Governo de São Paulo reduz investimentos do metrô em 58%

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

No primeiro semestre de 2011, o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) reduziu em 58,2% os repasses à Companhia do Metropolitano de São Paulo e em 23,6% para a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em comparação com o mesmo período de 2010. Os dados constam no Sistema de Informação e Gerenciamento do Orçamento (SIGEO).

O saldo de investimentos nas duas companhias já vinha sendo reduzido há alguns anos. De 2008 a 2010, durante a gestão de José Serra (PSDB), apesar da previsão de gastos no Metrô de R$ 9,58 bilhões, o governo estadual investiu R$ 5,95 bilhões, 37,88% a menos. Somente em 2010, R$ 2,3 bilhões deixaram de ser repassados ao Metrô.

A CPTM, por sua vez, recebeu entre 2006 e 2010 cerca de R$ 4 bilhões em investimentos do governo estadual. No entanto, os repasses não foram suficientes para fechar as contas da companhia. A CPTM teve prejuízo líquido de R$ 419,22 mil em 2008 e R$ 353,62 mil em 2009. O balanço de 2010 ainda não foi apresentado.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Metroviários de São Paulo (Metroviários-SP), Altino de Melo Prazeres Júnior, apesar da propaganda que o governo do estado faz da expansão da malha metroferroviária, os repasses às companhias não são suficientes para que a ampliação do transporte sobre trilhos seja feita com rapidez. “Há uma incoerência por parte do governo, porque os investimentos, a nosso ver, estão muito aquém do que deveria ser destinado [às companhias]”, defende.

A mesma opinião é compartilhada por Eluiz Alves de Matos, presidente do Sindicato dos Ferroviários de São Paulo. “Demorou-se muito para começar a investir no transporte sobre trilhos e o que se fez até agora ainda não é o suficiente”, alega.

Superlotação

Matos reconhece que nos últimos anos a estrutura e o serviço da CPTM melhoraram, no entanto, acredita que há muito que se fazer. O sindicalista afirma que ao mesmo tempo em que se melhorou o atendimento, a demanda de usuários também cresceu.

Nos últimos dez anos, a quantidade de passageiros transportada pela CPTM cresceu 46,7%, indo de 1,5 milhão de usuários por dia em 2001 para 2,2 milhões neste ano. Já o Metrô, em 2011, foi considerado o mais lotado do mundo pela CoMet – comitê que reúne os maiores metrôs do mundo –, por transportar diariamente uma média de 3,6 milhões de usuários.

Prazeres afirma que a falta de investimentos, além da demora na conclusão da expansão, é refletida também na operação das companhias, como na falta de funcionários e no aumento de falhas nos equipamentos de via e nos trens.

Segundo ele, o crescimento do número de usuários não foi seguido pelo aumento de funcionários. “O funcionário paga o preço [da falta de investimento] também, é uma situação muito crítica”, explica.
Levantamento do Metroviários-SP aponta que hoje o Metrô possui um agente de segurança para cada 3 mil usuários.

Urgência

Para Prazeres, a superlotação dos trens é uma prova da necessidade de se priorizar o investimento para ampliação da rede metroferroviária e melhoria do serviço. “Na verdade, faltam investimentos em décadas. O que está sendo feito hoje é importante, mas ainda é pouco”, defende.

Atualmente, as linhas 4-Amarela, 5-Lilás e 2-Verde estão em obras de expansão. Alckmin também assinou, no último dia 30 de julho, o contrato para implantação da linha 17-Ouro, que deverá ser concluída até 2015. Ainda estão em fase de projeto as linhas 6-Laranja, 15-Branca e 18-Marrom do Metrô. “A previsão é de que daqui a 20 anos se conclua toda a expansão, mas não dá para esperarmos tanto tempo”, pondera o presidente do Metroviários-SP.

No caso da CPTM, a estimativa da Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM) é de que a rede ferroviária passe dos 260 km atuais para 304 km em 2014.

O governo do estado, na avaliação de Prazeres, deveria deixar de priorizar a realização de grandes obras viárias, como túneis, viadutos e grandes avenidas, destinadas ao transporte individual e destinar mais recursos para o transporte público. “ A solução para a mobilidade urbana de São Paulo é o transporte público de qualidade, através do Metrô e da CPTM”, completa Matos.

