Em Florianópolis, Tarifa do ônibus executivo sobe R$ 0,50

sábado, 4 de agosto de 2012

O Conselho Municipal de Transporte, formado por oito representantes de associações e sindicatos, aprovou, sem unanimidade, o aumento de R$ 0,50 na tarifa cobrada no transporte executivo da Capital, o popular amarelinho. O reajuste vale a partir deste domingo. O pedido de aumento foi enviado pelas empresas de transporte coletivo ao conselho. Por mês, a Secretaria Municipal de Transportes calcula que mensalmente 115 mil pessoas utilizam o sistema executivo de transporte.

As tarifas de R$ 4,50 e R$ 5 passam para R$ 5 e R$ 5,50, respectivamente. Segundo o secretário de Transportes, Marcelo Roberto da Silva, este foi um aumento acordado durante a reunião. “Decidimos pelo valor que seria reajustado em conjunto”, assegurou o secretário.

O representante da Ufeco (União Florianopolitana de Entidades Comunitárias), Ivânio Alves da Luz, foi o único voto contrário ao aumento. “As empresas justificam que estão há dois anos sem reajuste nesse serviço”, comentou Luz, que não concorda com o fato de a mudança no preço das passagens ser aprovado sem divulgação aos usuários do sistema.

Quanto à licitação do transporte coletivo, a secretaria deve lançar até o fim deste mês a licitação. Segundo o secretário Marcelo Roberto da Silva, o edital está em estudo e deve ser encaminhado à Procuradoria do município nos próximos dias. “Será feita a análise do projeto e quando estiver tudo definido faremos a divulgação do edital”, assinalou.

Fonte: ndonline.com.br/florianopolis

READ MORE - Em Florianópolis, Tarifa do ônibus executivo sobe R$ 0,50

Brasília testará ônibus chinês 100% elétrico

Brasília poderá ganhar uma fábrica de ônibus elétrico até 2014. A afirmação é do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, que visitou a Ásia em julho e na ocasião, durante sua passagem pela China, anunciou a vinda de um ônibus elétrico para a realização de testes na capital federal a partir de setembro.

“Nosso objetivo é levar uma fábrica desses carros para se instalar no Distrito Federal, se constituindo em uma plataforma para o Brasil”, disse Queiroz em nota divulgada pelo governo do Distrito Federal. O governador acrescentou que o diferencial do ônibus elétrico é o uso de energia limpa e que a intenção é que esses ônibus sejam utilizados já na Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil.

Contudo, a decisão final de construir a fábrica ainda depende de estudos de viabilidade técnica, econômica e financeira, que ainda serão desenvolvidos, segundo informações da Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB), cujo presidente Carlos Koch integrou a comitiva do governador Queiroz até a Ásia.

Em nota, o presidente da TCB explicou que o governo do Distrito Federal trabalha nesse projeto desde o ano passado. O ônibus apresentado ao governador e sua equipe foi projetado para os testes de campo em Brasília. Quando iniciar sua circulação, serão avaliados aspectos de engenharia, adaptação às rodovias da região para, então, promover as alterações necessárias, informa Koch. O acordo assinado em outubro de 2011 entre o presidente da TCB e o grupo chinês Rui Hua, prevê o fornecimento de apenas uma unidade do ônibus elétrico, que poderá ficar até 180 dias no Brasil, sem ônus.

100% elétrico, o modelo é equipado com bateria de íon de lítio e foi apresentado em Xangai à delegação brasiliense pelos próprios dirigentes das empresas envolvidas na produção, a Rui Hua, fabricante responsável pela parte mecânica e conjunto elétrico, e a Alfa Group, que faz a carroceria. O ônibus embarcou na China no dia 28 de julho com destino ao Brasil, para, no prazo de dois meses, iniciar as avaliações e adaptações do transporte na capital brasileira.

A princípio, os dois grupos chineses seriam os responsáveis pela produção em Brasília, em sociedade com a TCB. A entidade não deu detalhes sobre como funcionaria essa sociedade.

Fonte: automotivebusiness.com.br



READ MORE - Brasília testará ônibus chinês 100% elétrico

Metrô gera discussão no primeiro debate eleitoral de Curitiba

O primeiro debate eleitoral da campanha pela prefeitura de Curitiba teve 3h15 de duração e contou com a participação de seis candidatos. O debate começou às 21h45 de quinta-feira (2) e foi encerrado por volta da 1 hora de sexta-feira (3). O evento foi organizado pela TV Bandeirantes e teve transmissão interativa da Gazeta do Povo.
Inicialmente, os candidatos Bruno Meirinho (PSol), Gustavo Fruet (PDT), Luciano Ducci (PSB), Rafael Greca (PMDB) e Ratinho Júnior (PSC) foram convidados para o debate. Carlos Moraes (PRTB) conseguiu liminar para participar do evento. Ficaram de fora Avanilson Araújo (PSTU) e Alzimara Bacellar (PPL), pois seus partidos não têm representação na Câmara Federal.
Logo no primeiro tema sorteado – mobilidade urbana –, o transporte coletivo do município foi colocado em xeque. Fruet afirmou, por exemplo, que Curitiba é a única capital do Sul e Sudeste que vem perdendo passageiros por causa da queda na qualidade do serviço.

