Linha 4 Metrô do Rio: Tatuzão é religado em Ipanema após 5 meses parado

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Cinco meses após deixar de operar devido a um acidente que abriu duas crateras na Rua Barão da Torre, em Ipanema, o tatuzão, equipamento que perfura o subsolo nas obras do metrô, foi religado ontem. Foram acionados os sistemas elétrico, eletrônico, mecânico e hidráulico da máquina, que tem 2,7 mil toneladas e 120 metros de comprimento. Responsável pela construção do trecho do metrô entre Ipanema e a Barra, o Consórcio Linha 4 Sul informou, no entanto, que a retomada das escavações ainda não tem data. O trabalho só será retomado após a "realização de testes”.

Enquanto o tatuzão esteve desligado, o consórcio fez obras de reforço estrutural do solo na região, para evitar novos afundamentos. O simples fato de o equipamento ter sido religado já deixou moradores apreensivos. A professora Claudia Chaves, da PUC, moradora da Rua Farme de Amoedo, diz que está preocupada:

— Eu não tinha medo, mas agora, depois de ficar dez dias sem telefone e sem internet devido às obras do metrô, temo pelo que pode vir. Quando eles estavam perfurando sob a Rua Barão da Torre com o tatuzão, eu ouvia, do meu apartamento, que fica a uma quadra e meia da obra, barulho de explosão. Imagina agora. Tenho medo de que a rua volte a afundar. Acredito que outros moradores de Ipanema também estejam com medo.

Já o engenheiro civil José Antônio Pessoa Araújo, de 70 anos, que mora na Rua Barão da Torre, contou que é grande a expectativa para o reinício das escavações com o tatuzão:

— Espero que agora as escavações transcorram sem problemas. Acompanhei tudo de perto, desde o início. Há pessimismo entre os moradores, mas também esperança.

Desde o acidente, apenas as escavações com o tatuzão foram interrompidas, não as demais obras da linha 4 do metrô.

Circulação está restrita em trecho da Barão da Torre

Moradora diz que equipamentos fazem toda a casa tremer

Os moradores de Ipanema e Leblon receberam um comunicado sobre o religamento do tatuzão. No aviso, o consórcio informou ainda que, devido à utilização de equipamentos pesados, a circulação de pedestres entre os número 133 e 145 da Rua Barão da Torre ficará restrita por aproximadamente 15 dias.

Morador de Ipanema há mais de 40 anos, o psicanalista Paulo Próspero, de 65, espera que os técnicos responsáveis pelos trabalhos não cometam erros. Na opinião dele, se a obra não for retomada com segurança, será um caos.

— Sou otimista. Espero que os responsáveis estejam cientes da gravidade da situação. Principalmente depois do tempo em que a obra esteve parada. A responsabilidade é grande — disse Próspero, ressaltando que não é técnico para avaliar o trabalho que vem sendo feito.

Informações: O Globo

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960