No Recife, Novo Terminal Tancredo Neves é alvo constante de reclamações

domingo, 19 de maio de 2013

Um terminal que não entrou no gosto da população, reclamações já faz parte do cotidiano dos que usam este terminal todos os dias, e não é por conta apenas do terminal, mas principalmente pelas vias de acesso ao terminal que irritam e muito os usuários.

Não é conto de história, mas bem que poderia ser uma com um final diferente, o que está acontecendo hoje com quem precisa ir ao novo Terminal Integrado Tancredo Neves é mais ou menos igual, pois o terminal é totalmente confortável, seguro e acessível para pessoas com deficiência entre outros. Porém as escadas rolantes do terminal continuam quebradas e a da Estação do Metrô ainda nem sequer foi instalada.
Tão perto, tão longe. população pede a entrada imediata no terminal após descida do viaduto.

Mas a insatisfação dos usuários hoje é com relação a perca de tempo para chegar ao terminal e consequentemente a seus destinos, pois o que antes se fazia com apenas um ônibus, agora os usuários precisam integrar para chegar a seus destinos.


Mas o que de fato tem incômodado os usuários são as vias de acesso ao terminal, pois o excesso de contornos nos quarteirões faz com que muitos percam a paciência. Muitos ônibus ficam presos nessas ruas sem sinalização, na qual deixa claro uma falta de planejamento no início da operação deste equipamento.
''Arrodeios' - Ônibus perdem tempo neste formato atual, além da falta de planejamento , faltou sinalização no formato atual que desagrada e muito motoristas e usuários.
"É preciso rever as vias de acesso deste terminal, pois construíram um castelo e esqueceram de implantar a ponte", diz Gilson da Tancredo, presidente de uma das comunidades atendidas.

A usuária Genilúcia, moradora da UR-03 no Ibura, critica o acesso, ela relata que para ir ao trabalho, é preciso passar pelo mesmo local (Rua João Fontes) duas vezes, na chegada e na saída do terminal.

E o que falar das linhas alimentadoras que ficam presas nos engarrafamentos da Av. Dois Rios e Av. Recife.

Fica claro que os usuários hoje precisam de eficiência no transporte coletivo e que apenas conforto não atrai usuários, é preciso rever as vias de acesso, pois de fato muitos usuários estão gastando mais tempo para chegar a seus destinos.
Ônibus já cheios esperando saída deixando usuários ainda mais iiritados
Também ficou claro que algumas linhas precisam ser revistas nos horários de pico como por ex: Tancredo Neves/Cde da Boa Vista, Tancredo Neves/Príncipe e Tancredo Neves/Aeroporto que estão com horários incompativeis com a demanda, ou seja, os ônibus enchem de passageiros e continuam parados esperando o horário de saída, lamentável.

Blog Meu Transporte
READ MORE - No Recife, Novo Terminal Tancredo Neves é alvo constante de reclamações

No Rio, Ônibus do BRT têm botão de ataque contra assaltantes

A Fetranspor está investindo em tecnologia para dar mais segurança às cerca de cem mil pessoas que utilizam diariamente o BRT.

Além das duas câmeras internas e uma externa acopladas em cada um dos 91 veículos articulados que compõem a frota, e outras dezenas instaladas nas 44 estações, botões de pânico foram instaladas nos painéis dos motoristas, que passaram a trocar mensagens codificadas com o Centro de Controle Operacional (CCO) do BRT. 
Foto:  Paulo Alvadia / Agência O Dia
Além disso, 60 PMs foram contratados através do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) e agentes de inteligência circulam à paisana nos veículos. 

“Graças ao novo planejamento de segurança, recentemente três assaltantes foram presos”, ressaltou o coordenador de segurança do BRT, Júlio César Silva.

Segundo ele, o monitoramento por câmeras e a ação do policiais, que contam ainda com apoio de 160 vigias privados, já ajudaram a inibir diversos tipos de delitos e a apreender drogas e armas brancas, como facas.

Monitorado e preso

No dia 14 de março, por exemplo, um suspeito de assalto foi preso depois de assaltar passageira em um dos ônibus e ser monitorado pelas câmeras pelo CCO, através de 24 painéis de 45 polegadas cada um.

Denúncias de clientes, que haviam sido assaltados por ele dias antes e descreveram sua fisionomia, possibilitaram a identificação do bandido.