Já Greca acusou a gestão de Ducci de tratar o trânsito como um negócio privado e não como um serviço público: “São os radares malditos em cada esquina, prontos para multar com suas imagens corrompidas. Vou acabar com os radares caça-níqueis e substituí-los por lombadas eletrônicas”.
No contra-ataque, Ducci destacou seus feitos como prefeito e citou projetos como o do Ligeirão e do metrô. “Curitiba tem obras viárias por todos os cantos, tudo para dar fluidez ao trânsito. O metrô, por exemplo, foi uma batalha nossa em Brasília, que será realidade nos próximos quatro anos”, disse.
O metrô, inclusive, foi tema de discórdia entre ele e Ratinho. O candidato do PSC atribuiu a si próprio a inclusão de recursos para a obra no orçamento da União. Ducci, por outro lado, afirmou que, na verdade, o dinheiro está previsto no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal.
Já no debate sobre habitação, Fruet criticou a atuação da Companhia de Habitação de Curitiba (Cohab) e a suposta criação da Secretaria de Habitação para acomodação de interesses eleitorais – o primeiro a assumir a pasta foi o deputado estadual Osmar Bertoldi (DEM), que era cotado para vice Ducci. “Temos de fortalecer o quadro funcional e o papel Cohab, que passa por uma situação de depressão”, atacou. Em complemento, Ratinho acusou Ducci de entregar moradias sem infraestrutura necessária, que seriam “depósitos de gente”.
“Não temos depósito de gente, mas um trabalho muito articulado para oferecer moradia digna à população que vive em áreas de risco”, afirmou o prefeito. Logo em seguida, Ducci passou a dar destaque à sua ligação com o governador Beto Richa (PSDB), citando ações que ambos realizaram quando o tucano era prefeito. Ao ser questionado sobre o aumento da criminalidade na cidade, por exemplo, Ducci citou as Unidades Paraná Seguro (UPSs), que estão sendo instaladas numa parceria da prefeitura com o governo do estado.
Antes do início do debate
O prefeito Luciano Ducci (PSB) chegou acompanhado do candidato a vice, Rubens Bueno (PPS), e do vice-governador, Flávio Arns (PSDB). Ele cumpriu a promessa de ir de ônibus ao debate. Mas era um ônibus alugado para o transporte dele e dos correligionários, e não um ônibus de linha.
Ao comentar o fato de estar a poucos minutos de participar do primeiro debate da sua vida, Ducci reconheceu que estava com um pouco de ansiedade. “Mas a minha preparação foi conhecer bem a cidade. Hoje, por exemplo, passei o dia inteiro visitando obras”, afirmou o prefeito de Curitiba e candidato à reeleição.
Gustavo Fruet (PDT) chegou acompanhado apenas da esposa, a jornalista Marcia Oleskowski. “Farei um debate propositivo. Me preparei [para o debate] a vida inteira, desde quando meu pai [Maurício Fruet] era prefeito”, disse o candidato do PDT.

READ MORE - Metrô gera discussão no primeiro debate eleitoral de Curitiba

Cobrança pela integração nos terminais da EMTU em Diadema só vai acontecer depois das eleições

A cobrança pela integração nos terminais da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) em Diadema será iniciada apenas depois que terminar o período eleitoral. O primeiro turno da eleição está marcado para o dia 7 de outubro. Se houver o segundo, a votação será no dia 28. O motivo do adiamento é o temor de que a mudança, que gerou protestos, afete as candidaturas.

No dia 20, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) suspendeu a liminar que mantinha a gratuidade na integração dos ônibus municipais para o Corredor ABD, que liga a cidade a São Bernardo, Santo André e os bairros São Mateus, Jabaquara e Brooklin, na Capital. A baldeação era feita sem custos aos passageiros desde 1991.

O secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, afirma que ainda não levou a questão ao governador Geraldo Alckmin (PSDB). "Não queremos atropelar tudo em momento eleitoral. Essa atitude pode fazer com que se pense que nós estamos querendo prejudicar candidato A ou ajudar candidato B. Então, estamos tendo essa cautela", avalia.

