DF: Ônibus que pararam esta manhã voltaram a circular normalmente no início da tarde

terça-feira, 20 de julho de 2010


Os cerca de 560 ônibus que pararam as atividades, na manhã desta terça-feira (20/7), voltaram a circular normalmente por volta de 13h. A paralisação relâmpago começou logo cedo terminal do Setor O e, segundo a categoria no local, chegou aos terminais do P Sul e da QNR, em Ceilândia, e em Samambaia Sul. Os motoristas e cobradores querem receber o adiantamento de 40 % do salário e o valor da cesta básica, que deveriam ser depositados todo dia 20 e não estavam na conta dos trabalhadores esta manhã.

De acordo com uma dos diretores do Sindicato dos Rodoviários Francisco Andrade, a paralisação relâmpago desta manhã não tem o apoio da entidade representativa da classe. Para o sindicato, a ausência do pagamento é um jogo político dos patrões, uma forma de pressionar um aumento de passagens. A diretoria do sindicato está reunida desde 13h para definir uma posição em relação ao atraso no pagamento. Andrade não descarta a possibilidade de que outra greve geral seja deflagrada.

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros e das Empresas de Transportes Coletivos (Setransp-DF) afirma que o adiantamento e a cesta básica não foram pagos porque não há dinheiro em caixa para efetuar os depósitos. Segundo o representante dos patrões as empresas Viva Brasília, São José e Grupo Amaral pagaram os funcionários normalmente.

O sindicato destacou que o donos das firmas aguardam uma resposta do Governo do DF sobre a análise das planilhas de custos e a necessidade, alegada pelos patrões, de reajuste salarial. A assessoria de imprensa do GDF destaca que, até o fim desta semana, deve ser divulgada a decisão sobre o aumento ou não das tarifas.

READ MORE - DF: Ônibus que pararam esta manhã voltaram a circular normalmente no início da tarde

Passageiros de São Bernardo do Campo terão sistema moderno de bilhetagem eletrônica


Chega de dinheiro e bordo e vales de papel para os passageiros de ônibus de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. Mesmo que tardiamente, o sistema municipal de transportes vai contar com um sistema de bilhetagem eletrônica, que deve oferecer maior segurança para usuários e operadores, comodidade e rapidez nas operações.

O Consórcio SBCTrans, liderado pela família Setti Braga, da Auto Viação ABC, com a participação de outros empresários da região, como o grupo de Baltazar José de Souza, investiu cerca de 10 milhões de reais para a implantação do Cartão Legal.

Com sistema fornecido pela empresa de tecnologia em transportes APB Prodata Brasil, a bilhetagem eletrônica será implantada aos poucos.Até o final de 2010, o serviço vai contemplar nove categorias de usuários.

Os primeiros a ser contemplados serão idosos e passageiros com deficiência física, com o Cartão Legal Sênior, para usuários com mais de 60 anos, e em seguida, o Cartão Legal Especial para passageiros com deficiência e que possuem gratuidades garantidas pela lei, como desempregados por exemplo.

Essas duas categorias de passageiros terão cartões especiais que trarão foto, número do RG, nome completo e impressão digital do usuário, que será reconhecida pelo aparelho na catraca.O sistema, garante o consórcio, terá o que é de mais tecnológico em bilhetagem eletrônica.

O Cartão Legal acumulará créditos que serão descontados a medida que o passageiro usar os ônibus da cidade. A tecnologia contempla a leitura do cartão sem necessidade de encostá-lo no validador. Basta aproximar o cartão. Isso oferece mais agilidade dos embarques, pelo fato da catraca ser liberada mais rapidamente.

Um fator de segurança para os passageiros é que, além de não ser mais necessário transportar dinheiro, o que reduz os riscos de assaltos, é que se o cartão for extraviado ou roubado, com a comunicação por parte do usuário, ele será cancelado e o passageiro terá seus créditos recuperados. É um passo a frente nas operações de bilhetagem eletrônica.

Cada cartão possuirá um código, que fica com a SBCTrans. Comunicada, a empresa pode cancelar a unidade, para que o infrator ou criminoso não use os créditos. Além disso, calcula quantos créditos tinha armazenado no momento do roubo e extravio e devolve esse valor em outro cartão. Não há risco de o passageiro por má fé conseguir créditos duplos, pois um cartão deixa de ser válido.

