Prefeitura de São Paulo vai separar bilhetes Mensal e Semanal

segunda-feira, 12 de maio de 2014

A Prefeitura de São Paulo vai lançar nos próximos dias um cartão exclusivo para o Bilhete Único Semanal. Implantada em 5 de abril, a opção pela cota de sete dias ainda é compartilhada, no mesmo cartão, com o plano de 30 dias (Bilhete Único Mensal) e exige cadastro no site da SPTrans (sptrans.com.br). 

Se usar somente ônibus, o usuário cadastrado paga R$ 38 por semana. No caso da integração dos coletivos com o Metrô e trens da CPTM, o passageiro desembolsa R$ 60. Nos dois casos, os estudantes pagam a metade. 

O novo cartão vai dispensar o cadastro do usuário, porém, o valor será um pouco mais caro. Em março, o secretário de transportes Jilmar Tatto disse que o preço seria de R$ 48, além de R$ 3 pela compra da tarjeta (R$ 51 no total). A pasta acredita que os turistas vão preferir esse tipo de cartão, mesmo sendo de valor mais alto. 

“Um turista que vem para uma semana vai preferir não se cadastrar e pagar um pouco mais”, destacou o secretário Tatto, em março.

Vale mencionar que o usuário que possui Bilhete Único Mensal não precisa se cadastrar outra vez para usufruir da opção semanal. Basta, na hora de realizar a recarga, solicitar o uso por sete dias. Também há outras duas opções no mesmo cartão: vale-transporte e comum.

Recarga/ A recarga pode ser feita nos postos de venda ou pela internet, na loja virtual da SPTrans (https://lv.sbe.sptrans.com.br).

O novo bilhete só é vantajoso financeiramente para quem faz mais de 13 viagens na semana. Ele vale por sete dias a partir da primeira utilização. Durante 30 minutos ele fica travado e nos coletivos não será permitido em uma mesma linha e sentido por duas vezes durante uma viagem. A restrição visa coibir a transferência do cartão entre usuários diferentes que estão juntos no ônibus.

O Bilhete Único Semanal também contemplará a modalidade diária, porém, os valores ainda não foram definidos, conforme a SPTrans.

86 mil utilizaram a cota mensal de novembro até abril

O número de passageiros que optaram pelo Bilhete Único Mensal ainda está longe das metas da Prefeitura.  Em novembro, quando a modalidade foi lançada, Jilmar Tatto disse que 862 mil usuários gastavam mais comprando bilhetes unitários do que as tarifas mensais. Esse seria o público-alvo. Segundo a SPTrans, 631 mil pessoas aderiram ao novo cartão até abril. Porém, somente 86 mil optaram pela cota mensal.

Passageiros afirmaram que o preço não é atrativo. “Para mim não compensa, nem o semanal nem o mensal. Faço duas viagens por dia só”, disse a auxiliar de escritório, Juliana Melo, 20 anos. A opinião é compartilhada com o estudante Luís Felipe Graciano. “Não é vantajoso”, destacou. 

A SPTrans informou que  o número deve seguir crescendo. “Essa tendência pode ser verificada pela quantidade crescente de usuários que utilizam a cota mensal”, destacou.

Por Ulisses de Oliveira

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960