Teste de VLT em Natal deve começar em 60 dias

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

A primeira composição do Veículo Leve sobre Trilho (VLT) que circulará na capital potiguar já está na superintendência da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), na Ribeira, mas ainda sem data definida para entrar em circulação. Mas a expectativa do órgão é que o primeiro VLT passe a circular com passageiros, em fase teste, no prazo de dois meses, sem previsão de aumento no valor da tarifa, que custa R$ 0,50. 
Foto: Frankie Marcone

Das 14 composições adquiridas para renovação da frota ferroviária na Região Metropolitana, 12 são VLTs e dois são locomotivas tradicionais. O conjunto foi adquirido por R$ 154 milhões através do PAC Equipamentos. Além da composição do VLT, as duas locomotivas também chegaram e estão sendo testadas. 

A primeira composição do veículo leve foi apresentada ontem pelo superintendente da CBTU em Natal, João Maria Cavalcanti, que também falou sobre o projeto de modernização do sistema ferroviário potiguar.  Além desse, o segundo VLT deve chegar à cidade no fim deste mês e, posteriormente, a chegada dos outros dez com intervalo médio de dois meses entre cada um. A previsão é de que a implantação do VLT seja concluída em três anos. 

“Quanto mais veículos, são mais viagens e mais demanda. A expectativa é passar da média de 6 mil passageiros diários para 18 mil. Um estudo indica que há uma demanda reprimida de 60 mil passageiros/dia das zonas Norte e Sul”, afirma o superintendente.

Os VLTs atuarão na linha Sul (Natal/Parnamirim) e parte da linha Norte (Natal/Nova Natal). Segundo Cavalcanti, a presença em parte da linha é necessária para cumprir o intervalo prometido de 20 minutos. No restante da linha Norte, entre a estação Nova Natal e a de Ceará-Mirim, atuarão as novas locomotivas.

Dentro da modernização do sistema na Grande Natal, o pré-projeto elaborado pela CBTU prevê reparos das 22 estações da década de 1980, criação de outras oito, manutenção e substituição de parte dos trilhos e dos dormentes (apoio para as linhas férreas). A expectativa do órgão é que a implantação das novas estações torne o sistema ferroviário mais acessível à população, deixando-a mais visível e próxima às paradas de ônibus e corredores viários. “O sistema de ônibus está saturado e o sistema de trem, transporte de massa de grande capacidade, pode ajudar a diminuir a demanda de veículos”, disse o superintendente.


Devem ser feitos ainda viadutos ou túneis, nos cruzamentos da ferrovia com as avenidas João Medeiros Filho, Mário Negócio, Bernardo Vieira, e Capitão Mor Gouveia. Esses equipamentos para os automóveis visam dar mais celeridade ao tráfego dos dois tipos de veículo, mas, de acordo com a companhia, independe da implantação do VLT.

Essas demandas serão entregues à empresa vencedora da licitação, em fase de conclusão, para elaborar o projeto executivo dentro do prazo inicial de um ano. A expectativa de João Maria Cavalcanti é que os serviços durem dois anos. Para esse projeto e obras, a CBTU garantiu R$ 311,65 milhões através do PAC Mobilidade Grandes Cidades. 

Desse total voltado à reestruturação da rede, foram liberados R$ 53 milhões para pagar o projeto e parte do material a ser adquirido para substituição. Cavalcanti garante que os reparos a serem feitos, mesmo na linha, não impedem o funcionamento normal da rede. “Os trens e VLTs não vão parar de rodar por causa das obras. Esse pode ser feito com eles em circulação”. 

O que é VLT?
O Veículo Leve sobre Trilho (VLT) é um equipamento de transporte mais moderno que as tradicionais locomotivas férreas. Similar aos ônibus, o VLT é mais leve que as locomotivas em uso, em Natal. Serão compostas por três vagões, cada uma com capacidade para 200 passageiros, podendo transportar até 600 pessoas de uma vez. O VLT também se diferencia por ser bimotor e, por ter um em cada ponta, não precisa fazer curvas, indo para frente e para trás. Serão climatizados e, de acordo com a CBTU, passarão nas estações a cada 20 minutos.

Novas estações
Na modernização, serão implantadas oito novas estações na Região Metropolitana de Natal:

BR-101 Sul, próximo ao viaduto de Parnamirim
BR-101 Norte, próximo à fábrica da Ambev
Próximo à avenida das Fronteiras, na zona Norte
Estação Baldo, próximo ao Passo da Pátria
Estação próximo aos shoppings Estação e Norte Shopping
Estação no Bairro Nordeste
Estação próximo à Lagoa de Extremoz

Unificação das atuais duas paradas do Alecrim, uma para cada linha

Números 
R$ 154 milhões do PAC Equipamentos foram usados para aquisição de 12 VLTs e duas locomotivas.
R$ 311,65 milhões do PAC Mobilidade Grandes Cidades para reparos e modernização da rede ferroviária.
600 passageiros poderão ser transportados por VLT.
8 novas estações serão construídas na Grande Natal.
22 é o número de estações existentes na rede da CBTU Natal.
6 mil é a média de passageiros transportados diariamente.
18 mil é a projeção de passageiros/dia transportados quando implementados os quatro VLTs.
60 mil é a projeção de passageiros/dia, incluindo transporte pelas tradicionais locomotivas.
1.545.298 passageiros transportados em 2013.
1.126.629 passageiros transportados em 2012.
1.853.048 passageiros transportados em 2011.

Por Pedro Andrade
Informações: Tribuna do Norte

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960