Velocidade média dos ônibus de São Paulo sobe 45% após criação de faixas exclusivas

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Levantamento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) aponta que a velocidade média dos ônibus de São Paulo subiu 45,7% após a implantação dos primeiros 77 trechos de faixas exclusivas para o transporte coletivo. Segundo a CET, num universo de cerca de 60 quilômetros, o desempenho médio dos ônibus passou de 14,3 km/h para 20,8 km/h - para o cálculo, foram desconsiderados os trechos de vias segregadas inferiores a 300 metros.

Em cada uma das faixas pesquisadas a medição foi feita uma semana antes da implantação da faixa exclusiva e ao longo da primeira semana de ativação do trecho. Um dos pontos com melhor resultado é a faixa exclusiva da avenida Dr. Arnaldo, inaugurada no dia 10 de julho. Uma semana antes, a medição da CET realizada nos horários de pico da manhã e da tarde apontou uma velocidade média de 6 km/h, entre a rua Cardoso de Almeida e 180 metros após a rua Teodoro Sampaio. Na semana seguinte, após a implantação da faixa, a velocidade subiu para 14,5 km/h, um aumento de 143,7%.


"Conseguimos imprimir grande velocidade às faixas. Chegamos a imprimir 48% de incremento da velocidade, superamos a marca de 20 km/h de média. Então isso mostrou para o morador de São Paulo que ele pode contar com o transporte público. Isso equilibrou o jogo que estava muito desequilibrado a favor do transporte individual motorizado", afirmou o prefeito Fernando Haddad.

Pesquisa feita a pedido da prefeitura aponta que as faixas exclusivas têm a aprovação da maioria dos paulistanos. Segundo a pesquisa do Ibope encomendada pela Rede Nossa São Paulo, 93% dos 805 entrevistados disseram ser a favor da iniciativa. Entre os usuários frequentes de carro, a aprovação chega a 86%. Os resultados coincidem com uma pesquisa do Datafolha sobre o mesmo tema, que registrou aprovação de 88% dos 823 entrevistados, sendo que 77% estão entre os que mais utilizam automóveis.

"Precisamos reorganizar o trânsito de São Paulo e a implementação das faixas é uma forma de dar valor e regularidade às linhas de ônibus da cidade. Justamente por isso, faixas exclusivas e corredores têm de ser encaradas como um lugar sagrado para os ônibus", afirmou o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto.

Informações: Portal Terra

Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP
READ MORE - Velocidade média dos ônibus de São Paulo sobe 45% após criação de faixas exclusivas

Aprovado passe livre nos ônibus intermunicipais para estudantes gaúchos

A Assembleia Legislativa gaúcha aprovou, nesta tarde, a concessão de passe livre no transporte coletivo intermunicipal para estudantes de baixa renda de quatro regiões do Estado: aglomerações urbanas do Litoral Norte, Nordeste e Sul, além da Região Metropolitana de Porto Alegre. 
Foto: Cristiano Goulart  / Rádio Gaúcha
Ao todo, 63 municípios são atingidos pelo projeto. A sessão que aprovou a proposta encaminhada há pouco mais de um mês pelo Executivo estadual durou cerca de quatro horas, sob muita discussão entre a base governista e a oposição. Também teve empurra-empurra entre estudantes que acompanharam a votação no plenário, que precisou ser contido pelos seguranças da Casa. 


No final, as quatro propostas de emendas encaminhadas pela oposição foram rejeitadas e os 52 deputados presentes na sessão aprovaram o projeto do Piratini. O líder da base governista no legislativo, o deputado Valdeci Oliveira (PT), acredita que a partir do próximo mês os estudantes já poderão contar com a gratuidade nos ônibus intermunicipais:

- Pelo que nós aprovamos da lei, principalmente pelo que já foi possível, deverá entrar em vigor a partir de 1º de outubro. Os demais, após a regulamentação, serão abertos editais e os convênios vão acontecendo conforme os municípios forem se credenciando - afirma.

Para utilizar a gratuidade, a renda familiar dos estudantes não poderá ser superior a um salário mínimo e meio per capita. Os usuários que se enquadrarem nos critérios exigidos para a concessão do passe livre, só poderão fazer duas viagens por dia isentas de pagamento. 

O projeto aprovado também estabelece a criação do Fundo Estadual do Passe Livre, que terá a finalidade de custear o repasse de recursos aos municípios que aderirem à gratuidade no transporte. Este fundo será gerido pela Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan). Com a provação do projeto, o governador Tarso Genro tem agora quinze dias úteis para sancioná-lo.

Informações: Rádio Gaúcha
READ MORE - Aprovado passe livre nos ônibus intermunicipais para estudantes gaúchos

Em BH, Painéis "enganam" passageiros com tempo de espera

Os painéis eletrônicos instalados nos pontos de ônibus de Belo Horizonte deveriam mostrar aos usuários quanto tempo falta para o coletivo chegar. Mas nem todos os pontos têm o equipamento instalado e, nos que têm, não é difícil encontrar gente reclamando.