Na opinião de Jurandir, a cobrança poderia gerar ‘"caos político" no município. "Às vezes fazemos algo justo, notório, que tem de ser feito, mas pode ser usado como um momento de levantar a população (contra o Estado). Vou analisar com muita calma antes de levar essa questão para o governador."

O secretário afirmou também que ainda não foi definido o valor pago pelo usuário para fazer a conexão. A proposta inicial feita pela EMTU à Prefeitura de Diadema, em novembro, era de cobrar R$ 1 em cada sentido de viagem. Em outros terminais onde há esse tipo de baldeação, são cobrados R$ 2,95. O preço total da passagem no corredor é de R$ 3,10. "Estamos reposicionando os valores, já que a discussão ocorreu toda entre o fim do ano passado e o início deste ano."

IMPASSE

O imbróglio entre Diadema e a EMTU teve início em novembro, quando a empresa estatal sinalizou a intenção de acabar com o convênio que mantinha a gratuidade. A argumentação é que o benefício gerava desequilíbrio no sistema financeiro, de até R$ 42,4 milhões ao ano. O Estado anunciou em fevereiro que começaria a efetuar a cobrança no dia 10 de abril. A administração, então, entrou com liminar no Tribunal de Justiça de São Paulo para manter o convênio. A ação foi acatada pelo tribunal, mas acabou derrubada no STJ.

CPTM inicia licitação para compra de 65 trens até 2015

O Estado inicia hoje a licitação para a compra de 65 composições para a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). A expectativa do governo é de que os envelopes com as propostas sejam abertos em setembro e a ordem de serviço seja emitida em novembro. A partir daí, as empresas escolhidas terão entre 18 e 36 meses para entregar os trens. A última remessa deve chegar em 2015.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) destaca que os novos trens terão tecnologia mais avançada do que os atuais. "Todos terão ar-condicionado, câmeras internas e externas, além de motorização maior, o que faz com que o trem tenha mais potência, seja mais silencioso e tenha sistema de frenagem melhor", explica.

Cada uma das composições terá oito vagões. Atualmente, na linha 10-Turquesa (Brás - Rio Grande da Serra), os trens têm seis carros cada. Para isso, as estações ao longo do itinerário terão de passar por reforma. O presidente da CPTM, Mário Manuel Bandeira, estima que as primeiras obras sejam contratadas até março.

Não há definição de quantas composições atenderão à Linha 10-Turquesa. "Esses trens não são dedicados a uma linha específica, podem circular em todas as linhas", explica o secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes. Isso será possível porque os veículos terão equipamentos de bordo para operar tanto no sistema antigo quanto no mais moderno, chamado CBTC (controle de trens baseado na comunicação, na tradução para o português). O sistema também possibilitará  a redução do intervalo dos trens nos horários de pico, dos atuais cinco minutos para três.
 

READ MORE - Cobrança pela integração nos terminais da EMTU em Diadema só vai acontecer depois das eleições

Metrô fará pesquisa sobre mobilidade urbana na Grande São Paulo

A partir da próxima segunda-feira, dia 6, 100 pesquisadores contratados pelo Metrô visitarão os 8.100 domicílios que foram sorteados por amostragem para participar da Pesquisa de Mobilidade da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) 2012.

As visitas, que acontecerão nos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo, terminam no dia 20 de dezembro deste ano, segundo previsão do Metrô.

A pesquisa orientará os investimentos, o desenvolvimento e a estruturação dos transportes e permitirá identificar as viagens diárias da população, traçando uma radiografia dos fluxos de deslocamentos na Região Metropolitana de São Paulo. O resultado obtido, através da análise dos dados, subsidiará o planejamento da rede de transporte metropolitano.

Os pesquisadores estarão identificados por crachá e colete exclusivos, mas os interessados em mais informações podem ligar para os telefones 3371-7274 ou 3371-7275, de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30.

Metrô SP

READ MORE - Metrô fará pesquisa sobre mobilidade urbana na Grande São Paulo

Prefeitura de Belém pode não entregar BRT dentro do prazo

A promessa de colocar em funcionamento o BRT ainda na primeira semana de outubro dificilmente será cumprida pela prefeitura de Belém. O pregão nº 63/2012 para a licitação de compra dos ônibus a serem usados no sistema foi adiado pela terceira vez. A Secretaria Municipal de Administração (Semad) atribuiu o adiamento a "ajustes nas especificações" dos veículos. Agora o pregão está marcado para o dia 10 de agosto. Mesmo com a prefeitura afirmando que não haverá nenhum impacto no cronograma de funcionamento do sistema, os veículos, de acordo com o edital, devem começar a chegar à capital paraense dentro de 60 dias após o pregão, isto é, já na segunda semana de outubro, estourando a previsão de inauguração do corredor na avenida Almirante Barroso.

