Porto Alegre: Esperada há décadas, licitação do transporte público vai atrasar

domingo, 5 de janeiro de 2014

A licitação do transporte público de Porto Alegre, postergada por décadas e prometida pelas autoridades para o final de 2013, só deve acontecer daqui a pelo menos três meses, segundo confirma o diretor–presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) Vanderlei Capelari. Os motivos são os atrasos no lançamento do edital do metrô e o julgamento de itens do cálculo tarifário no Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul (TCE-RS).

“Março é quando a gente deve concluir dois pontos importantíssimos que é a questão do edital do metrô e é quando, acredito, que será feito o julgamento do Tribunal de Contas. São os dois itens que estão atrasando a publicação do edital”, afirma Capelari, explicando que  duas ações cautelares e uma autoria especial sobre o cálculo da tarifa tramitam na corte.

Segundo ele, sem a definição dessas duas questões, o edital não pode ser concluído, uma vez que esses dois itens implicam na construção de uma tarifa para o novo sistema que integrará metrô, BRTs e ônibus.

 “Não tem como nós publicarmos um edital sem termos um modelo de planilha tarifária. Nós temos um modelo (de cálculo), mas existem muitos processos pendentes no Tribunal de Contas... inclusive uma parte do passado da tarifa de ônibus. Tem uma cautelar que gerou uma ação judicial dos empresários que operam o sistema solicitando indenização de R$ 35 milhões, de 2012, em relação a alguns itens da planilha que foram retirados pelo Tribunal de Contas”, afirma.
A relação das empresas de ônibus com a prefeitura de Porto Alegre é peculiar. Não existem contratos e o relacionamento é regrado por uma série de leis e decretos municipais. Os operadores são permissionários e desde que foi criado o sistema não passou por nenhum processo licitatório. Mas apesar do atraso, Capelari, afirma que essa situação terá fim.

“O edital está praticamente pronto, o sistema, a inclusão do BRT (Bus Rapid Transit)... Falta concluirmos a questão da tarifa de integração do metrô, que é uma peça importantíssima, até porque, como Porto Alegre tem tarifa única, precisamos ter a tarifa de integração para poder calcular a do sistema”, afirma.

Segundo o secretário a licitação será feita por menor preço por bacia (região de operação), e através da tarifa individual se chegará a tarifa única, chamada de tarifa social. Entretanto, isso só poderá ocorrer a partir do momento em que se souber qual será o preço da passagem do metrô, que ainda está em fase de projetos, mas que deve ser apresentado em março.

Por Daniel Favero
Informações: Portal Terra
READ MORE - Porto Alegre: Esperada há décadas, licitação do transporte público vai atrasar

Grande Recife: Cartão VEM Livre Acesso já beneficiou 83% das pessoas com deficiência

A troca da Carteira de Livre Acesso pelo VEM Eletrônico, que vem sendo realizada desde agosto de 2013, já beneficiou mais de 77 mil pessoas com deficiência, das 93 mil cadastradas no banco de dados do Grande Recife Consórcio de Transporte. Isso corresponder a dizer que 83% das pessoas que possuem o direito a gratuidade já estão circulando nos ônibus do Recife e Região Metropolitana com o novo cartão. Os dados foram consolidados na última quinta-feira (2) pelo Consórcio. 

A troca do documento foi uma ação conjunta entre o Consórcio, a Superintendência Especial de Apoio à Pessoa com Deficiência (Sead) e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Pernambuco (Urbana-PE), como forma de moralizar o uso do documento. A ação se estendeu até a última segunda-feira (30). Desde a terça-feira (31) que a Carteira de Livre Acesso perdeu a validade. 

Para aqueles que ainda não fizeram a troca documento, o agendamento continua sendo feito até o dia 31 de janeiro, pelo site www.vemlivreacesso.com.br ou pelo telefone 3125.7585, das 7h às 19h. Depois desse prazo, o beneficiário só poderá fazer a troca se dirigindo a sede da Urbana-PE, que fica na Rua da Soledade, nº 259, Boa Vista. No momento da troca é indispensável que a pessoa com deficiência apresente o CPF e a Carteira de Livre Acesso. Caso o deficiente tenha perdido a Carteira de Livre Acesso é necessário que ele retire a segunda via, para só então fazer a troca. 

Os cartões eletrônicos possuem um layout diferente dos demais, facilitando a identificação e fiscalização. O VEM do beneficiário será na cor azul. Para as pessoas com deficiência que tiverem direito a acompanhante, o cartão será na cor laranja. Os cartões contarão com dados como foto, nome, CPF e o tipo de deficiência. Na troca do documento será usado o cadastro já existente na Sead, que é ligada à Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos do Governo de Pernambuco. 

No momento do embarque, a pessoa com deficiência deve registrar o cartão no validador situado ao lado do cobrador e passar a catraca. Em caso de dificuldade, ela deve acomodar-se nos assentos reservados, solicitando que o cobrador gire a catraca. 

Já o cartão VEM da pessoa deficiente, que tem direito a acompanhante, deve ser utilizado para os dois passageiros. No primeiro momento, o titular do cartão passa pela catraca, registrando o seu acesso e em seguida, em até 30 segundos, o acompanhante deve fazer o mesmo procedimento. 