“Ao detectar a presença de Flávio (que estava em liberdade condicional, após cumprir 11 anos de prisão por assalto a mão armada), depois de seu embarque na estação Magarça, a equipe do CCO acompanhou seus passos em tempo real. O motorista foi orientado pelo painel a reduzir a velocidade para que desse tempo de uma equipe do Proeis se deslocar até a próxima parada, onde o criminoso foi preso, armado com faca”, detalhou Júlio César. Com Flávio foram encontrados pertences da vítima.

Passageiros aprovaram os últimos investimentos em segurança. Em pesquisa de opinião apresentada quinta-feira, esse quesito ficou em segundo lugar em relação aos pontos positivos do BRT, com 30%, só perdendo para o item conforto (com 31%).

Por Francisco Edson Regis
Informações: O Dia

READ MORE - No Rio, Ônibus do BRT têm botão de ataque contra assaltantes

Passagem do Metrô de São Paulo vai subir para R$ 3,40, diz sindicato

Em carta aberta à população de São Paulo - e em meio a uma campanha salarial que caminha para nova greve -, o Sindicato dos Metroviários disse que a passagem do Metrô vai ser reajustada para R$ 3,40 no dia 1º. 
Alex Falcão/Futura Press
A informação, segundo os sindicalistas, vem circulando no Metrô desde fevereiro. O índice de reajuste, por esse valor, ficaria em 13,3%, portanto acima da inflação acumulada desde fevereiro do ano passado, que foi de 8,9%. 

O Metrô, entretanto, nega que o reajuste já esteja definido - tanto o valor da tarifa quanto a data exata do reajuste. Em nota, a empresa diz que "qualquer especulação sobre um possível valor, neste momento, seria irresponsável e um desrespeito aos usuários". Os estudos técnicos que justificam o reajuste da tarifa, que têm de ser apresentados à Assembleia Legislativa, ainda não estão finalizados segundo o Metrô. 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

READ MORE - Passagem do Metrô de São Paulo vai subir para R$ 3,40, diz sindicato

Trânsito lento faz São Paulo perder 1% do PIB do País, diz estudo da FGV

A Fundação Getúlio Vargas revisou um estudo bianual, feito desde 2002, sobre o preço do congestionamento da cidade de São Paulo e concluiu: o prejuízo de manter as filas intermináveis de carros parados já equivale a 1% de todo o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil.

O custo do trânsito soma o gasto com combustíveis para carros, ônibus e caminhões parados, estimativas sobre os gastos que a saúde pública tem por causa da poluição e - mais importante - as horas de salário perdidas pelas pessoas sentadas, amarradas aos cintos de segurança, sem trabalhar.


Essa conta deu, no ano passado, R$ 40 bilhões, segundo o vice-presidente da FGV e ex-secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Marcos Cintra. Significa dizer que cada cidadão deixou de ganhar ou gastou cerca de R$ 3,6 mil por estar parado olhando para o carro da frente, desperdiçando combustível e respirando o ar poluído.

Para calcular o preço das filas de carros parados, a pesquisa usou funções matemáticas e estimou a frota presa nos congestionamentos (baseada nos índices de trânsito divulgados pela CET) e os gastos de combustível desses veículos a uma velocidade média de 15 km/h (dado também fornecido pela CET). A comparação, para calcular o desperdício, foi feita com a mesma frota trafegando a uma velocidade média de 50 km/h.

Só a gasolina queimada pelos carros esperando o semáforo abrir dá um gasto de R$ 3 bilhões, divididos por motorista. É mais ou menos o que o governo do Estado de São Paulo está gastando para construir o Trecho Norte do Rodoanel Mário Covas, obra viária que promete aliviar o tráfego.

Cintra, no entanto, duvida da eficácia das grande obras viárias feitas para resolver o trânsito. "A lógica da cidade é de grandes artérias de tráfego. O tráfego deveria ser diluído em pequenas obras para espalhar os veículos pelas outras vias. Mas a solução definitiva é o investimento em transporte público."

Cargas. Na conta do prejuízo também entra o chamado custo São Paulo, para a indústria e o comércio - e consequentemente para toda a economia. O estudo mostra que cada caminhão que passa pelo Município precisa de R$ 28 a mais para rodar por causa do trânsito.