O presidente do Metroviários-SP também ressalta a importância da participação popular no planejamento do transporte público de São Paulo. “O planejamento deveria ser discutido com a sociedade, porque não adianta se ter um investimento pesado em transporte se o plano for decidido por um governo e não for seguido pelo próximo que o substituirá”, pondera.

Informações: Correio do Brasil

READ MORE - Governo de São Paulo reduz investimentos do metrô em 58%

Metrô de Teresina vai ter duas novas estações

A ordem de serviço para a construção de novas estações do metrô de Teresina já foi dada. O projeto prevê a criação de duas novas estações, uma no bairro São João, onde as obras já foram iniciadas e outra no bairro Piçarra. “Na primeira quinzena de dezembro desse ano estaremos com essa estação já concluída e com as duas novas estações o metrô atenderá de forma direta noves bairros da capital”, afirma Antônio Sobral, diretor administrativo da Companhia Metropolitana de Transporte Público (CMTP).

O metrô possui 15,1 quilômetros de extensão e nove estações. Para uma melhor qualidade no atendimento aos usuários será feita até o fim do ano obras de complementação, que visam à melhoria das estações e dos entornos da linha férrea. Na reforma inclui a construção de sarjetas de drenagem, revestimentos de costa, o que evita desmoronamento de terra sobre a linha do metrô e a vedação da linha em alguns bairros, onde não existem muros de proteção. “A construção de muros no entorno da linha irá garantir uma segurança maior para as pessoas que residem e trafegam próximo à linha do metrô”, explica o diretor.


Oito estações passarão pela reforma, onde será feita a recuperação da cobertura, das instalações elétricas e hidráulicas, além da troca de piso e pintura. A ordem de serviço já foi dada e a recuperação das estações já foi iniciada no bairro Renascença.


READ MORE - Metrô de Teresina vai ter duas novas estações

Cidade de São Paulo terá (Roda SP) linha turismo

O governador Geraldo Alckmin apresentou hoje o Roda SP, projeto desenvolvido pela Secretaria de Turismo para levar linhas turísticas de ônibus, com veículos de dois andares, conhecidos como double-deckers, para diversas regiões do estado em diferentes períodos do ano.

Para participar do programa, o turista teria de comprar um ingresso no valor de R$ 10, válido por todo o dia para embarque e desembarque nos pontos de parada do ônibus. Durante a viagem, os passageiros poderiam ouvir áudios em português, inglês e espanhol sobre a história e os atrativos da região.


Os primeiros roteiros experimentais do Roda SP começaram no dia 20 de julho na Serra da Mantiqueira: os ônibus levaram os turistas de Campos do Jordão gratuitamente para conhecer os principais pontos turísticos do município e de cidades vizinhas.


Entre os dias 6 e 7 de agosto, os veículos estiveram no Vale do Ribeira, à disposição de mais de 200 mil turistas que visitaram Iguape para a Festa do Senhor Bom Jesus de Iguape. Até o dia 18 de agosto eles estarão na Serra da Mantiqueira, contemplando Aparecida e outras cidades que não foram incluídas nos roteiros da primeira edição. Em seguida, os ônibus vão atender ao mais de um milhão de turistas na Festa de Peão de Boiadeiro de Barretos, interior do estado.



