BRT de Belém deve ter ônibus articulados e de quatro portas

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Os ônibus do Sistema BRT (Bus Rapid Transit) Metropolitano devem ser articulados e com quatro portas do lado esquerdo para facilitar a subida e descia dos passageiros. Pelo menos é o que espera a equipe técnica do NGTM (Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano), que esteve reunida ontem (13) com representantes de uma empresa de carroceria de ônibus. A firma apresentou diversos modelos de coletivos que podem ser utilizados no projeto. A reunião teve a presença de representantes das prefeituras de Belém, Ananindeua e o Consórcio Troncal Belém.

Segundo o projeto, os ônibus trafegarão em faixas exclusivas implantadas na rodovia BR-316, no trecho que vai do Entroncamento até o município de Marituba. O projeto para a RMB se enquadra no tipo ônibus troncal, com faixa exclusiva e ultrapassagem, contemplando a utilização de ônibus de 20m de comprimento com capacidade para 200 passageiros, o que ampliará a atual oferta de transporte de 11 mil passageiros/hora pico/sentido para 24 mil passageiros/hora pico/sentido. A meta é reduzir em até 60% o tempo de viagem de Marituba.

Informações: ORM News

READ MORE - BRT de Belém deve ter ônibus articulados e de quatro portas

Cariocas se queixam da lotação nos ônibus do BRT Transoeste

O BRT Transcarioca completou dois meses de funcionamento e a Transoeste transporta passageiros há mais dois anos. Os ônibus articulados que rodam em faixas exclusivas foram uma saída da Prefeitura do Rio para melhorar os congestionamentos na cidade, mas os passageiros reclamam da qualidade do serviço. Juntos, o sistema Transoeste e a Transcarioca têm 95 quilômetros.

“Eu quero que eles botem mais ônibus, saindo um atrás do outro, porque a gente fica aqui em pé o tempo todo esperando um ônibus”, disse uma passageira.
“O problema é esse ai, ne? A lotação, entendeu? Eu não tenho nem como me mexer”, contou uma senhora.

“A gente vai igual uma lata de sardinha. Tem dia que se você tirar o pé , não coloca de novo”, reclamou outra passageira, que se espremia no ônibus do BRT.
A Transoeste liga Campo Grande, Santa Cruz, na Zona Oeste, ao Terminal Alvorada e a Transcarioca segue e direção ao Aeroporto Tom Jobim, na Ilha do Governador - 213 ônibus do BRT circulam pela cidade diariamente.

Oito novos ônibus com capacidade para 200 passageiros entraram em circulação no início de agosto. Mas até o final do mês, dois veículos de 28 metros com capacidade para 270 pessoas entrarão em teste.
“Essa frota maior está vindo com carros maiores. Com isso nós conseguimos junto com a velocidade que o sistema já tem, ofertar mais lugares com carros de maior capacidade, dando ao passageiro mais conforto nos momentos de pico”, afirmou o gerente do sistema BRT Alexandre Castro.

Os novos veículos vão circular nos dois corredores. Na Transoeste, em dois anos de operação, foram transportados mais de 60 milhões de passageiros. A Transcarioca ainda está em fase de implantação; em dois meses, quase 1,5 milhão de passageiros usaram o corredor expresso. Das 47 estações previstas, 19 ainda não funcionam.

Até 2016, com a inauguração da Transolímpica, serão três linhas e 620 viagens por dia. O edital para a construção da Transbrasil, que vai complementar o sistema, ainda não foi lançado.

READ MORE - Cariocas se queixam da lotação nos ônibus do BRT Transoeste

Mais três empresas de transporte coletivo saem de circulação em Belém

Por apresentarem péssimas condições de trafegabilidade e baixa qualidade na prestação de serviços de transporte à população, mais três empresas foram retiradas definitivamente do sistema de transporte público de Belém: Expresso Michele, Via Urbana e Viagem Bem. Todas elas já estavam com suas permissões cassadas pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), já que estavam descumprindo as ordens de serviço que determinam os horários de saída e itinerários de cada veículo. A operação que resultou na suspensão dos serviços aconteceu na noite de terça-feira, 12.

“A ida até as garagens das empresas era para checar as condições dos coletivos. Apenas constatamos o que já sabíamos: as empresas possuem veículos em condições precárias de trafegabilidade e não podem mais circular”, disse o coordenador de fiscalização de transporte da Semob, Márcio Bello.

