Passagem de ônibus está mais cara em Porto Alegre

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

As passagens de ônibus em Porto Alegre custam R$ 2,85 desde esta segunda-feira, após um reajuste de 5,56%. Com o aumento, Porto Alegre tem agora a terceira passagem mais cara do país entre as capitais, perdendo apenas para São Paulo e Florianópolis.

Onovo valor foi fixado após o estudo técnico da coordenação de regulação de Transportes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) apontar R$ 2,88 como tarifa dos ônibus da Capital. O Sindicato das Empresas de Ônibus de Porto Alegre (Seopa) havia pedido que o valor subisse de R$ 2,70 para R$ 2,95.

De acordo com levantamento técnico realizado pela EPTC, em relação aos itens que compõem a planilha tarifária, os principais aumentos foram nos gastos com pessoal (7,5% em salário e 15,38% em vale-refeição) e pneus e recapagens (23,75%).

Entre os principais itens da planilha tarifária estão os tributos (9,15%), combustíveis e lubrificantes (16,08%), pessoal (47,97%) e frota (25,10%). A tarifa é calculada pela divisão entre o custo por quilômetro rodado e o índice de quem paga a passagem.

Até domingo, Porto Alegre ocupava o quinto lugar no ranking das tarifas no país, entre as capitais, perdendo para São Paulo (R$ 3), Florianópolis (R$ 2,90), Rio de Janeiro (R$ 2,75), e Manaus (R$ 2,75). Questionado sobre a mudança na lista das mais caras, o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, defendeu a qualidade do serviço na Capital e o fato de que, em alguns municípios, as passagens contam com subsídios das prefeituras.

— Há cidades que não reajustaram as passagens neste ano — reforçou Cappellari.

O sistema de transporte coletivo de Porto Alegre atende mensalmente 32 milhões de passageiros. Destes, 28% não pagam tarifa por algum tipo de isenção, segundo a EPTC.

A frota da Capital é de 1.659 ônibus, sendo 23% com ar-condicionado e 51% adaptada para deficientes físicos. A idade média é de quatro anos. Em 2011, a frota sofreu uma renovação de 13,5%, com 225 novos veículos, diz a empresa.

Aumento não altera as isenções de pagamento

Sobre o reajuste, o órgão explica que a meia-passagem dos estudantes ficará em R$ 1,42, enquanto a segunda passagem na integração, em até 30 minutos após a primeira viagem, continua grátis para os usuários que têm os cartões TRI Vale-Transporte, Passe Antecipado e Escolar.

O aumento nos preços não altera as isenções de pagamento de passagem para pessoas a partir de 60 anos (com comprovação de baixa renda) e de 65 anos (sem restrições). Também não precisam pagar rodoviários, portadores de necessidades especiais e seus acompanhantes.

— Por 60 dias, os créditos adquiridos até o dia 5 valerão igual. Ou seja, os R$ 2,70 desses créditos valerão por uma passagem — ressalta Cappellari.

O reajuste ainda se aplica à confecção da segunda via dos cartões TRI e aos sistemas de integração dos ônibus com o trem e o transporte coletivo da Região Metropolitana. O bilhete dos lotações passará para R$ 4,25.



READ MORE - Passagem de ônibus está mais cara em Porto Alegre

Governo do Pará negocia empréstimo de R$ 320 mi para o projeto “Ação Metrópole"

Começou nesta segunda-feira (6), em Brasília, a negociação oficial entre o governo do Pará, Governo Federal e a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), para o acordo de empréstimo de R$ 320 milhões que serão investidos na segunda etapa  do “Ação Metrópole”, projeto que cria um sistema integrado de transporte público na Região Metropolitana de Belém. Os recursos vão garantir as obras no corredor da BR-316,  avenida Almirante Barroso e centro, além da construção de um terminal de integração e estação de transbordo, melhorando o serviço e a qualidade do transporte público na grande Belém.
O projeto pretende criar um sistema integrado de transporte público na Região Metropolitana de Belém e vão garantir as obras no corredor da BR-316 avenida Almirante Barroso e centro

Tendo a frente o secretário especial de Infraestrutura e Logística, Sérgio Leão, a equipe paraense, composta por técnicos, advogados e diretores do Núcleo de Gerenciamento do Transporte Metropolitano (NGTM), desembarcou em Brasília, onde deve ficar até a próxima sexta-feira, quando serão discutidas todas as cláusulas do acordo.

