Sem acordo: Greve de ônibus em Fortaleza será de 100%, paralisação começa à meia-noite

terça-feira, 19 de junho de 2012

Motoristas e cobradores de ônibus decidiram por unanimidade pela deflagração da greve, que está prevista para começar a partir das 0h desta quarta-feira (20). A decisão foi tomada depois da segunda assembleia realizada na tarde nesta terça-feira (19) na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado (Sintro).
 
De acordo com Geraldo Lucena, diretor do Sintro, a paralisação será de 100% da categoria; e deve permanecer assim enquanto não houver notificação da Justiça. "Nós manteremos a paralisação integral dos trabalhadores até que a Justiça nos notifique com uma proposta possível. Nós não iremos acatar propostas que façam o movimento perder a força, como aconteceu nos anos passados, em que pediram para que 80% da frota voltasse para a as ruas", declarou Lucena.
 
A decisão dos trabalhadores pela greve contraria a vontade do Sintro, que era a favor de acatar a proposta oferecida pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado (Sindiônibus), de um reajuste salarial de 8,5%, representando ganho real de 3,45% para a categoria. O Sintro, contudo, diz que vai apoiar a decisão da categoria pela greve. De acordo com o sindicato laboral, mais de 600 trabalhadores, entre motoristas, cobradores e fiscais apoiaram a paralisação.
 
Liminar do Tribunal Regional do Trabalho (TRT)
O Tribunal deve apresentar, na manhã desta quarta-feira (20), a liminar que determina a porcentagem da frota que deve continuar em tráfego. De acordo com a assessoria de comunicação do órgão, na proposta encaminhada pelo Sindiônibus, pede-se a presença de 80% dos ônibus em horários de pico e 60% no restante do dia.    
 
Propostas anteriores sem efeito
Em nota oficial, Dimas Barreira, presidente do Sindiônibus lamentou a greve no transporte coletivo de Fortaleza, após a rejeição de uma proposta que, segundo o sindicato, traria ganhos reais para a categoria. "Informamos que com a decretação da greve, a proposta apresentada e todas as demais cláusulas já acordadas ficam sem efeito. A partir de agora todas as decisões serão tomadas pela Justiça do Trabalho", informou a nota. Para atender às necessidades de deslocamento da população durante o movimento grevista, o Sindiônibus solicitou ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) um percentual mínimo de frota de 80% no horário de pico e 60% no entrepico.
A Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no Ceará (SRTE-CE) afirmou que, mesmo com a deflagração da greve, continuará tentando mediar uma negociação entre os sindicatos.
 
Propostas
A categoria quer um aumento salarial de 15%, além de vale refeição de R$ 12 e cesta básica no valor de R$ 80. Na noite da última segunda-feira, os empresários aumentaram a oferta de reajuste de 4,88% para de 8,5%, fato que adiou o início da paralisação, programada para a madrugada de terça, mas não impediu a deflagração da greve nesta terça-feira.
Os empresários ofereceram, ainda, um aumento do valor da cesta básica de R$ 60 para R$ 70 e vale alimentação de R$ 7 para R$ 8, outras duas reivindicações dos trabalhadores. Os motoristas de ônibus recebem, hoje, R$ 1.273, e os cobradores, R$ 734. A categoria recebe, ainda, cesta básica de R$ 60 e vale refeição de R$ 7.
Entre as reivindicações que não foram atendidas pelo sindicato dos empresários estão o plano de saúde e o fim da dupla função de motorista, que atuava também como cobrador nos microônibus.
 
Negociações
No fim da tarde desta terça-feira, estava agendada reunião entre representantes do Sintro e do Sindiônibus com a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins; o encontro, no entanto, foi cancelado.
Até o momento, não há previsão para uma nova rodada de negociações.

Fonte: Diário do Nordeste

READ MORE - Sem acordo: Greve de ônibus em Fortaleza será de 100%, paralisação começa à meia-noite

Em Fortaleza, Usuários lotam metrô em seu primeiro dia

O primeiro dia da operação assistida do Metrô de Fortaleza (Metrofor) levou a duas certezas: o serviço ofertado agradou os usuários e há a necessidade urgente de campanhas de conscientização e fiscalização mais rigorosa nos trechos onde os trens passam muito perto de comunidades.
Apesar dos problemas, os passageiros aprovaram o novo meio de transporte, que tem capacidade para 450 pessoas por viagem Foto: José Leomar
No segundo caso, a depredação dos vagões com pedradas nos vidros das janelas e a facilidade com que as pessoas atravessam a linha férrea nos pontos onde não há muro de proteção alertam a administração do Metrofor para ações imediatas a fim de coibir tais práticas.

