Linha de ônibus do Eixo Anhanguera é estendida para mais três cidades

domingo, 21 de setembro de 2014

Os ônibus biarticulados que cortam Goiânia através do Eixo Anhanguera começam a atender também as cidades de Trindade, Goianira e Senador Canedo, todas na Região Metropolitana. A medida começou a valer neste sábado (20). Segundo a Metrobus, que administra o serviço, o preço da passagem, de R$ 1,40, não foi alterado.

Por dia, cerca de 240 mil pessoas passam pelo Eixo. Com a extensão, o número deve aumentar em até 30% - chegando a 312 mil. A linha corta a capital do Terminal Padre Pelágio, no Bairro Capuava, até o Terminal do Jardim Novo Mundo.

O trecho até Trindade será feito pela GO-060. Os ônibus vão sair do Padre Pelágio e irão até o terminal da cidade. Para Goianira, o percurso será feito pela GO-070 até a rodoviária municipal. Já a linha que vai atender Senador Canedo sairá do Terminal do Novo Mundo e vai até o terminal do município passando pela GO-403.

Mais ônibus, menos linhas
Ao todo, 40 novos veículos integrarão a frota, sendo que 15 deles já estão no pátio da Metrobus. A previsão é de que o restante chegue até a próxima semana. Estes ônibus são diferentes dos que já circulam atualmente. Eles têm portas dos dois lados: uma suspensa para a entrada e saída das plataformas e outra com degraus para as paradas convencionais ao lado da rodovia e dos pontos finais.

Com o aumento dos veículos, quatro linhas serão extintas: a 139, em Goianira; a 255 e 625, em Senador Canedo; e a 142, em Trindade.
"Estamos preparados para esse aumento, porque estamos incrementando, nesse início, 15 novos ônibus biarticulados com o dobro de capacidade e que terão a frequência mais rápida, ou seja, menos tempo de espera para o cidadão", explica Marco Antônio Ferreira, presidente da Metrobus.

Opiniões divididas
A mudança agradou alguns passageiros que tem de passar pelo trajeto todos os dias.  “Vai tirar muito o congestionamento desses ônibus lotados, isso é muito bom", diz o auxiliar de motorista Max Wilhame.

Para a costureira Ionete de Castro, o principal benefício será não enfrentar mais veículos tão lotados. “Quando a gente vai embora é um tumulto. Acho que vai esvaziar mais os ônibus. Melhor para gente que não vai chegar tão cansada", opina.

Já para o profissional em artes gráficas Valderei Mariano, a situação deve piorar. Ele acredita que isso deixará os terminais ainda mais lotados. “De todo jeito vai ficar congestionado, só vai aumentar a extensão do percurso, facilitar para não ter que reembarcar. Mas resolver o problema do acúmulo de pessoas aqui no Eixo, nunca", afirma.

Informações: G1 GO, com informações da TV Anhanguera

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960