READ MORE - Cidade de São Paulo terá (Roda SP) linha turismo

No Recife, Cartão VEM Comum já se encontra à venda

Uma grande iniciativa para os usuários comuns do sistema de transporte do Recife e Região Metropolitana, o Cartão VEM Comum já é comercializado nos postos de recarga do VEM, este cartão visa primeiramente acabar ou diminuir o fluxo de dinheiro dentro dos ônibus, na qual diminuiria e muito os assaltos aos coletivos, além de melhorar o embarque, pois com o cartão o usuário não ficaria preso na catraca esperando o troco por exemplo, sem falar que em muitas vezes nem troco tem, isso é visto com freqüência nas linhas de anel B, onde as tarifas custam R$ 3,10 e haja moedas para os operadores, o cobrador Josenildo Rodrigues, relata que não tem moeda suficiente, e que em muitas situações o usuário desce pela frente por falta de troco.
Ponto Negativo
Ainda em testes, porém com uma baixa procura, o Cartão VEM Comum não oferece nenhuma vantagem a mais além de não precisar pagar a tarifa em dinheiro, ou seja, não existe nenhum desconto para quem paga as tarifas por antecedência.
Especialistas de transporte ouvidos pelo Blog Meu Transporte relataram que se tivesse algum desconto, a procura seria maior, para eles quem ganha mais com o VEM Comum são as empresas, que teriam renda antecipada, diminuição nos assaltos, embarques mais rápidos e mais controle nas demandas.
Se não tiver nenhum desconto, o Cartão VEM Comum não terá muito sucesso, sem falar que nos pontos de ônibus, ainda é possível encontrar cambistas vendendo vale-transportes à R$ 1,90 e não dá pra quem quer, ou seja, é preciso incentivar o usuário a adquirir o cartão, porém com descontos e vários pontos de recargas.
Como adquirir
No Posto de Carregamento do Vem situado à Praça Maciel Pinheiro, 342 – Boa Vista de segunda a sexta-feira das 07:30hs às 19:00hs.
A aquisição será feita com a compra mínima de R$ 25,00 em créditos.
O Cartão tem algum Custo?
Não, porém só poderá ser adquirido através de uma carga igual ou maior que R$ 25,00
O Cartão é recarregával?
Sim, e o carregamento só poderá ser realizado no Posto de Atendimento situado a Praça Maciel Pinheiro, 342- Boa Vista
É Possível acompanhar o Saldo do Cartão?
Sim. O saldo pode ser acompanhado nos validadores dos ônibus ou nos validadores do Posto de Atendimento do Vem na Praça Maciel Pinheiro, 342 – Boa Vista.
O VEM Comum tem garantia?
A garantia deste cartão é de 90 (noventa) dias, a contar da data da primeira carga, observado os cuidados específicos listados no item abaixo. Confirmado a existência de problemas, o cartão será trocado gratuitamente e os créditos eletrônicos remanescentes serão transferidos para o novo cartão dentro do prazo de 04(quatro) dias desde que o cartão esteja com os dados da sua numeração legível possibilitando sua identificação no sistema.
O VEM Comum pode ser utilizado mais de uma na mesma viagem?
Sim, pois é um cartão que não está vinculado a qualquer benefício social, por isso não tem restrição de uso. Podendo ser usado quantas vezes forem necessárias até o limite do saldo de crédito existente no mesmo, inclusive por mais de uma pessoa na mesma viagem.

READ MORE - No Recife, Cartão VEM Comum já se encontra à venda

BRT em Salvador terá três vias: Cajazeiras, Calçada e Pituba

O presidente da Comissão do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), Alberto Valença, durante coletiva de imprensa que divulgou detalhes do sistema de modais integrados a ser implantado na Região Metropolitana de Salvador, anunciou as três primeiras vias do BRT (ônibus modernos em vias exclusivas) que serão construídas na capital baiana.

Orçados em R$ 800 milhões, os corredores passarão por diversos bairros de áreas nobres e carentes da cidade. O primeiro será na Avenida 29 de Março, via a ser construída para ligar a BR-324 (na altura de Águas Claras) até a Paralela (Bairro da Paz). Este primeiro canal integrará os bairros de Cajazeiras, Fazenda Grande e Castelo Branco.

A segunda via partirá da Estação Ferroviária da Calçada, na Cidade Baixa, até a futura estação de metrô do Retiro. Já a terceira intervenção ligará o Acesso Norte (Iguatemi) até o bairro da Pituba. 