Na garagem das empresas Via Urbana e Expresso Michelle não existia ninguém e as portas da empresas foram lacradas. Na empresa Viagem Bem, em Benevides, oito coletivos foram vistoriados e nenhum tinha condições de operar. “Elevadores para deficientes que não funcionam, pneus carecas, vidros quebrados, carros sujos e sem condições de trafegabilidade foram algumas das irregularidades que encontramos. Isso apenas ratifica que a empresa não tem condições de operar, como já prevíamos”, completou Márcio.

A população não ficará desamparada quanto ao serviço de transporte porque a maioria dos coletivos dessas empresas sequer circulavam, ou seja, já não estavam atendendo à demanda da população, e outras empresas que compartilhavam as linhas já tinham assumido as operações. “As linhas que estas empresas operavam já haviam sido absorvidas anteriormente por outras empresas. Temos compromisso com os passageiros e estamos trabalhando para que ninguém fique sem ônibus, e muito menos sem transporte de qualidade”, disse Maisa Tobias, superintendente da Semob.

Balanço

Os números de ônibus impedidos de circular em Belém já chega a 66 coletivos e sete o de empresas que tiveram linhas cassadas: Expresso Michele, Alternativa, Viagem Bem, Via Urbana, Perpétuo Socorro, Eurobus e Transportes Pinheiro. As fiscalizações devem continuar de forma intensa e a população pode ajudar denunciando as irregularidades dos coletivos pelos canais de comunicação: fale conosco do site (www.belem.pa.gov.br/semob), twitter: @semob_bel e pelo telefone 118.

A população também pode denunciar à Semob caso observe alguns desses veículos que foram lacrados circulando pelas ruas de Belém. Para isso, a superintendência disponibiliza semanalmente a relação das placas de veículos lacrados em sua página na internet.

Operação de trânsito apreende 32 veículos irregulares 

A Operação Trânsito Seguro, realizada em diversos pontos de Belém entre a tarde de terça, 12, e a manhã de quarta-feira, 13, pela Semob, resultou na apreensão de 32 veículos irregulares.

Ao final da tarde de terça, no cruzamento da Avenida Pedro Álvares Cabral com Passagem Mirandinha, os agentes de trânsito e de transportes da Semob apreenderam 15 motos e dois veículos particulares. Já na quarta-feira, a operação teve início no bairro de São Brás, ao lado da Praça do Operário, passando à Avenida Almirante Barroso, e seguindo pela Rua Yamada, no bairro do Benguí, até terminar na Rodovia Augusto Montenegro. Ao final desse primeiro roteiro, oito vans e sete micro-ônibus com licenciamento vencido e em péssimas condições de trafegabilidade foram apreendidos.

Enquanto a operação transcorria na Augusto Montenegro, três ônibus da Viação Princesa foram flagrados trafegando com documentação irregular. Um deles, inclusive, estava com placa de Belém e documentação de Castanhal. Já na Almirante Barroso foram apreendidos quatro ônibus sem autorização para fazer a linha Marituba/São Brás.

Todos os veículos apreendidos nas operações foram encaminhados ao pátio de retenção da Semob, localizado na Estrada do Tapanã, de onde só poderão ser liberados depois que os proprietários sanarem as irregularidades e efetuarem o pagamento das taxas administrativas, como o serviço de guincho, diárias de pátio, licenciamento atrasado e as taxas referente às infrações de trânsito atrasadas, se houverem.

Por Nathalia Petta
Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (SEMOB)

READ MORE - Mais três empresas de transporte coletivo saem de circulação em Belém

Sistema BRS ganha 12 novas plataformas em Manaus

As 12 últimas plataformas do antigo sistema Expresso, rebatizado de Bus Rapid System (BRS), reformadas neste ano, foram inauguradas nesta terça-feira (12). No total, 41 plataformas receberam melhoramentos nas avenidas Constantino Nery, Torquato Tapajós, Autaz Mirim, Noel Nutels e Max Teixeira. 

Pelas plataformas da avenida Max Teixeira, por exemplo, vão passar as linhas 300, 448 e 640 até o Terminal de Integração 3 e a partir do T3 apenas as linhas 448 e 640 seguem o itinerário até o Centro.

Segundo o diretor-presidente da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho, o próximo passo a ser feito é a colocação da sinalização das faixas exclusivas e dos trechos que deverão ser compartilhados com outros veículos. 

Apesar da conclusão da reforma, Pedro Carvalho informou que não há uma data para o inicio da operação do sistema, pois o processo é gradual e necessita da adaptação da população.