Somando todos os caminhões que circulam anualmente na cidade, o gasto que os caminhoneiros e empresários têm é de R$ 4 bilhões - valor repassado às mercadorias consumidas na cidade.

Subestimado. Na primeira vez que a FGV fez esse estudo, em 2002, o prejuízo coletivo foi estimado em R$ 10 bilhões. Ou seja, em dez anos, a falta de prioridade para o transporte público fez o custo do trânsito ser multiplicado por quatro.

O custo real, entretanto, pode ser bem maior. Isso porque a conta usa dados do trânsito feitos pela CET, que são questionados por não incluir a cidade toda. E não leva em consideração que o dinheiro que São Paulo deixou de ganhar poderia ter sido investido, o que traria maior retorno.

Informações: ANTP
READ MORE - Trânsito lento faz São Paulo perder 1% do PIB do País, diz estudo da FGV

Governo da Bahia estuda trem de passageiros ligando Salvador e Feira de Santana

Já imaginou fazer o percurso Salvador-Feira de Santana usando um trem? O Governo do Estado estuda viabilizar este meio de transporte entre a capital baiana e a segunda maior cidade do estado. O secretário da Casa Civil da Bahia, Rui Costa, disse, em entrevista à rádio Tudo FM nesta terça-feira (14), que conversou com o ministro dos transportes, César Borges, e que já estão fazendo o traçado de um trem de passageiros de Feira de Santana até Salvador.

De acordo com Costa, o trem será veloz e circulará com a velocidade de 140 km/h. "E ele encontraria com o metrô na BR [BR-324] da linha 1 e, portanto, nós teriamos uma estação de integração, que a pessoa poderia sair de Feira em um trem, entrar no metrô e estar em qualquer lugar de Salvador. Portanto, nós garantiríamos uma completa integração de toda a Região Metropolitana e também da segunda maior cidade do estado, Feira de Santana, com a cidade de Salvador", disse o secretário à rádio.
Durante a entrevista, Costa também informou que a Companhia de Trens de Salvador (CTS), cuja transferência para o Estado foi aprovada na Câmara nesta segunda-feira (13), vai ser encaixada dentro da Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado. O secretário disse que a CTS vai ser responsável pela condução do metrô e pelo processo de licitação, assim como pela a reestruturação completa dos trens do subúrbio. 

Rui Costa também falou sobre um possível VLT (veículo leve sobre trilhos) ou trem para a Região Metropolitana. "Nós já estivemos na Agência Nacional de Transportes, a ANTT, já estivemos no Ministério dos Transportes, com o ministro César Borges, conversando sobre a reestruturação do trem, onde nós solicitamos, inclusive, a reposição dos oito quilômetros de trilho que foram retirados pela concessionária no trecho de Mapele, para que nós possamos operar ou um VLT ou um trem para a Região Metropolitana", disse o secretário. Uma reunião com os prefeitos da Região Metropolitana será realizada para conversar sobre esse trem ou VLT metropolitano, afirmou Costa.

"E também conversei com o ministro, porque nós teremos novas concessões de linhas férreas Belo Horizonte - Salvador, Salvador-Recife e Salvador também para entroncar com a ferrovia Norte-Sul usando o atual traçado da [ferrovia] Centro-Atlântica", contou Rui Costa. Segundo ele, o ponto de encontro será Feira de Santana, onde haverá um ramal puxando para o porto de Aratu.

Informações: iBahia
READ MORE - Governo da Bahia estuda trem de passageiros ligando Salvador e Feira de Santana

Em Teresina, Greve dos ônibus confirmada para amanhã

Depois de uma votação acirrada pela manhã, uma nova assembleia na tarde deste sábado (18) confirmou a greve dos motoristas e cobradores de ônibus de Teresina (PI). A partir de 0h de segunda-feira (20), só 30% da frota deve circular nas ruas da capital, prejudicando o transporte de milhares de pessoas. 
Foto: Evelin Santos/Cidadeverde.com
Por conta dos horários de trabalho da categoria, o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro) promove duas assembleias. Pela manhã, houve empate técnico de 85 votos a favor e 82 contra. Porém, no final da tarde, a reunião com a outra parte dos motoristas e cobradores aprovou a paralisação.