Informações: Bahia Notícias

Share |
READ MORE - BRT em Salvador terá três vias: Cajazeiras, Calçada e Pituba

Em teste, TV nos ônibus de Curitiba é aprovada por passageiros

Passageiros do sistema Expresso estão tendo uma surpresa ao entrar em alguns ônibus: a existência de uma televisão a bordo. A novidade, em fase de teste desde a semana passada, está em cinco ônibus e tem recebido aprovação imediata. 
 “É bem interessante. Você já chega no trabalho sabendo várias coisas, notícias, previsão do tempo e até câmbio”, afirma a bancária Dolores Pilz que usa diariamente ônibus  na linha Boqueirão. “É uma iniciativa boa mesmo”, aprova.

No mesmo ônibus, Maria Alcina Weber também aplaude a iniciativa. Morando em Curitiba há 44 anos, ela diz que a TV é mais um ponto de melhoria do sistema. “Em Curitiba não compensa andar de carro. Nosso transporte é bom e agora teremos até TV”, comemora.


Os equipamentos, que usam diferentes tecnologias, são parte de projetos piloto que estão sendo avaliados pela Urbs. Eles vão ficar nos ônibus durante 60 dias e, a partir da definição da tecnologia a ser adotada, a Urbs vai lançar edital de licitação para implantação da chamada mídia embarcada no sistema de transporte de Curitiba.

Os projetos que estão sendo testados foram desenvolvidos pelas empresas Exatta, Midiaplan e Elemídia. A partir da semana que vem também as empresas BusTV e Grupo Digital estarão envolvidas nos projetos. O conteúdo, nesta fase de teste, é de utilidade pública, notícias e mensagens educativas de respeito às leis de trânsito e preservação ambiental.

A partir da implantação definitiva, a TV nos ônibus será mais um meio para – além de informações e utilidade pública – veiculação de publicidade, criando uma nova fonte de recursos com impacto positivo sobre a tarifa.

A fisioterapeuta paulista Patrícia Quirino, que está morando em Curitiba há poucos meses e já conhece o sistema no metrô paulista, não tem dúvida de que os curitibanos vão aprovar a idéia. “É bem interessante. O transporte aqui em Curitiba é mesmo bom e agora com TV a bordo vai ficar mais agradável ainda”, afirma.

“Acho que só vai faltar a pipoca”, brinca o estudante Lucas Vinícius de Melo Moreira, que mora em Fazenda Rio Grande. “É muito bom, a gente vai se distraindo, vendo notícias, fica sabendo mais coisas. Está aprovado mesmo”, afirma.

O também estudante Felipe Luiz Fidélis tirou o fone de ouvido para conversar com a reportagem, mas diz que não pretende fazê-lo por conta da TV a bordo. “Aí é que é bacana, vou continuar a ouvir minha música e ainda fico me informando na TV, porque é tudo imagem e legenda, sem áudio. Acho que a ídéia é essa, passar informação sem fazer barulho”, afirma.

Igor Basso e Mariana Josinski, que nesta quarta-feira se dirigiam ao Boqueirão, mostraram-se surpresos com a TV. “É mais um meio de informação e distração que a gente vai ter dentro do ônibus”, afirmou Igor. “É interessante, a gente pode ter várias informações, dá até para economizar jornal”, brincou Mariana.


Fonte: Prefeitura de Curitiba

READ MORE - Em teste, TV nos ônibus de Curitiba é aprovada por passageiros

Em Brasília, Linha Executivo Aeroporto tem novos horários

Começou a valer este mês a nova tabela de horários da Linha Executiva 113, que liga o Aeroporto Internacional de Brasília aos Setores Hoteleiros Norte e Sul. O intervalo de saída entre os ônibus foi adaptado de acordo com a demanda percebida nos primeiros meses de uso do transporte, sem aumentar o tempo de espera do passageiro. A lista pode ser acessada no site http://www.tcb.df.gov.br/005/00502001.asp?ttCD_CHAVE=12618.

Outra novidade é que os ônibus da linha já estão equipados com o validador de cartões. O sistema facilita a cobrança das passagens dos brasilienses. O valor continua a ser R$ 8.

A integração dos transportes de Brasília para facilitar o acesso aos pontos de entrada e saída da cidade ficou ainda mais completa com o lançamento linha 108.8. Em continuidade ao Executivo-Aeroporto, os novos ônibus farão a ligação entre o centro de Brasília, a Rodoviária Interestadual e a W3 Sul. Ligado ao Metrô, o transporte será isento de custo de passagem e possibilitará também o deslocamento das pessoas originadas de Ceilândia, Samambaia e Taguatinga.


