BusTV e TVO anunciam aumento no número de monitores na Grande São Paulo.

sábado, 22 de janeiro de 2011


Band vai entrar com tudo no segmento, serão instalados TV's em 4.400 ônibus em 2011 
 A movimentação das empresas de mídia digital out of home é grande, bem como as novidades em tecnologia e negócios para 2011. Um detalhe que desperta atenção é a chegada de grandes grupos de mídia ao setor, com a aquisição de empresas especializadas. É uma mídia que cresce e veio para ficar, como afirmam os empresários. Este ano um dos alvos é a expansão da TV nos ônibus urbanos, mas o negócio avança por toda parte, com monitores instalados em milhares de pontos de venda, como supermercados, academias de ginástica, elevadores, lojas de conveniência e até embutidos em bombas de gasolina de postos de combustíveis, uma das últimas novidades da Elemidia. O que falta mais? “Ainda sofremos barreira comercial, pois há empresas que têm dificuldade de sair da mídia tradicional, por mais que o resultado seja comprovado”, conta Fábio Simões, sócio e diretor comercial da BusTV, que tem monitores instalados em 500 ônibus da capital paulista, além de em outras 13 cidades brasileiras, somando 3 mil ônibus.

Segundo Simões, a BusTV vai expandir para o interior de São Paulo, com mais 300/500 ônibus por ano, e tem planos de chegar a outros países da América Latina. Mas a capital paulista é o foco. “São Paulo é o foco principal. Hoje temos uma audiência de 12 milhões de pessoas na cidade por mês”, pontua. O executivo conta que em 2010 a BusTV teve faturamento 105% maior em relação a 2009. Este ano a meta é crescer entre 30% e 40%. Uma das novidades é a parceria em conteúdo com a TV Record.

Em 2010, a mídia digital out of home faturou R$ 160 milhões, um crescimento de 70% em relação ao ano anterior, segundo dados da ABDOH (Associação Brasileira de Mídia Digital Out of Home). Este ano a previsão é de um faturamento de R$ 240 milhões, um avanço de 50%. Para a ABDOH, o crescimento é justificado principalmente pela entrada de grandes grupos de mídia.

“A justificativa do crescimento é muito em função da entrada de grandes grupos de mídia neste segmento. O Grupo Bandeirantes foi o primeiro, ano passado a Abril adquiriu a Elemidia, que foi muito importante, o Grupo Algar entrou no Triângulo Mineiro e os Diários Associados em Brasília. O que se percebe é que grupos tradicionais de outras mídias não só em São Paulo, mas em outros estados brasileiros, estão fazendo aquisições e investimento no segmento”, observa Fábio Ribeiro, presidente da ABDOH e  diretor de conteúdo da Band Outernet, braço de mídia digital out of home do Grupo Bandeirantes de Televisão e que reúne as empresas TVO (mídia em ônibus), TV Minuto (metrô) e Nextmídia (estação rodoviária).

Ônibus

A mídia em ônibus é a que tem a maior penetração entre todos os canais out of home no Brasil e atinge essencialmente a classe C. Estudo do Ipsos Marplan mostrou que a penetração dos monitores em ônibus, na Grande São Paulo, é de 34%; atrás estão supermercados com 31%, metrô 28% e shoppings, 20%. Outro dado interessante é que 90% dos passageiros afirmam que a viagem ficou mais agradável com os monitores de TV dentro do ônibus, apontou pesquisa Datafolha com 353 entrevistas, encomendada pela BusTV. O mesmo estudo indica que mais da metade dos entrevistados (56%) se lembra da propaganda exibida, espontaneamente. “Acho que isso acontece pelo tempo de retenção do passageiro no ônibus, em média duas horas por dia. É uma mídia fantástica”, diz Fábio Simões.

Este ano a Band vai entrar com tudo no segmento. Fábio Ribeiro comenta que hoje a frota da TVO é pequena, com 440 ônibus em São Paulo, mas que a empresa começa a virada este ano, com a instalação de monitores em 4.400 ônibus. “Vamos começar instalação de 4.400 ônibus, alcançando 50% da frota de ônibus que circula na cidade pela SPTrans. Vamos ter uma audiência estimada em 3,5 milhões por dia. Estávamos limitados, aguardando nova portaria da SPTrans que regulamenta a mídia TV em ônibus, que saiu este mês. Os monitores estavam instalados em cima de uma portaria antiga. Agora foi regulamentada tanto questão de tecnologia e remuneração da SPTrans, que recebe parte da receita dos donos dos ônibus. No ano passado, chegamos a subsidiar campanhas de anunciantes, porque acreditávamos no produto. Até o ano passado, a regulamentação só permitia exibição de campanhas que fossem veiculadas nos 30 dias do mês. Agora posso veicular um anúncio de dois dias. Isso nos torna muito mais competitivos”, explica Ribeiro.

Eduardo Rosemback, diretor de marketing da Elemidia, comemora. “Este mercado está bom como um todo, vem crescendo ano após ano. 2010 foi um ótimo ano para a Elemidia, entramos no segmento de bares e restaurantes com a compra da CineBoteco e no final do ano veio a grande notícia, que foi a aquisição da empresa pelo Grupo Abril. Fechamos 2010 com faturamento 60% maior. Para este ano,  a aposta é crescer entre 50% e 60”, finaliza.

Fonte: Propmark

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960