Mais três empresas de transporte coletivo saem de circulação em Belém

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Por apresentarem péssimas condições de trafegabilidade e baixa qualidade na prestação de serviços de transporte à população, mais três empresas foram retiradas definitivamente do sistema de transporte público de Belém: Expresso Michele, Via Urbana e Viagem Bem. Todas elas já estavam com suas permissões cassadas pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), já que estavam descumprindo as ordens de serviço que determinam os horários de saída e itinerários de cada veículo. A operação que resultou na suspensão dos serviços aconteceu na noite de terça-feira, 12.

“A ida até as garagens das empresas era para checar as condições dos coletivos. Apenas constatamos o que já sabíamos: as empresas possuem veículos em condições precárias de trafegabilidade e não podem mais circular”, disse o coordenador de fiscalização de transporte da Semob, Márcio Bello.

Na garagem das empresas Via Urbana e Expresso Michelle não existia ninguém e as portas da empresas foram lacradas. Na empresa Viagem Bem, em Benevides, oito coletivos foram vistoriados e nenhum tinha condições de operar. “Elevadores para deficientes que não funcionam, pneus carecas, vidros quebrados, carros sujos e sem condições de trafegabilidade foram algumas das irregularidades que encontramos. Isso apenas ratifica que a empresa não tem condições de operar, como já prevíamos”, completou Márcio.

A população não ficará desamparada quanto ao serviço de transporte porque a maioria dos coletivos dessas empresas sequer circulavam, ou seja, já não estavam atendendo à demanda da população, e outras empresas que compartilhavam as linhas já tinham assumido as operações. “As linhas que estas empresas operavam já haviam sido absorvidas anteriormente por outras empresas. Temos compromisso com os passageiros e estamos trabalhando para que ninguém fique sem ônibus, e muito menos sem transporte de qualidade”, disse Maisa Tobias, superintendente da Semob.

Balanço

Os números de ônibus impedidos de circular em Belém já chega a 66 coletivos e sete o de empresas que tiveram linhas cassadas: Expresso Michele, Alternativa, Viagem Bem, Via Urbana, Perpétuo Socorro, Eurobus e Transportes Pinheiro. As fiscalizações devem continuar de forma intensa e a população pode ajudar denunciando as irregularidades dos coletivos pelos canais de comunicação: fale conosco do site (www.belem.pa.gov.br/semob), twitter: @semob_bel e pelo telefone 118.

A população também pode denunciar à Semob caso observe alguns desses veículos que foram lacrados circulando pelas ruas de Belém. Para isso, a superintendência disponibiliza semanalmente a relação das placas de veículos lacrados em sua página na internet.

Operação de trânsito apreende 32 veículos irregulares 

A Operação Trânsito Seguro, realizada em diversos pontos de Belém entre a tarde de terça, 12, e a manhã de quarta-feira, 13, pela Semob, resultou na apreensão de 32 veículos irregulares.

Ao final da tarde de terça, no cruzamento da Avenida Pedro Álvares Cabral com Passagem Mirandinha, os agentes de trânsito e de transportes da Semob apreenderam 15 motos e dois veículos particulares. Já na quarta-feira, a operação teve início no bairro de São Brás, ao lado da Praça do Operário, passando à Avenida Almirante Barroso, e seguindo pela Rua Yamada, no bairro do Benguí, até terminar na Rodovia Augusto Montenegro. Ao final desse primeiro roteiro, oito vans e sete micro-ônibus com licenciamento vencido e em péssimas condições de trafegabilidade foram apreendidos.

Enquanto a operação transcorria na Augusto Montenegro, três ônibus da Viação Princesa foram flagrados trafegando com documentação irregular. Um deles, inclusive, estava com placa de Belém e documentação de Castanhal. Já na Almirante Barroso foram apreendidos quatro ônibus sem autorização para fazer a linha Marituba/São Brás.

Todos os veículos apreendidos nas operações foram encaminhados ao pátio de retenção da Semob, localizado na Estrada do Tapanã, de onde só poderão ser liberados depois que os proprietários sanarem as irregularidades e efetuarem o pagamento das taxas administrativas, como o serviço de guincho, diárias de pátio, licenciamento atrasado e as taxas referente às infrações de trânsito atrasadas, se houverem.

Por Nathalia Petta
Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (SEMOB)

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960