Após paralisação, Ônibus no Rio voltam a circular

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Após as 24 horas da paralisação dos rodoviários que causou muito transtorno para quem dependia do transporte público no Rio, nesta sexta-feira (9) os passageiros encontraram o funcionamento normal dos ônibus, trens e o BRT Transoeste.

O movimento de ônibus e passageiros no Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca, Zona Oeste, era tranquilo nesta manhã. Na Central do Brasil, no Centro, várias linhas de ônibus trafegavam sem problemas. A Rio Ônibus informou que as empresas fizeram um mutirão para arrumar os veículos que tinham sido depredados.

Os ônibus do BRT Transoeste também rodavam sem qualquer tipo de problema. Na Rodoviária de Campo Grande o fluxo de passageiros era tranquilo no período. Cerca de 40% das linhas do BRT não rodaram na quinta-feira e o tempo de espera dos passageiros chegou a quase duas horas.

O metrô e os trens estavam circulando com intervalos regulares nesta sexta. A plataforma da SuperVia em São Cristóvão estava movimentada por volta das 6h50. Segundo os passageiros que usam o transporte, as composições estavam mais cheias porque a população ficou com receio de ter problemas pelo segundo dia consecutivo com a falta de ônibus. Na quinta-feira, a SuperVia operou com capacidade máxima para atender ao aumento da demanda; segundo a empresa, o movimento foi 8% maior do que é registrado na média por dia.
Paralisação de 24 horas dos rodoviários terminou com 467 veículos depredados e uma trocadora ferida (Foto: Daniel Silveira/G1)

Paralisação dos rodoviários
Os Motoristas e cobradores questionam o acordo firmado entre o Sindicato dos Rodoviários e as empresas de ônibus em março. A categoria ganhou um aumento de 10% no salário retroativo a abril e o salário base do motorista passou para cerca de R$ 1.950. Os rodoviários também tiveram um reajuste de 40% no valor da cesta básica, que subiu para R$ 140.

Os grevistas, no entanto, querem um aumento de 40% no salário — passariam a receber quase R$ 2,5 mil, além de cesta básica de R$ 400. Outra reivindicação é o fim da dupla função, onde motoristas também trabalham também como trocadores. Segundo eles, o sindicato não consultou a categoria ao aceitar o acordo com as empresas.

A paralisação de rodoviários deixou 467 ônibus depredados e uma trocadora ferida, segundo a Rio Ônibus. As principais avarias foram quebra de parabrisas, janelas, retrovisores e portas. A área mais afetada foi a Zona Oeste, incluindo Barra e Jacarepaguá.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960