De acordo com o assessor da presidência do órgão, Fernando Mota, em nenhuma hipótese a pessoa pode atravessar a linha do trem, que possui seis mil volts de potência. No entanto, na comunidade do Coqueiral, como a passagem subterrânea estava cheia d´água devido à chuva registrada na manhã de ontem, obstruindo a travessia, mesmo alertados sobre o perigo, estudantes subiram na mureta entre a rua e a linha e, sem medo, corriam de um lado para o outro com a maior naturalidade.

"Eles não ouvem ninguém", avisou a dona de casa, Ozilene Coelho. Ela mora bem próximo ao trilho e conta que o comportamento existe desde a época do "antigo trem". "Além disso, a falta de iluminação na passagem subterrânea facilita a ação dos bandidos, que, dia desses, quase matam um rapaz a pedradas", narra Ozilene.

"Se não fizerem alguma coisa por aqui, todo trem que passar vai levar pedrada", chama atenção a operadora de produção, Eliane Siqueira. Para ela, somente uma campanha permanente nas comunidades próximas aos trilhos, poderá surtir efeito no futuro.

Elogios

Problemas à parte, quem viajou nos trens que fizeram o percurso entre as estações Parangaba e Carlito Benevides, em Pacatuba, das 8h ao meio-dia de ontem, era só elogios ao novo meio de transporte. Até outubro, o trajeto será gratuito e terá duas composições, cada uma com três vagões e capacidade para 450 pessoas por viagem. A novidade levou muita gente a visitar as 11 estações do trecho. Com isso, todas as viagens foram feitas com os trens lotados.
Mesmo em pé, a garçonete Tatiana do Amaral destacou a rapidez - o percurso Fortaleza/Pacatuba é feito em 25 minutos - e o conforto da travessia. "É excelente, não tenho palavras para mais elogios", disse.

Segundo Fernando Mota, alguns problemas, como o vandalismo, são observados durante a fase de testes. "A primeira avaliação é das mais positivas, mas teremos um caminho a percorrer na busca da melhoria e perfeição no transporte público de massa como o metrô", destaca.

Por Lêda Gongalves / Diário do Nordeste

READ MORE - Em Fortaleza, Usuários lotam metrô em seu primeiro dia

Em Uberlândia, Novos ônibus e taxis são entregues pela prefeitura

Nesta terça-feira (19), a Prefeitura de Uberlândia, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settran) e da Superintendência da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Urbana, entregou à população de Uberlândia novos veículos para atendimento aos usuários com deficiência. Cinco ônibus e um táxi adaptado já estão em operação no Sistema Integrado de Transportes (SIT).

A adaptação destes veículos faz parte de um cuidado da Prefeitura de Uberlândia em sempre ajustar a frota do transporte coletivo de acordo com a necessidade da população. O Município é referência em acessibilidade, mantendo sua frota 100% adaptada e com idade de cerca de 2,5 anos.

Foram investidos aproximadamente R$ 1,5 milhão para adaptação dos novos ônibus, que são da operadora Turilessa e irão reforçar linhas da empresa, como a A105 (Santa Mônica – Terminal Central). Com esta entrega, a frota do transporte coletivo na cidade chega a 409 veículos.

Um diferencial que trará ainda mais conforto aos usuários é uma nova tecnologia implantada nos novos ônibus. “Trata-se de um sistema de freios que evita freadas bruscas. Assim, o trajeto ficará mais tranquilo para quem usa os ônibus para se locomover. Além disso, os veículos atendem à determinação do prefeito Odelmo Leão de serem menos poluentes”, destacou Divonei Gonçalves, secretário de Trânsito e Transportes.

A última entrega de veículos em Uberlândia foi em fevereiro deste ano, quando a cidade ganhou 10 ônibus. Atualmente, o SIT atende a uma média de 5 milhões de passageiros por mês e opera com as empresas Sorriso de Minas, São Miguel e Turilessa. A estrutura conta com cinco terminais e corredores de ônibus e 117 linhas para atender à população.