Empresários e trabalhadores negociaram durante todo o mês, com quatro rodadas de reuniões na delegacia regional do trabalho. A categoria pedia 15% de aumento, enquanto os patrões ofereciam metade e chegaram a elevar a proposta. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) interferiu e propôs 9,05% na última sexta-feira, índice que deixou parte dos trabalhadores em dúvida. 

Com a confirmação da greve, a Superintendência de Transportes e Trânsito (Strans) fará plantão a partir de 8h da manhã deste domingo (19) para cadastrar veículos alternativos, que precisam estar caracterizados, licenciados, e estarem em dia com todos os itens de segurança. Além disso, o motorista precisa estar regularmente habilitado.

Por Fábio Lima
Informações: cidadeverde.com
READ MORE - Em Teresina, Greve dos ônibus confirmada para amanhã

Metroviários de SP definem indicativo de greve na próxima quarta

Em campanha salarial, os trabalhadores da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) definem em assembleia na próxima quarta-feira (22), às 19h, se entram em greve. 

Após cinco reuniões, os metroviários reclamam por não ter sido apresentada nenhuma proposta. Na próxima terça (21), unidos a trabalhadores da Sabesp e aos eletricitários, a categoria vai realizar uma manifestação em frente ao Conselho de Defesa dos Capitais do Estado (Codec), órgão do governo Alckmin responsável por definir as políticas salariais. A próxima reunião entre o Metrô e o sindicato está marcada justamente para a quarta, às 9h.
Com data-base em 1º de maio, os funcionários do Metrô reivindicam reajuste de 14,16%, entre reposição e aumento real. A pauta inclui ainda reajuste de 24,3% no vale-refeição e aumento no vale-alimentação para R$ 382,71. Esses pontos serão discutidos na próxima reunião.

Para o presidente do Sindicato dos Metroviários, Altino de Melo Prazeres Júnior, a companhia tem sido intransigente. “O Metrô não quer negociar. Tem dado respostas negativas para todas as reivindicações e até para coisas simples, como realizar uma campanha educativa contra o assédio sexual, em espaços de publicidade que pertencem à própria companhia. Se essa postura prosseguir nas negociações salariais da próxima semana, não haverá outra saída senão a greve”, afirmou. No ano passado, após um dia de paralisação, os metroviários aceitaram proposta de 6,17%.

Nesta quinta-feira (16), os trabalhadores se reuniram em assembleia no sindicato, em que definiram trabalhar sem uniforme e com adesivos da campanha salarial nas roupas, como forma de chamar atenção da população e pressionar a direção do Metrô.

Entre as principais reivindicações já discutidas, está a revisão do plano de carreira. Segundo o sindicalista, hoje um trabalhador leva até 20 anos para chegar ao topo de sua própria função. Além disso, o sindicato quer instituir planos deste tipo para trabalhadores das áreas de segurança e manutenção. Outra reivindicação é que a participação nos lucros ou resultados (PLR) seja fixa para todos os trabalhadores. Hoje, o valor da gratificação é 60% fixo e 40% proporcional ao salário, o que Melo considera privilégio para os altos cargos da empresa. Todas essas propostas foram rejeitadas pelo Metrô, que não respondeu aos questionamentos apresentados pela reportagem.

Em 2012, a empresa transportou em média 3,75 milhões de pessoas por dia útil. O Metrô fechou o ano com 9.378 funcionários. A receita total atingiu R$ 1,987 bilhão.

Motoristas

Outra categoria ligada ao setor de transportes fechou acordo coletivo no início da semana. Em assembleia realizada na segunda-feira (13), motoristas e cobradores de São Paulo aprovou proposta que prevê 10% de reajuste salarial e R$ 800 de PLR. Segundo o sindicato da categoria, o aumento é de 33% para motoristas e oficiais de manutenção e de 45% para cobradores. O tíquete-refeição vai a R$ 15,30. A data-base também é 1º de maio.

Informações: Rede Brasil Atual
READ MORE - Metroviários de SP definem indicativo de greve na próxima quarta

Obra no Terminal Urbano de Rio Branco é entregue pela prefeitura

A prefeitura apresentou no sábado (18) as reformas do Terminal Urbano de Rio Branco, que desde o ano passado estava em obras. A estrutura física foi modificada e conta agora com um posto de polícia, uma central de controle e operação de transporte e banheiros na baia dos ônibus, onde ficam os passageiros que realizam a integração de transportes coletivos. A reforma custou R$ 1,2 milhão de recursos da prefeitura da capital.

