Em Curitiba, Passageiros já percebem melhorias no Terminal Santa Cândida

terça-feira, 22 de julho de 2014

A entrega da primeira etapa das obras de reforma e ampliação do Terminal Santa Cândida, nesta semana, já permite aos passageiros ter uma boa ideia das mudanças que estão a caminho. O terminal terá a área ampliada de 8,6 mil para 12,6 mil metros quadrados e ganhará uma nova área comercial, com espaço para carga e descarga de mercadorias, nova iluminação, paisagismo e acessibilidade.

Quem usa o terminal diariamente já percebeu uma das principais alterações: o fim das plataformas elevadas para embarque e desembarque dos ônibus biarticulados. O passageiro não precisa mais subir degraus para ficar no nível da porta de embarque ou, ao desembarcar do ônibus, descer os degraus da plataforma. Agora é o ônibus que se posiciona na altura do piso do terminal – o que foi possível com a implantação da pista do ônibus em desnível, permitindo a abertura das portas no mesmo nível do cidadão.

Além de mais confortável e seguro, o local de embarque e desembarque nos biarticulados também ficou maior, passando de 3,5 para 7 metros de largura. O piso, antes emborrachado sobre uma estrutura de metal, agora é de lajotas antiderrapantes e com faixas em relevo padronizado, para apoio na orientação a pessoas com deficiência visual.

Como o terminal ainda está em obras, toda a operação está concentrada em uma ala, o que permite acesso da plataforma do biarticulado para a área de embarque e desembarque dos ônibus alimentadores. Quando as obras estiverem prontas, também a ala dos alimentadores será maior e mais confortável.

Eliane Demarqui, que na manhã desta quarta-feira aguardava, com a filha no colo, o embarque no biarticulado Santa Cândida/Capão Raso, aprovou a nova plataforma. "Ficou bem mais seguro, mais fácil, principalmente para quem tem criança, para cadeirantes e idosos. Quando a obra terminar vai ampliar muito, melhorar mais, mas já está mais fácil para pegar o ônibus", afirmou.

Além da plataforma maior e mais confortável, a abertura desta ala permitiu que o biarticulado voltasse a fazer uma primeira parada para desembarque e, alguns metros à frente, uma segunda para embarque, o que evita aglomerações e dificuldades tanto para quem está saindo quanto para quem vai entrar no ônibus.

"Está ficando muito bom, eu gostei, não precisa subir e descer escada, agora está mais organizado", disse a estagiária de Direito Camila Greicy Gonçalves, que utiliza o terminal diariamente.

Trabalhando como atendente de portaria em um condomínio em Curitiba, Manoel Ferreira de Almeida, que mora em Colombo, diz que a primeira melhoria a destacar no terminal é a acessibilidade. "Ficou bom para cadeirantes e idosos, principalmente, mas já ficou melhor para todo mundo. Acho que quando as obras terminarem vai ficar muito bom mesmo. Tomara que do lado de lá fique como aqui", afirmou.

O lado de lá a que Almeida se refere é a ala do terminal que fica de frente para a Avenida Mascarenhas de Morais que, em função das obras, teve nesta semana uma faixa bloqueada para o trânsito, com passagem exclusiva dos ônibus. Como do lado que já está pronto, a outra ala também terá acessos mais amplos, com mais acessibilidade e conforto.

Área comercial

Os espaços comerciais, que até aqui funcionavam no meio do terminal, vão passar para o subsolo, onde está sendo construído um túnel de ligação entre as duas alas. Na parte de cima só vai funcionar o Armazém da Família, que terá um espaço diferenciado, maior e com mais conforto para funcionários e clientela.

No subsolo, onde ficará concentrada a área comercial, os veículos que transportam as mercadorias também terão espaço para estacionar, sem ligação, como ocorria antes, com a área de operação dos ônibus.

Pelo Terminal Santa Cândida passam, por dia, 40 mil usuários do transporte coletivo. Ali param as linhas do circular Interbairros III; o biarticulado Santa Cândida/Capão Raso e o Ligeirinho Santa Cândida/Pinheirinho, além de nove linhas alimentadoras, que fazem a ligação do terminal com os bairros.

As obras de reforma e ampliação do terminal foram paralisadas em 2012 e retomadas no ano passado, com melhorias no projeto original e novo cronograma que prevê a conclusão até o fim deste ano.

Informações: URBS

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960