Táxi adaptado
O novo táxi é o primeiro adaptado a atender Uberlândia e o ponto fica na praça Oswaldo Cruz, em frente ao Fórum, no centro da cidade. Para receber pessoas que possuam deficiência, dificuldade de locomoção ou mobilidade reduzida, o táxi acessível tem capacidade para sete pessoas e conta com elevador que suporta até 250 quilos e equipamentos de segurança específicos para este tipo de transporte.
“A entrega vai ao encontro de uma determinação da Administração Municipal de sempre oferecer mobilidade à população e representa mais uma conquista para a pessoa com deficiência, garantindo que utilize o serviço com economia e segurança, além de ser mais uma opção para locomoção”, afirmou Edson Luiz Lucas de Queiroz, superintendente da Superintendência da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Urbana.

Em breve, Uberlândia contará com o segundo táxi adaptado, que já passa por adequações. Hoje, ao todo, são 273 permissionários, ocupando 45 pontos fixos e 10 livres em toda a cidade.

Fonte: Prefeitura de Uberlândia

READ MORE - Em Uberlândia, Novos ônibus e taxis são entregues pela prefeitura

No Dist. Federal, Faixas exclusivas para ônibus da W3 passará por ajustes

As faixas exclusivas para ônibus, táxis e vans escolares da W3 e do Setor Policial Sul não sofrerão alterações. Integrantes do Departamento de Trânsito do DF (Detran) e do Transporte Público do Distrito Federal (DFTrans) se reuniram na tarde desta segunda-feira (18/6) para discutir os constantes engarrafamentos na região.

A expectativa era que uma das faixas fosse desativada temporariamente, mas os dois órgãos encontraram outra solução. Serão feitas intervenções nos semáforos e o retorno, próximo à Polícia Federal, também será alterado.

Segundo o diretor técnico do DFTrans, Lúcio Lima, as mudanças resolverão o problema. "Não somos inflexíveis a ponto de não mudar algo que não deu certo. Porém, este não é o caso. A faixa do Setor Policial Sul é de extrema importância para ligar a Asa Norte ao centro de Taguatinga. É uma iniciativa que está funcionando e beneficia os usuários do transporte público do DF", afirmou.

O corredor exclusivo começa no Setor de Rádio e Televisão Sul (702 Sul) e vai até o Setor Hospitalar Sul (716 Sul). É na altura da 510 Sul, sentido Setor Hospitalar, que se pode observar o maior congestionamento de ônibus que se aglomeram por volta das 18h até às 19h, todos os dias, em uma fila que chega à 716 Sul, de acordo com relato de passageiros. O engarrafamento de coletivos nesse horário de pico pode chegar a quase 3 km de extensão.

De acordo com usuários, enquanto o fluxo fica parado alguns motoristas chegam a sair dos veículos. "Eles descem do ônibus para fumar um cigarro", diz. As reclamações da população vão desde a demora para voltar para casa até consequências mais graves, como a perda de um voo ou mesmo não conseguir chegar ao Setor Hospitalar.

Para Lúcio Lima, diretor técnico de Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), o problema na W3 Sul começou depois que foi implantada a faixa exclusiva no Setor Policial Sul, há 11 dias. Lima sugere que duas hipóteses podem estar causando esse engarrafamento. "Ou a população ainda não se adaptou, ou houve erro de cáculos por parte do DFTrans, que terão que ser ajustados. No primeiro momento não pensamos em abandonar o uso da faixa, mas fazer os ajuste para melhorar o uso".

O diretor lembrou que a faixa colocada nas Estradas Parque Núcleo Bandeirantes (EPNB) também causou problemas nos primeiro dias. "No entanto, o trânsito agora parece estar normalizado", afirma.

Com informações de Manoela Ancântara / Correio Braziliense

READ MORE - No Dist. Federal, Faixas exclusivas para ônibus da W3 passará por ajustes

BRT reduz tempo de viagem na região Oeste do Rio de Janeiro

Um grupo de jornalistas estrangeiros e brasileiros conheceu nesta segunda-feira (18) parte do sistema de operação do BRT (Bus Rapid Transit) Transoeste, que começou a funcionar na região oeste da cidade do Rio de Janeiro no início de junho. A Agência CNT de Notícias e a Revista CNT Transporte Atual participaram da visita guiada, a convite da Embarq Brasil – organização que atua na área de transporte sustentável.

A implantação do sistema de trânsito rápido vem sendo mencionada em algumas discussões sobre transporte urbano na Conferência Rio+20 como uma forma de contribuição para a melhoria da qualidade de vida nas cidades. “Essa questão do BRT do Rio é emblemática para o Brasil. É o início de uma nova geração de BRTs”, disse o diretor-presidente da Embarq Brasil, Luiz Antonio Lindau, doutor em transporte e especialista em mobilidade urbana.