Balanço – Foram 4 meses de trabalho, com 77,5 mil pessoas com deficiência atendidas, sendo uma média de mil atendimentos/dia, de segunda a sábado. Cerca de 66% dos beneficiários fizeram o agendamento via internet. 

Para mais informações, os usuários devem entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente, no 0800.081.0158.

READ MORE - Grande Recife: Cartão VEM Livre Acesso já beneficiou 83% das pessoas com deficiência

Começou a funcionar a faixa exclusiva de ônibus em Macaé-RJ

A faixa exclusiva para ônibus na rodovia Norte-Sul começou a funcionar na quinta-feira (2) em Macaé, no interior do estado do Rio de Janeiro. Ela tem 7 km de extensão, entre a Fazenda Mutum e a RJ-106, no bairro Imboassica, e funcionará nos dias úteis, de 6h às 20h. O objetivo é reduzir em 30% o tempo de deslocamento nesse percurso. A faixa também será liberada para veículos de transporte escolar autorizados, táxis e carros para o transporte de deficientes.

Além da sinalização, agentes de trânsito vão orientar os motoristas nos primeiros dias da implantação da faixa exclusiva. Também há estudos para outras faixas exclusivas para ônibus na rodovia Norte-Sul, mas no sentido Imboassica-Fazenda Mutum e no Centro.

READ MORE - Começou a funcionar a faixa exclusiva de ônibus em Macaé-RJ

Metrô de Xangai passa a ser primeiro com mais de 500 km

Esta semana, a cidade de Xangai estabelece um novo recorde: com a abertura das linhas 12 e 16, a metrópole chinesa passa a ter o primeiro sistema de metrô do mundo com comprimento total superior a 500 quilômetros.

Nos próximos anos, serão adicionados mais 230 km, extensão superior à do metrô de Paris.
Enquanto Xangai atinge esta semana 567 quilômetros de trilhos em operações, Londres tem 400 quilômetros, e Nova York, 337 quilômetros.

Já o metrô de São Paulo, maior rede do Brasil, tem 74 quilômetros.

READ MORE - Metrô de Xangai passa a ser primeiro com mais de 500 km

Em Cuiabá, Secopa recebe mais quatro carros para o sistema de VLT

Quatro o novos carros do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) chegaram a Cuiabá nesta semana e já se encontram no Porto Seco, no Distrito Industrial, para desembaraço, antes de seguirem para o Centro de Manutenção e Operação do modal, localizado em Várzea Grande.

A previsão da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) é de que os veículos sejam liberados até esta sexta-feira (3).

Diferentemente do que ocorreu com a chegada do primeiro carro do VLT, que circulou por Cuiabá e Várzea Grande até ser descarregado no Centro de Manutenção, todos os demais vagões deverão partir do Porto Seco, na BR-364, direto para a Rodovia dos Imigrantes.

Cada carro é formado por sete vagões e eles aportaram no Porto de Santos (SP) na primeira quinzena de dezembro.

Agora, o Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande, responsável pela implantação do novo modal na Capital, já conta com cinco carros em solo mato-grossense.

Ao todo, o modal será composto por 40 carros, que são construídos na empresa CAF Indústria e Comércio, que compõe o consórcio.

Todos os carros deverão ser levados para o Centro de Manutenção, onde deverão passar pelos primeiros testes sobres trilhos, até que parte da via permanente seja implantada para que tenha início a fase de avaliação da operação do modal.

Os veículos estão sendo construídos na Espanha e começaram a ser enviados para o Brasil em agosto deste ano.

O VLT

Cada carro do VLT terá aproximadamente 44 metros de comprimento, com largura de 2,40 metros e altura aproximada de 3,60 metros.

Os veículos serão bidirecionais, com cabines de condução localizadas em ambas as extremidades, bem como funcionarão com velocidade contínua de 60 km/h, por até 20 horas por dia.

O projeto prevê que o modal circule por 22,2 km distribuídos em dois eixos, nas avenidas João Ponce de Arruda e FEB, em Várzea Grande, e nas avenida Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA), Fernando Corrêa da Costa, Tenente Coronel Duarte (Prainha) e XV de Novembro, em Cuiabá.

O VLT também deverá contar com três terminais de integração e 33 estações de embarque e desembarque, com distância média de 600 metros entre um ponto e outro.

Orçado em R$ 1,477 bilhão, a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos na Grande Cuiabá – bem como a construção de 12 obras de arte – está sendo realizada pelo Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande, formado pelas empresas Santa Bárbara, CR Almeida, CAF Brasil Indústria e Comércio, Magna Engenharia Ltda. e Astep Engenharia Ltda.

A obra consta na Matriz de Responsabilidades como a solução para a mobilidade urbana da Capital, no entanto, não mais ficará pronta até a realização do Mundial, tendo seu prazo de conclusão rediscutido pelo Governo do Estado.

A expectativa é de que tudo esteja funcionando até o final o próximo ano, segundo o governador Silval Barbosa (PMDB).

Por Lislaine dos Anjos
READ MORE - Em Cuiabá, Secopa recebe mais quatro carros para o sistema de VLT

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960