Governo Federal libera 456,3 milhões para mobilidade em Santos

domingo, 29 de junho de 2014

A presidente da República Dilma Rousseff (PT) anunciou em Santos, no início da tarde desta quinta-feira, a inclusão no PAC 2 - Mobilidade Urbana do projeto de implantação do Sistema Metropolitano de Transporte Público, que prevê um corredor de ônibus entre a Cidade e São Vicente, contemplando o acesso por túneis entre os dois municípios.

O investimento é de R$ 456,3 milhões para a implantação do projeto, que terá 50% dos recursos a fundo perdido e o restante financiado pela Prefeitura de Santos. A quantia integra um montante de R$ 481,4 milhões do PAC 2, que dispõe de mais de R$ 50 bilhões de investimentos em mobilidade urbana.

O anúncio ocorreu no Teatro Coliseu, no Centro, em evento fechado para convidados e jornalistas.Estiveram presentes à solenidade o vice-presidente Michel Temer (PMDB) e o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), além de ministros, deputados estaduais e federais, e prefeitos das cidades da Baixada Santista, entre eles o de São Vicente,  Luis Claudio Bili (PP), e o de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB).

Ligação entre cidades

O Sistema Metropolitano de Transporte Público vai garantir a implantação, dentro do túnel entre as duas cidades, de um corredor de ônibus, por meio de faixa exclusiva, com percurso total de 18 quilômetros. O objetivo é ligar as Zonas Leste e Noreste pelo bairro do Marapé à Vila São Jorge, próxima a São Vicente.

Hoje, a ligação entre as duas Cidades possui apenas duas rotas limitadas geograficamente. A primeira passando pela orla da praia e a segunda pelo Centro de Santos.

Os dois túneis serão construídos no maciço central da Ilha, no Morro do Marapé, de 1,35 quilômetro de extensão cada, e uma passagem inferior no entroncamento da Avenida Nossa Senhora de Fátima com a  Avenida Divisória, divisa entre Santos e São Vicente. Cada um dos túneis terá três faixas, sendo uma para exclusiva para ônibus.

Além disso, a obra conta com a reconstrução/alargamento de pontilhões sobre canais de drenagem. O empreendimento também prevê baias para a parada dos ônibus de pavimento rígido e em alguns trechos haverá a alteração dos sentidos das vias e implantação de corredores binários.

Durante o anúncio, a presidente Dilma Rousseff disse que "essa é de fato uma obra fundamental, em sentido estratégico, para facilitar a vida das pessoas". "Serão três faixas, uma só para transporte público coletivo. No passado, Santos era uma cidade e São Vicente outra. Precisamos de projetos que resolvam a vida das pessoas. Hoje é um absurdo deixarmos as duas regiões segregadas. Acredito que o corredor seja algo fundamental para a região".

Ainda de acordo com a presidente, "no caso da mobilidade urbana, nós colocamos R$ 143 bilhões para ter condições de garantir que em nove cidades desse país nós temos metrôs sendo construídos, nas nove maiores regiões metropolitanas desse país e nos estados da federação. Temos quilômetros e quilômetros de BRTs, quilômetros e quilômetros de corredores exclusivos, VLTs, monotrilhos, ônibus articulados que nós financiamos também e, sem sombra de dúvidas, os trens interurbanos. Ttodo esse cenário de presente e futuro que temos prepara a região para o que está por vir. Temos muitos desafios e a necessidade de investir em mobilidade urbana", afirmou.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960