Segundo ele, além de dar maior agilidade às viagens, o BRT traz mais segurança para os pedestres, com a operação de estações fechadas. A viagem guiada da imprensa no Transoeste foi em um trecho curto. Saiu da estação Alvorada, na Barra da Tijuca, e seguiu em direção ao Recreio. Mas, ao entrar nas modernas estações, já fica clara uma primeira diferença em relação aos pontos de ônibus do sistema convencional.

Uma característica básica do BRT, o embarque em nível, oferece mais conforto e segurança aos passageiros, que não precisam subir e descer degraus na hora de entrar no veículo. E é fundamental para proporcionar significativa redução de tempo no embarque e no desembarque.  O pagamento antecipado da passagem também contribui para a rapidez no deslocamento.

Tudo isso aliado a uma faixa exclusiva, sem concorrência com o trânsito convencional, e a operação de equipamentos tecnológicos em sintonia com a central contribuem para a maior qualidade do transporte.  De acordo com o gerente-geral da unidade de negócios do BRT do Rio de Janeiro, Alexandre Castro, o BRT Transoeste e outras medidas importantes, como a abertura de um túnel, reduzirá o tempo de viagem entre a estação Alvorada, na Barra, até a de Santa Cruz, que ainda não está em funcionamento, de duas horas e meia para pouco mais de uma hora. São cerca de 40 quilômetros.

“A previsão é que teremos no BRT Transoeste 91 ônibus articulados. Em 2016, quando estiver integrado com o metrô, chegará a transportar 220 mil pessoas por dia. Vamos transportar 110 mil passageiros/dia [quando o corredor estiver totalmente implementado]. É uma implantação progressiva. Estamos tendo todo o cuidado na regulagem dos equipamentos para que não ocorra interrupção durante o atendimento aos usuários”, explica Castro. Por enquanto, estão em funcionamento 17 estações. O eixo completo, entre a estação Alvorada e Santa Cruz, terá 31.

O Rio de Janeiro deverá implantar quatro sistemas de BRT. No ano que vem, o Transcarioca; em 2014, o Transolímpica,  e até 2016, o Transbrasil. “Hoje, 18% da população anda em transporte de massa. A implantação do BRT vai trazer um salto para 63%. Nosso objetivo é conseguir atrair a população para o sistema”, afirma. Cada ônibus articulado tem capacidade para 140 passageiros. Por enquanto, o BRT Transcarioca utiliza o óleo diesel B5, com 5% de biodiesel. A previsão é que até 2016 os veículos estejam rodando com o B20.
Site especial
Acesse a página que a CNT e o Sest Senat desenvolveram para divulgar as principais notícias de transporte durante a Rio+20. No endereço, estão disponíveis peças publicitárias e publicações exclusivas relacionadas ao setor de transporte e ao meio ambiente, além de vídeos do Despoluir – Programa Ambiental do Transporte da CNT.

Do Rio de Janeiro (RJ), Cynthia Castro
Agência CNT de Notícias


READ MORE - BRT reduz tempo de viagem na região Oeste do Rio de Janeiro

Volvo oferece financiamento para Porto Alegre comprar ônibus híbrido

A Volvo está oferecendo linha de crédito para Porto Alegre comprar 40 ônibus híbridos, que usam diesel e energia elétrica como combustível. A informação foi passada pelo presidente da montadora, Luis Pimenta, ao deputado federal Jerônimo Goergen, que, repassará nesta segunda-feira para a Prefeitura de Porto Alegre.

Cada ônibus custa cerca de R$ 600 mil. É R$ 150 mil a mais do que o veículo normal. No entanto, reduz em 80% a emissão de poluentes. Os ônibus são fabricados em Curitiba, que já trabalha com a substituição da atual frota do município.

Goergen também salienta que o biodiesel e as carrocerias dos ônibus são produzidos em território gaúcho. O combustível é da BSBios e o equipamento é da Marcopolo.

O modelo híbrido tem sido destaque na Rio+20, Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável.

Informações: Clic RBS/Acerto de Contas


READ MORE - Volvo oferece financiamento para Porto Alegre comprar ônibus híbrido

Greve de ônibus marcada para hoje é suspensa em Fortaleza

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Ceará (Sintro) suspendeu a greve de ônibus, anunciada para ter início hoje, e convocou a categoria para participar de duas assembleias gerais, nesta terça-feira, às 9h e às 15h, na sede do Sintro.
Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Ceará concedeu uma entrevista coletiva, ontem, com o objetivo de avisar que a paralisação prevista para o início desta terça-feira não seria realizada.

