto.

Na primeira obra, correspondente ao lote 3.1, serão realizadas intervenções num trecho de aproximadamente 2,5 km, entre a Avenida Victor Ferreira do Amaral, no Tarumã, e as proximidades do conjunto Colina Verde, no Bacacheri. O valor desta obra, que deverá ter início no mês de abril, está orçado em R$ 46.778.751,18. Cerca de 140 mil pessoas serão diretamente beneficiadas.

Esta nova obra no trecho da Linha Verde trará muitas vantagens operacionais, tais como a redução no carregamento do transporte coletivo no eixo Norte Sul; aumento da capacidade do sistema de transporte; redução no tempo das viagens de ônibus; maior segurança para a circulação e travessia de pedestres, com a instalação de uma passarela e de semáforos; e melhoria nos deslocamentos entre os bairros Tarumã, Bairro Alto, Cabral, Bacacheri e Santa Cândida.

A região irá contar com ônibus movidos a biocombustível e, futuramente, com transporte coletivo movido a eletricidade. As duas alternativas representam redução nas emissões de gases de efeito, além de menos poluição sonora e do ar.

A obra também trará muitos benefícios urbanísticos para a região. O leito rodoviário da antiga BR 116 será totalmente revitalizado, com melhorias em pavimentação, drenagem, calçadas, sinalização e iluminação. Haverá o aumento das áreas verdes da região, com a implantação de duas novas praças e a requalificação do Bosque Portugal – inaugurado em março de 1994 e que possui cerca de 20 mil m2. Serão implantadas, ainda, novas estruturas cicloviárias e calçadas. “As obras vão promover uma revitalização completa na região, trazendo muita valorização ao local. Isso representa mais segurança para pedestres, ciclistas e motoristas, com beleza paisagística e melhoria na qualidade de vida”, destacou o presidente do Ippuc, Sérgio Póvoa Pires.

Nova trincheira

A segunda grande obra na região, correspondente ao lote 3.2, será a implantação de uma nova trincheira numa via que cruza a Linha Verde. Prevista para ser instalada na Rua Fúlvio José Alice, a trincheira contará com recursos da ordem de R$ 25 milhões, beneficiando diretamente mais de 73 mil pessoas.

Além das obras na rua da trincheira, também haverá a completa revitalização das vias de acesso ao local, numa extensão aproximada de 2,4 km, com melhorias no pavimento, drenagem, implantação de calçadas, sinalização e iluminação. Também será feita a adequação das vias às condições de ocupação residencial, comercial e de serviços, com desenho urbano diferenciado e velocidade regulamentada nas vias.

Maior segurança no trânsito

As duas obras vão garantir mais conforto e segurança para as pessoas que circulam na região que possui tráfego intenso. Medições realizadas indicam que este trecho da Linha Verde possui tráfego de 40 mil veículos por dia, em cada sentido, o que significa dizer que 80 mil veículos passam pelo local diariamente.

No sentido transversal à Linha Verde, a via composta pelas ruas Gustavo Ratmann e José Zgoda, onde já existe uma trincheira, o fluxo diário de tráfego, por sentido, é de 21 mil veículos. Somando-se os dois fluxos chega-se a 42 mil veículos diários trafegando somente nessa via. A implantação de uma nova trincheira na via paralela (Fúlvio José Alice e Amazonas S. de Azevedo), irá distribuir melhor o fluxo de veículos na região, tornando o trânsito mais seguro.

A Linha Verde

A Linha Verde é o 6º eixo de transporte e desenvolvimento de Curitiba. Possui extensão total de 22 km, beneficiando 23 bairros e 287 mil pessoas em Curitiba, entre os moradores da região e aqueles que necessitam trafegar pelo local. O projeto é realizado por trechos. Desta forma, os problemas estruturais da antiga BR 116 vão sendo resolvidos à medida que as obras avançam.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960