— Eu não confio. Já esperei mais de uma hora.

A instalação do Sistema Inteligente de Transporte Coletivo deveria ter sido concluída em 2011, mas apenas 81 dos 1.200 equipamentos previstos para a capital foram instalados. A informação do painel eletrônico é simples: do lado esquerdo, a linha, e do direito, o tempo previsto para a chegada.

O que os passageiros reclamam é que os ônibus nunca chegam no horário previsto.

— Tem mais de 40 minutos que eu estou aguardando. Acho que o painel não tem culpa não, são poucos ônibus na linha.

Para o consultor de transportes Silvestre Andrade, a informação é fundamental.

— Ele diminui a ansiedade das pessoas e, mesmo que atrase por problemas que não do próprio ônibus, as pessoas vão estar informadas e sabem que ele está vindo.

A BHTrans informou que o sistema tem o objetivo de melhorar a segurança, regularidade, pontualidade e confiabilidade no transporte coletivo da capital. Para os passageiros, o objetivo não está sendo cumprido.

— Se colocasse em prática, viesse no horário certinho seria ideal.

Informações: R7 Minas

READ MORE - Em BH, Painéis "enganam" passageiros com tempo de espera

Na Grande Vitória, Linha com acesso aos Hospitais de Vila Velha já está em funcionamento

A partir desta semana, o usuário do sistema Transcol já conta com mais uma linha de ônibus. A linha 636 (T. Itaparica/T. Vila Velha - Via Santa Mônica/ Soteco) começou a circular no último domingo (15) e promove o acesso aos principais hospitais de Vila Velha.

Agora os usuários possuem maior facilidade para se deslocarem ao Centro Regional de Especialidade (CRE), Hospital Vila Velha e Hospital Infantil e Maternidade de Vila Velha (Himaba). 


O objetivo é atender a demanda dos passageiros que precisam utilizar os serviços dos hospitais. Além disso, a linha 636 também passa pelo Pólo de Confecções Santa Mônica, Instituto Federal de Educação (Ifes) e a Fábrica de Chocolates Garoto.

A frota conta com três veículos nos dias úteis e aos finais de semana, possui intervalos programados de 30 minutos. Segundo o diretor de Planejamento da Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória (Ceturb-GV), José Carlos Moreira, a criação da linha foi realizada por meio de levantamentos sobre a demanda de passageiros.

“Ao realizarmos estudos sobre a real demanda dos passageiros a esses locais, vimos à necessidade de uma linha que suprisse essa questão. Buscamos proporcionar ao usuário um percurso facilitado a esses destinos”, explica José Carlos Moreira.

A linha, que sai do terminal de Itaparica com destino ao terminal de Vila Velha, também tem em seu itinerário os bairros de Praia das Gaivotas, Santa Mônica, Cristóvão Colombo e Soteco.

Os usuários já podem consultar o horário e itinerário completo da linha 636 no site da Ceturb-GV (www.ceturb.es.gov.br) ou entrando em contato com o Disque Ceturb pelo 0800 039151).

Informações: Ceturb ES
READ MORE - Na Grande Vitória, Linha com acesso aos Hospitais de Vila Velha já está em funcionamento

Bilhete Único facilita deslocamentos com o transporte público de Campinas

O Bilhete Único é um cartão individual, intransferível (não pode ser utilizado por outra pessoa) e inteligente, que armazena créditos em dinheiro para o pagamento de passagens de ônibus. Com o cartão, o usuário pode fazer integrações, ou seja, utilizar os veículos do transporte público coletivo municipal (Sistema InterCamp) pagando somente uma tarifa, no período de 2h, todos os dias da semana.

O conceito adotado pelo Bilhete Único é o da integração temporal, sem restrição de uso no sistema, proporcionando economia. Além disso, o uso do cartão evita o pagamento da tarifa com dinheiro, aumentando a segurança dos usuários e operadores; e proporcionando maior agilidade operacional.


Para fazer o Bilhete Único Comum, a pessoa, munida de um documento com foto, pode ir aos postos administrados pela Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc). A sede da empresa fica na Rua Onze de Agosto, 757, no Centro. Também há postos nos terminais urbanos de Barão Geraldo, Campo Grande, Central, Mercado, Metropolitano e Ouro Verde. O cartão fica pronto na hora, sem nenhum custo.

Postos de recarga
Os usuários do Bilhete Único encontram postos de recarga do cartão, credenciados pela Transurc, em casas lotéricas, padarias, lanchonetes, farmácias, açougues, bancas de jornais e revistas, e outros estabelecimentos comerciais, espalhados por toda a cidade.

Para saber sobre os postos de recarga, o usuário pode acessar o site da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), no endereço eletrônico www.emdec.com.br, seção “Transporte”, “Bilhete Único”, “Postos de recarga”. Ou no site da Transurc (www.transurc.com.br).

Informações: Emdec
READ MORE - Bilhete Único facilita deslocamentos com o transporte público de Campinas

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960