O diretor destaca que os ônibus que vão trafegar pela faixa exclusiva da esquerda ganharão bastante velocidade e, com isso, o tempo de viagem será reduzido, pois essa é a principal reclamação dos usuários do transporte público.

“O importante é que se começou a priorizar o transporte coletivo, pois é isso que toda cidade grande faz porque se não vai chegar um ponto onde tudo vai parar”, disse Carvalho.

As plataformas, construídas por Alfredo Nascimento (PR), pagas por Serafim Corrêa (PSB) e abandonadas por Amazonino Mendes (PDT), nos respectivos mandatos de prefeito, começaram a ser reformadas pelo prefeito Artur Neto no ano passado e deveriam estar prontas antes da Copa do Mundo, para compor o sistema de mobilidade urbana da cidade. 

Para o prefeito Arthur Neto (PSDB), o problema de mobilidade urbana em Manaus pode ser resolvido com a implantação de uma nova tecnologia, seja o BRT ou qualquer outra, mas enquanto isso não acontece, melhorias como as reformas dos terminais, construção de um complexo viário na avenida Torquato Tapajós e a implantação das faixas exclusivas de ônibus, podem amenizar o problema.

O prefeito acrescentou ainda que é preciso fazer agora um trabalho de engenharia de trânsito, recuperação de vias, abertura de novas ruas para que esse conjunto de ações possam transformar o trânsito de Manaus.

Informações: A Crítica

READ MORE - Sistema BRS ganha 12 novas plataformas em Manaus

População de Teresina reclama de ônibus lotados, longa espera e falta de estrutura

O transporte coletivo de Teresina ainda é uma das principais reclamações da população. Longa espera, atrasos constantes e cidadãos pagando cara para enfrentar mais de uma hora espremidos em um veículo lotado é a rotina de muitos dos teresinenses. Muitos passageiros e poucos ônibus é uma equação presente que coloca em risco quem precisa do transporte coletivo.
Foto: Marco Freitas/G1
A funcionária pública Maria do Rosário afirmou que tem que acordar de madrugada para poder consegui o ônibus em tempo de chegar ao trabalho. “Eu acordo 4 horas da manhã para poder pegar ônibus vazio, pois se eu não acordar cedo quando ele passar já vai estar lotado e eu não tenho como entrar. Muitas vezes, mesmo acordando cedo, eu ainda não consigo chegar na hora certa no trabalho”, desabafou.

José Ximenes, motorista, afirmou que mesmo acordando cedo ele sempre vai lotado e em péssimas condições. “As cadeiras muitas não estão em boas condições e se perder o primeiro é ter certeza de que vai chegar atrasado ao trabalho ou na escola”, contou. Para a dona de casa Luciana Sousa é uma humilhação muito grande. “Ele sempre passa tarde, nunca passa no horário e sempre lotado, muitas vezes ele nem para na parada. É uma humilhação para nós trabalhadores e estudantes”, falou a dona de casa.

Nos ônibus lotados geralmente que sofre são as crianças e os idosos que precisam dos ônibus para se deslocar. “O ônibus fica tão lotado que a gente tem que ficar nos degraus, não tem onde se segurar, é horrível”, contou um passageiro.

Para o diretor de transporte da Strans, Ricardo Freitas, mudanças para melhor vão acontecer quando entrar em funcionamento o novo sistema de integração. “O sistema que está em vigor é um sistema falido, porque a população cresceu mais do que ele. Estamos há muito tempo tentando implantar o sistema integrado, mas temos encontrado problemas de ordem politica e ainda não conseguimos implantar. Acreditamos que no máximo em dois anos nos teremos um sistema ideal para Teresina. Além de uma renovação de frotas com novos ônibus”, contou o diretor.

READ MORE - População de Teresina reclama de ônibus lotados, longa espera e falta de estrutura

Em BH, Motoristas desrespeitam faixa excluvisa do Move

O Move, sistema de transporte rápido por ônibus, já está nas ruas há mais de cinco meses em Belo Horizonte, mas ainda há motoristas e motociclistas que não respeitam a pista exclusiva para os ônibus. É só o trânsito ficar um pouco lento na Avenida Cristiano Machado, perto do Bairro Heliópolis (foto), que muitos condutores inconformados invadem o corredor do BRT. (Gladyston Rodrigues)

Informações: Estado de Minas

READ MORE - Em BH, Motoristas desrespeitam faixa excluvisa do Move

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960