A reunião é coordenada pela Secretaria de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento e também conta com a participação de técnicos da Procuradoria da Fazenda Nacional. “Nesta fase, o trabalho é muito técnico, de discussão minuciosa dos termos do acordo para definir condições de pagamento, se o estado concorda ou não” explicou o secretário. E completou: “como acontece em todas as operações de crédito externo envolvendo os estados, o Governo brasileiro é o grande avalista do acordo. Fechando essa parte, vamos partir para as negociações com a Jica, já a partir da próxima quarta-feira (8)”.

Aprovado o acordo entre as partes - Governos estadual, federal e Jica - a proposta de empréstimo segue para aprovação no senado, quando será transformada em contrato. A previsão é de seja votada até o final de março.

Fonte: Governo do Pará


READ MORE - Governo do Pará negocia empréstimo de R$ 320 mi para o projeto “Ação Metrópole"

Falta de informação nos ônibus do Recife prejudica usuários

Informação, essa palavra passa distante de muitos coletivos que circulam na Região Metropolitana do Recife, pois muitos usuários ficam de certa forma confusos e receosos quando o assunto é escolher o coletivo para o embarque.
Hoje na Região Metropolitana circulam cerca de 2800 ônibus em 17 empresas que atendem a quase 2 milhões de usuários por dia.
Falta de certa forma mais atenção das empresas com os usuários, pois muitos não sabem onde os coletivos passam e muitos não sabem nem qual tarifa é cobrada por tais linhas. O que vemos nas paradas e terminais são pessoas tendo que recorrerem aos próprios passageiros, ou seja, nem nos próprios terminais existem guias para facilitar a vida dos usuários.
E muitos ficam até receosos em perguntarem aos motoristas pelo simples motivo de serem maltratados.
O que estamos vendo é uma grande quantidade de ônibus que tem itinerários de referência como hospitais, parques entre outros, porém estes pontos são desprezados pelas empresas sem que haja uma placa sequer de informação, apenas o nome da linha, ou seja, como o usuário vai saber que a linha passa em tal lugar sem que haja uma placa indicativa dos principais pontos da cidade?
Porém umas empresas que chamou atenção do Blog foram a Pedrosa, a Itamaracá Transportes e a Santa Cruz, que tem seus itinerários principais postados no pára-brisa do ônibus, deixando os usuários de certa forma informados e aonde a linhas circulam.
Blog Meu Transporte




READ MORE - Falta de informação nos ônibus do Recife prejudica usuários

Linha 2 do Metrô do Rio sofre pane na sinalização e deixa centenas de pessoas prejudicadas

O problema de sinalização que fechou as estações do metrô na linha 2, entre Pavuna e Del Castilho, na zona norte do Rio de Janeiro, na manhã desta segunda-feira (6), deixou centenas de passageiros sem meio de transporte para chegar ao local de trabalho. O problema durou mais de uma hora.
Ainda no início desta manhã, uma queda de energia parou o serviço do metrô. Passageiros tiveram que desembarcar na estação Irajá. A falta de luz e o calor preocuparam os usuários que ficaram sem ar-condicionado na linha 2, entre as estações Colégio e Vicente de Carvalho.

Débora Tosi / R7
Segundo comerciantes do entorno da estação Pavuna, os problemas com a energia começaram depois da implosão do terminal rodoviário na manhã de domingo (5).
Na estação Pavuna, que recebe usuários de toda a Baixada Fluminense, usuários se deparavam com as portas fechadas e a falta de informação. Os agentes da concessionária afirmavam que não sabiam quando o serviço seria normalizado e as causas da paralisação também não eram informadas.
A estação de trem da Pavuna ficou cheia e houve um princípio de confusão. Os trens circulavam lotados e com atraso.
Muitos trabalhadores, como a operadora de telemarketing Érica Aparecida, grávida de seis meses, tiveram que voltar para casa.
- Não há condições de eu pegar um trem com essa barriga, e de ônibus eu vou chegar muito tarde. E ainda não consegui falar com o meu patrão.
O horário era a maior preocupação do mensageiro Fábio Soares, que também não conseguia falar com o seu chefe.
- Eu tinha que chegar ao trabalho cedo e estou a mais de 30 minutos na fila para entrar no trem. Não vou chegar no horário.
Passageiros da estação Pavuna contaram que, por volta das 6h40, agentes do metrô pediram para que os usuários saíssem da estação, pois ela iria fechar devido a problemas técnicos. Os que compraram a passagem com dinheiro tiveram reembolso.

Informações: R7.com


READ MORE - Linha 2 do Metrô do Rio sofre pane na sinalização e deixa centenas de pessoas prejudicadas

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960