"Nós buscamos dar uma condição de conforto e segurança para o usuário do transporte coletivo. No terminal é onde convergem as 37 linhas de ônibus que temos na cidade", explicou o prefeito Marcus Alexandre, que visitou o espaço.
Serviços como banheiro público, praça de alimentação, lojas e bebedouros que antes só existiam na parte externa do terminal, foram ampliados para a área onde os passageiros fazem a integração de ônibus.
"Agora tem policiamento, bebedouro, tá bacana. Antes tinha que pagar para usar o banheiro", lembra o estudante Jeferson Nascimento Júnior.

Além da infraestrutura para os passageiros, dois espaços importantes foram criados. O policiamento 24h possibilitará que os passageiros possam fazer boletim de ocorrência no terminal e a Central de Controle de Operação de Transporte (CCO), que vai fiscalizar o trajeto dos ônibus.

Controle de Operação de Transporte
Em uma sala trabalham simultaneamente seis fiscais que serão responsáveis por monitorar todas as linhas de ônibus que atendem a cidade, através do sistema de GPS, corrigindo eventuais erros e gerando relatórios dos veículos.

O diretor de transporte do RBTrans, Jô Luis, explica que agora o trabalho de monitoramento e fiscalização poderá ser feito com maior agilidade para resolver os problemas. "A gente vai identificado em todas as linhas os problemas, e imediatamente a gente já resolve. Nós temos também condição de realizar agora um relatório de cada ônibus" disse.

Como agora o RBTrans disponibilizará uma ouvidoria para que os usuários possam fazer reclamações e sugestões, será possível responder as perguntas dos passageiros de imediato.  "Toda vez que vier um cidadão reclamar, nós puxamos o relatório, e teremos condições de verificar de imediato se ocorreu um erro ou não", afirma.

Por Veriana Ribeiro
Informações: G1 AC
READ MORE - Obra no Terminal Urbano de Rio Branco é entregue pela prefeitura

Em Manaus, portas para cadeirantes nos transportes coletivos estão sem funcionar

As empresas de transportes coletivos públicos terão até a Copa de 2014, em julho, para se adaptarem com o uso do sistema de plataforma elevatória dos ônibus que beneficia deficientes físicos de Manaus.
Foto: Eraldo Lopes
A afirmação é do superintendente Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho que declarou, ainda, que em julho deste ano haverá a intensificação de cursos para os motoristas que ainda não se adaptaram com o sistema de apoio ao cadeirante.


Deficientes físicos que precisam do meio de transporte para trafegar entre os bairros reclamam que muitos dos equipamentos sequer funcionam e outros não são acionados por falta de instrução aos motoristas.

O estudante Jhonson Frazão, 31, que é deficiente físico e depende das linhas de ônibus para ir ao curso de informática, conta que sente a dificuldade todos os dias. “Na maioria dos ônibus, a plataforma não funciona e preciso ser carregado por passageiros que, apesar da ajuda, já chegaram a me derrubar no chão”, contou.

Entre os problemas que Jhonson enfrenta está também a falta de ajuda por parte dos motoristas. Ele disse que muitos não sabem mexer no elevador e outros não costumam parar o ônibus quando vêem que ele está na parada esperando o coletivo.

Para o montador de móveis Wilson Renzo Filho, 52, que está há dois anos usando cadeira de rodas e utiliza ônibus para ir à fisioterapia a situação é desesperadora e de muita dependência.

Ele explicou que a falta do sistema em muitos ônibus antigos e de motoristas treinados para utilizar a plataforma dificulta a vida dos deficientes.

O diretor de Transportes Urbanos da SMTU Waldir Frazão disse que as empresas que possuem a plataforma elevatória têm a obrigação de testar o equipamento antes de sair da garagem.

Ele destacou que usuários do transporte coletivo que flagrarem ônibus coletivo sem a utilização da plataforma podem denunciar ligando para Setor de Atendimento Comunitário (Sac) por meio do telefone 118 ou enviar um e-mail para sacsmtu@pmm.am.gov.br informando o numero da linha e o horário em que ocorreu o problema. 

Informações: d24am.com
READ MORE - Em Manaus, portas para cadeirantes nos transportes coletivos estão sem funcionar

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960