Fonte: TCB

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Em Brasília, Linha Executivo Aeroporto tem novos horários

São Paulo: Autorização para táxis usarem corredores de ônibus será revista pela Secretaria dos Transportes

A Secretaria dos Transportes criou uma comissão de estudos para reavaliar o impacto da utilização dos corredores exclusivos de ônibus por táxis. A permissão para que os táxis utilizem os corredores pode não ser renovado.

A autorização para táxis usarem corredores exclusivos de ônibus foi determinada pela primeira vez em agosto de 2005 e, desde então, sua renovação tem sido feita sistematicamente. A autorização mais recente vence no dia 30 de setembro.

A secretaria informou que, como o plano de mobilidade urbana prioriza o transporte público e um dos objetivos é aumentar a velocidade dos ônibus nos corredores, é necessário que se faça uma avaliação mais profunda da circulação de táxis nesses corredores.

A comissão que vai avaliar a autorização é composta por integrantes do Departamento do Sistema Viário, da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), do Departamento de Transportes Públicos e da SPTrans. Ela terá o prazo de 40 dias a partir da publicação de portaria no Diário Oficial (6 de julho) para elaborar relatório sobre o impacto do uso dos corredores pelos táxis.


Fonte: R7.com

READ MORE - São Paulo: Autorização para táxis usarem corredores de ônibus será revista pela Secretaria dos Transportes

Plano para ônibus interestaduais prevê tarifa menor e renovação de frota

O novo modelo para a concessão das ligações interestaduais de ônibus, um setor que fatura R$ 4 bilhões por ano e funciona sob regime de autorização especial desde 2008, será apresentado hoje pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) com 1.967 linhas e redução das tarifas em 51 dos 60 lotes em que elas foram divididas. Haverá metas de desempenho na prestação do serviço, todos os bilhetes terão código de barras, rastreadores eletrônicos controlarão a pontualidade dos ônibus e a idade máxima da frota será de dez anos. A redistribuição das linhas provocará um enxugamento no número de transportadoras - hoje são 253 - e trará ganhos de escala para quem permanecer no mercado.

"Vamos exigir a renovação da frota de ônibus, criar instrumentos de controle operacional dos serviços e melhorar o atendimento aos passageiros", disse o diretor-geral da ANTT, Bernardo Figueiredo. O plano de outorgas ficará em consulta pública até 12 de setembro. A licitação deverá ocorrer no início de 2012, atendendo às exigências do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Ministério Público Federal (MPF), que reclamam da falta de regulação sobre o setor.

Hoje o país tem 2.412 linhas interestaduais com trajeto superior a 75 quilômetros. Com base em um estudo feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), houve uma redução para 1.967 linhas. Elas foram divididas em 60 lotes, menos de metade dos 125 que haviam sido definidos no primeiro plano de outorgas, divulgado em março de 2009 e suspenso por iniciativa de Figueiredo, ao assumir a chefia da agência, para uma revisão completa dos estudos que iam balizar a licitação.

Rotas privilegiadas, como aquelas entre grandes capitais, serão licitadas em pacotes que incluirão ligações entre municípios menores, para manter uma espécie de subsídio cruzado. Os lotes foram divididos em 18 grupos, em um mapa que busca privilegiar operações integradas e ganhos de escala, segundo a ANTT. Esse redesenho aumentará a concorrência em linhas como a Rio-São Paulo, que passará a contar com cinco empresas em vez de quatro, e levará o serviço de ônibus interestaduais a 34 municípios desatendidos atualmente, como Garopaba (SC) e Nova Serrana (MG). Cada transportadora não poderá arrematar mais do que um lote por grupo, mas está autorizada a formar consórcios. Ou seja, as empresas poderão se juntar para dividir entre si as linhas de um mesmo lote, respeitando certos critérios.

