Na Grande Florianópolis, Motoristas e cobradores decidem entrar em greve a partir de segunda-feira

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Os trabalhadores do transporte coletivo da Grande Florianópolis decidiram, por unanimidade, entrar em greve por tempo indeterminado a partir da 0h próxima segunda-feira, após se reunirem em três assembleias, nesta quarta-feira.

Ao todo, serão cerca de 5 mil cobradores e motoristas parados. Um comunicado será entregue nesta quinta-feira à prefeitura pelo Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano (Sintraturb), para oficializar o aviso de greve com 72h de antecedência, conforme prevê a lei.

Diante do alerta, a prefeitura assegurou que vai acionar imediatamente a Justiça do Trabalho para garantir que um contingente mínimo de ônibus continue a circular na cidade — 30% nos horários normais e 70% nas horas de pico.

O motivo da greve é o impasse entre trabalhadores e empresários nas negociações por redução da jornada de trabalho e aumento salarial, que são as principais reivindicações na pauta deste ano.

Na segunda assembleia realizada nesta quarta-feira no Terminal de Integração do Centro (Ticen), em Florianópolis, trabalhadores do transporte coletivo da Grande Florianópolis decidiram novamente por entrar em greve.

No primeiro encontro, pela manhã, a categoria já havia decidido pela paralisação, com decisão unânime dos cerca de 600 profissionais que compareceram, segundo o secretário de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano (Sintraturb), Antônio Carlos Martins.
Impasse com empresas de ônibus:
Na última segunda-feira, a rodada de negociações entre trabalhadores e empresas de ônibus terminou sem avanços. Na ocasião, a categoria já havia anunciado a possibilidade de greve.

O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Florianópolis (Setuf), Waldir Gomes, argumentou que as propostas para jornada de trabalho e aumento salarial são impraticáveis.

— Se eles entrarem em greve, vamos deixar a Justiça decidir — alega o presidente, que descarta a possibilidade de greve esta semana, já que a categoria precisa alertar a sociedade 72h antes, conforme prevê a legislação.

Principais reivindicações
:: Aumento salarial com base no INPC e mais 5%.
:: Redução da jornada de trabalho de 6h40min para 6h.

O que diz o Setuf
:: A redução da carga horária é inviável, pois exigiria a contratação de mais funcionários e as empresas não podem arcar com o custo.
:: A prefeitura já sinalizou que não vai mais autorizar aumento de tarifa.


0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960