O pregão agora deve ocorrer às 9h do próximo dia 10, no auditório da Comissão Permanente de Licitação (CPL), da prefeitura, de acordo com a pregoeira Suely Costa, da Semad. Segundo ela, o adiamento foi motivado por pedidos de esclarecimentos vindos de empresas interessadas em fornecer os veículos. A pregoeira se limitou a dizer que "houve alterações técnicas nas especificações dos ônibus". Vários pontos, sem grandes impactos no formato dos veículos, foram modificados ou suprimidos em relação ao edital inicial.

O pregão presencial tem como objeto a compra de 100 veículos, sendo 50 ônibus com carroceria integrada e 50 unidades de veículos biarticulados com carroceria integrada. As alterações foram válidas para os dois modelos.

No caso dos veículos simples, o primeiro edital determinava que houvesse de três a quatro portas e, nos biarticulados, de quatro a cinco. O novo documento especificou apenas três entradas para o primeiro modelo e, quatro, para o segundo.
A previsão da Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel) era de iniciar as operações do BRT ainda no final do mês de setembro ou, no máximo, na primeira semana de outubro, informação confirmada, ainda na semana passada, pela superintendente do órgão, Ellen Margareth.

Sobre o assunto, a prefeitura Municipal de Belém informou, em nota, que "não haverá nenhum impacto em função do prazo que ainda se tem para a obra do BRT". Entretanto, o edital de compra exige que 20% dos veículos estejam na capital paraense dentro de 60 dias após a assinatura do contrato, ou seja, apenas na segunda semana de outubro. Se seguir o cronograma, o corredor da avenida Almirante Barroso ficará pronto, mas não haverá ônibus para operar o sistema integrado de transporte.

Fonte: orm.com.br


READ MORE - Prefeitura de Belém pode não entregar BRT dentro do prazo

Governo do Distrito Federal vai licitar 34 km de ciclovias

O Governo do Distrito Federal dá continuidade à concorrência pública para a construção de aproximadamente 34km de ciclovias em rodovias. As obras serão executadas com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que concedeu financiamento ao GDF para o custeio do Programa de Transporte Urbano do Distrito Federal (PTU/DF). O aviso de licitação dos serviços está na edição desta terça-feira (31) do Diário Oficial do DF.

As obras serão divididas em três lotes. O primeiro englobará serviços na DF-001, da DF-480 ao 3° Distrito e na DF-480, do balão do Gama ao km 4,6 – com extensão total de 12.150m. O segundo abrange obras em dois trechos: um na DF-087, da DF-095 à DF-085, com extensão de 2.486m; e o outro na DF-290, no trecho entre a BR-040 e o acesso ao Gama, com 7.192m. Já o terceiro lote compreende obras na DF-001, no trecho de 3.670m entre a interseção com a DF-025 (Estrada Parque Dom Bosco) e o acesso ao Condomínio Ville de Montaigne, no km 22,9 da DF-001 (EPTC); na DF-015, da interseção com a DF-005 (Estrada Parque Paranoá) e a DF-250 (DF-001/EPTC), e mais 8.464m entre a DF-025 e o km 12,2.

O aviso de licitação e edital estarão disponíveis no site da Secretaria de Transportes do Distrito Federal: www.st.df.gov.br, ou http://www.st.df.gov.br/005/00502001.asp?ttCD_CHAVE=21706, no link: Programa de Transporte Urbano do Distrito Federal (PTU-UEGP-LICITAÇÕES 2012), a partir de hoje.

Requisitos - Os interessados podem pedir esclarecimentos por meio do e-mail: cpl.ptu@gmail.com. As respostas serão exclusivamente por e-mail. Uma mídia digital com os projetos e as especificações técnicas poderá ser obtida junto a Comissão Permanente de Licitação do PTU/DF, mediante recibo. Os requisitos de qualificação incluem: comprovações de faturamento anual com obras civis e de experiência em construção, declaração de disponibilidade de equipamentos, indicação de pessoal técnico qualificado para as obras, comprovação de possuir capital de giro líquido, de solidez de situação financeira e de não incorrência em descumprimento de contratos.

As propostas, acompanhadas de uma garantia de manutenção da proposta nos valores constantes dos documentos de licitação, devem ser entregues na Secretaria de Transportes do Distrito Federal - Anexo do Palácio do Buriti, 15º Andar, Sala 1507, até 9h30 do dia 14 de setembro de 2012.

Informações: Agência Brasília

READ MORE - Governo do Distrito Federal vai licitar 34 km de ciclovias

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960