A medida foi tomada após audiência realizada na tarde de ontem, em caráter de urgência, na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), entre o sindicato dos trabalhadores e o Sindicato das Empresas de Ônibus do Estado do Ceará (Sindiônibus). Na ocasião, o sindicato patronal apresentou proposta de reajuste salarial de 8,5%, o que representa ganho real de 3,45% para a categoria.

Com essa decisão, o salário dos motoristas passará dos atuais R$ 1.273,00 para R$1.381,00. O dos cobradores equivale a 60% do salário dos motoristas. Além disso, a cesta básica aumentaria de R$ 60,00 para R$ 70,00. Outro ganho seria o fim das duas "pegadas" por dia. "O que estava acontecendo é que os motoristas trabalhavam três horas de manhã e de tarde tinham que trabalhar mais quatro horas para completar a jornada de trabalho. Mas, segundo a proposta, isso não acontecerá mais", frisa Domingos Neto, presidente do Sintro.

O sindicalista chamou a imprensa para uma entrevista coletiva na noite de ontem, a fim de informar a suspensão da greve. Ele afirma que, apesar de não ser o reajuste que a categoria almejava, as propostas são interessantes e apresentaram avanços. Contudo, deixa claro que o estado de greve está mantido e que, somente hoje, a categoria decidirá, em assembleia, se aceita a contraproposta dos patrões. "A categoria é soberana, somente ela poderá dizer se terá ou não greve", salienta. A reivindicação inicial da categoria era de reajuste salarial de 25%. Depois baixaram para 15%, valor que está mantido.

Impasse

Alguns pontos das reivindicações, entretanto, deixaram de ser atendidos pelo sindicato patronal. Dentre eles, o plano de saúde, que continuará sem ser disponibilizado aos trabalhadores, e o fim da dupla função dos motoristas de micro-ônibus, que têm de receber passagens e passar o troco para os usuários.

"Não foi possível dessa vez, mas ficou o compromisso deles (Sindiônibus) de tentar acabar com essa dupla função. A promessa é de que essa cláusula será decidida depois", afirmou Domingos Neto.

De acordo com informações do Sintro, a categoria é composta, atualmente, por 10.600 trabalhadores. Desse total, cerca de 6 mil são motoristas de ônibus e 4.600 cobradores. O transporte público da cidade de Fortaleza movimenta, diariamente, em torno de um milhão de passageiros na Capital.
Aumento
8,5% foi o percentual de reajuste apresentado pelo Sindicato Patronal aos motoristas e cobradores. O total representa ganho real de 3,45% nos salários
Prefeitura decide entrar no debate
A suspensão do início da greve dos motoristas e cobradores ocorreu após negociações e intermediações durante o dia e início da noite de ontem. No acordo, Sintro, Prefeitura de Fortaleza, Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) e o Sindicato das Empresas de Ônibus do Estado do Ceará (Sindiônibus) participaram.

Nesta terça-feira, acontecerão, além das assembleias comandadas pelo Sintro para decidir os rumos da greve, encontro na Prefeitura, marcado para as 17 horas, entre dirigentes do Sindiônibus, da Empresa de Transportes Urbano de Fortaleza (Eutufor) e a prefeita Luizianne Lins para discussão do processo de como serão repassados os custos desta negociação.

"A Prefeitura resolveu entrar na discussão e convocou o Sindiônibus para conversar sobre medidas que fossem tomadas para evitar o início da greve. Hoje, vamos continuar discutindo propostas concretas e fazendo esforços para que nenhum fortalezense seja prejudicado com paralisação", disse Luizianne Lins, em coletiva, ontem. Ela acrescentou que o primeiro passo é não ter a greve, que esse ponto será intermediado entre os sindicatos envolvidos. O segundo passo é se terá ou não aumento no valor da passagem, que segundo ela, se empenhará para que não ocorra.

Sindiônibus

O presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira, disse ter ficado satisfeito com os entendimentos iniciais e considerou importante a proposta sugerida pelo SRTE. "Esta proposta veio com a característica de suspender a greve e, ao mesmo tempo, deixar que as partes interessadas trabalhem e que possa se chegar a um entendimento. O mais importante é que isso garanta para população que não há mais chance de paralisação dos transportes. Entendo que a greve traria prejuízos não só para a população, mas para nós e também para os rodoviários", afirmou Dimas.

O dirigente informou que, hoje, leva à prefeita os estudos dos impactos financeiros que esse reajuste vai representar.

Luana Lima / Diário do Nordeste

READ MORE - Greve de ônibus marcada para hoje é suspensa em Fortaleza

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960