No Recife, Via Mangue absorve 40% dos veículos com destino à Zona Sul

domingo, 13 de julho de 2014

Um mês após ser inaugurada, a Via Mangue, por bem ou por mal, alterou a rotina de grande parte das pessoas que circulam pela Zona Sul do Recife. Em geral, motoristas, passageiros de ônibus e pedestres destacam a redução do tempo gasto no trânsito como o maior benefício da nova via, aberta à circulação no último dia 13 de junho. De acordo com a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), a Via Mangue já absorve mais de 40% dos veículos que antes passavem pela Avenida Domingos Ferreira, em Boa Viagem. Apesar da melhoria, principalmente na área do Pina, recifenses elencam a destruição de parte da flora e o engarrafamento em vias que antes não tinham o trânsito tão pesado como alguns dos problemas trazidos pelo corredor expresso de R$ 431 milhões.
Foto: Vitor Tavares G1 PE
As mudanças que a Via Mangue trouxe para a Zona Sul são mais sentidas no horário de pico, entre as 17h e 19h. Antes da abertura da pista, o engarrafamento tomava conta praticamente de toda a extensão da Domingos Ferreira.  Normalmente, o período entre junho e julho é de férias escolares e, neste ano, contou com muitos feriados por conta da Copa do Mundo, mas o alívio no tráfego é percebido por muitos motoristas. “Eu mesmo não ando mais pela Domingos. Antes eu levava mais de 30 minutos do Shopping RioMar até a Pracinha de Boa Viagem, em horários normais. Agora, não levo 12 minutos”, contou o taxista de Jaboatão Adelmo Barros.

Com 4,5 quilômetros de extensão, o corredor não possui semáforos nem cruzamentos. A previsão inicial da Prefeitura era realizar todo o percurso (Pina-Boa Viagem) em menos de 10 minutos, no máximo a 60 quilômetros por hora, já que a via é monitorada por câmeras de segurança. Nesse primeiro mês, quando a média de veículos circulando na cidade foi menor que o normal, segundo a CTTU, foram registrados 28.000 veículos por dia na Avenida Domingos Ferreira. Na Via Mangue, estão circulando cerca 19.000 veículos diariamente, quase 41% dos carros que, anteriormente, faziam o percurso pela outra avenida. Essa porcentagem é maior do que a registrada nos primeiros dias da Via Mangue, quando a média de veículos era de 15.000 por dia.

De acordo com a presidente da CTTU, Taciana Ferreira, o balanço no primeiro mês de funcionamento é positivo. Entretanto, a análise de impacto só poderá ser concluída mesmo no mês de agosto, quando se encerram as férias escolares. "No conjunto de circulação do território sul, a Via Mangue é positiva, sem dúvidas. Principalmente porque ela deu a possibilidade de  implantação da Faixa Azul da Domingos Ferreira e se tornou mais uma alternativa para quem segue para Boa Viagem. As pessoas ganharam muito em tempo de viagem", contou. Sem a nova avenida, a instalação da faixa exclusiva de ônibus seria comprometida, devido às grandes retenções que serão identificadas na área.

Por Vitor Tavares

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960