Apenas quatro ligações funcionarão com cinco empresas competindo entre si, o número máximo de operadoras: Rio-São Paulo (via Duque de Caxias e via São Caetano do Sul), São Paulo-Curitiba e São Paulo-Belo Horizonte. Outras cinco terão quatro concorrentes: São Paulo-Vitória da Conquista (via Medina), São Paulo-Florianópolis (via Santos), Brasília-Goiânia, Brasília-São Paulo (via Ribeirão Preto) e Rio-Belo Horizonte.

"O filé mignon foi dividido em partes iguais", diz Sônia Haddad, superintendente de serviços terrestres da ANTT, referindo-se à distribuição das linhas pelos 18 grupos. Em um cálculo que tomou por base o atendimento da demanda nos períodos mais pesados do ano, a agência exigirá das empresas uma frota operacional de 6.152 ônibus, com 639 veículos de reserva. Como parte da frota será usada em viagens fretadas, principalmente durante a baixa temporada, o novo modelo prevê um redutor de 0,8% das tarifas. A área técnica encontrou esse percentual como forma de capturar parcialmente as receitas das empresas com fretamento, publicidade e transporte de encomendas - revertendo-as em benefício dos passageiros.

Despesas com pessoal e combustíveis também são considerados. A tarifa média cobrada hoje é de R$ 0,122 por quilômetro. Cerca de 85% dos passageiros serão beneficiados com queda das tarifas, que chegarão a R$ 0,096 no lote mais barato. Nove dos 60 lotes, localizados principalmente nas regiões Sul e Sudeste, terão aumento. No máximo, a tarifa alcançará R$ 0,126 por quilômetro, mas ainda poderá diminuir, dependendo dos deságios na licitação.

A Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati), que se dizia preocupada com as novas regras, preferiu não dar entrevista. Um dos pontos criticados pela entidade no primeiro modelo era o fato de que a ANTT considerava um intervalo de apenas uma hora entre o desembarque de passageiros e um novo embarque para fazer outra viagem, inflando artificialmente o tempo em que os ônibus ficam rodando na estrada. A Abrati pedia três horas. No fim, um período de duas horas foi adotado.

Ao longo dos novos contratos, que valerão por 15 anos (não renováveis), as empresas ficarão submetidas a metas de desempenho e qualidade hoje inexistentes. Para ajudar no controle, rastreadores eletrônicos instalados nos ônibus vão informar a pontualidade e a regularidade do serviço. Além da exigência de que nenhum veículo tenha mais de dez anos, a média de idade da frota de cada empresa deverá permanecer sempre em cinco anos. "É a nossa chance de modernizar o sistema de transporte rodoviário interestadual de passageiros", acredita Figueiredo.

Antecipando-se às críticas sobre a concentração do setor, a agência lembra que o mercado é dominado por poucas operadoras. Cerca de 50% da demanda é atendida por 25 empresas. Muitas fazem apenas uma ligação interestadual, dedicando-se sobretudo a atividades urbanas ou semiurbanas. A tendência, com as mudanças do novo modelo, é que as transportadoras aprofundem sua atuação em nichos mais específicos. "Isso criará condições para profissionalizar a gestão das empresas, de forma a garantir sustentabilidade econômica e financeira aos operadores."

O plano de outorgas será apresentado em quatro audiências públicas presenciais: Fortaleza (17 de agosto), Porto Alegre (19 de agosto), São Paulo (23 de agosto) e Brasília (1º de setembro).

Fonte: Valor Econômico

READ MORE - Plano para ônibus interestaduais prevê tarifa menor e renovação de frota

Metrô de Salvador: Manifestantes protestam contra as obras paradas há 12 anos

Centenas de pessoas protestaram nesta quinta-feira em Salvador, contra a demora na construção do metrô. A obra está parada há 12 anos. Mesmo assim, o governo lançou um projeto bilionário para uma nova linha, que promete inaugurar até a Copa do Mundo.

O projeto faz parte do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e é uma parceria pública privada. Deve consumir R$ 2,4 bilhões e inclui também construção e ampliação de avenidas que vão escoar o movimento do metrô.




Fonte: Jornal da Band


READ MORE - Metrô de Salvador: Manifestantes protestam contra as obras paradas há 12 anos

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960