Outra praticidade prometida pelo sistema será a possibilidade de recarga dentro do próprio ônibus. Não haverá necessidade de filas em terminais ou de o usuário se deslocar a um ponto credenciado, como um estabelecimento comercial, por exemplo.

O cartão funcionará como uma espécie de bilhete único na cidade, o que é um avanço na região do ABC Paulista, onde a integração entre linhas dentro de um mesmo município é considerada deficitária.

No prazo de 90 minutos, será possível embarcar em outro ônibus municipal, sem pagar nova tarifa. Aos finais de semana e feriados, esse prazo para usar dois ônibus sem custos sobe para 120 minutos.

O sistema de ônibus de São Bernardo do Campo transporta 58 milhões de passageiros anualmente. O consórcio que opera com exclusividade no município, recebe subsídio de 1 milhão e 600 mil reais por mês.

Fonte: Blog Ônibus Brasil
READ MORE - Passageiros de São Bernardo do Campo terão sistema moderno de bilhetagem eletrônica

Intervenções no trânsito de Cuiabá começam no próximo mês


Do total de 20 intervenções programadas para o trânsito de Cuiabá, seis editais de licitação já foram lançados. As alterações estão previstas no projeto que visa a adequação da cidade para o torneio Mundial da Fifa que acontecerá em 2014. A previsão é de que as obras tenham início em agosto, segundo a Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo do Pantanal (Agecopa).

A capital mato-grossense, junto de Belo Horizonte e Manaus, são as cidades cujas obras são consideradas as mais adiantadas. As intervenções são as obras preparatórias para as verdadeiras adaptações, como a construção de viadutos e túneis. Elas estão orçadas em R$ 142 milhões.

Em 2011 é que acontecerão as obras de mobilidade urbana como a do sistema de Bus Rapid Transit - corredores exclusivos para ônibus.Ele funcionará nos principais corredores de Cuiabá como as avenidas Fernando Corrêa, Historiador Rubens de Mendonça (av. do CPA), XV de Novembro, além da Prainha e av. da FEB serão interditadas. A idéia é estar com tudo funcionando até o fim do ano que vem, para sediar a Copa das Confederações, que acontece em 2012.

Dentre as principais intervenções que acontecerão nos próximos meses está a construção de pontes sobre o rio Coxipó, para dar vazão ao tráfego da avenida Fernando Correa. Ela será interditada para a execução do BRT. Além disso, um túnel cortará a avenida Miguel Sutil, na altura da rua Desembargador Trigo de Loureiro, ao lado do Cuiabá Lar Center, ligando o bairro Consil, ao Aráes.

O objetivo é facilitar o acesso à avenida Mato Grosso e desafogar a avenida do CPA.Em outro ponto da Miguel Sutil, na rua General Ramiro Noronha, os bairros Jardim Cuiabá e Santa Rosa também serão interligados por meio de túneis.

Fonte: De olho em 2014
READ MORE - Intervenções no trânsito de Cuiabá começam no próximo mês

Empresa curitibana vai redesenhar o transporte coletivo de Maringá


A prefeitura de Maringá escolheu na segunda-feira (19) a empresa que ficará responsável pela elaboração do projeto do novo sistema de transporte coletivo do município. O trabalho será feito pela Logitrans Logística e Engenharia de Transportes, de Curitiba, que venceu a licitação para o serviço.
De acordo com o gerente do Transporte Público da Secretaria dos Transportes (Setran), Mauro Menegazzo, a empresa realizará uma pesquisa que definirá quais ações serão tomadas pela prefeitura. “Essa avaliação mostrará o que a população quer. Com base nesses dados, vamos definir nossa linha de ação”, explicou.

Atualmente, Maringá conta com 57 linhas e 255 veículos, que transportam cerca de 90 mil passageiros por dia. Entre os pontos que serão analisados pela Logitrans, estão a inclusão, exclusão e modificação de linhas; e adequação de horários dos ônibus. O trabalho deve ser concluído no prazo de oito meses. “Será uma grande reformulação", afirmou Menegazzo.
Apesar de salientar a importância dos estudos para mudança no transporte coletivo, a vereadora Marly Martin (DEM) não deixou de fazer críticas. Para ela, o prazo de oito meses para a conclusão do projeto é exagerado. “É muito tempo para algo que é reivindicado há anos. Isso poderia ser respondido em 30 ou, no máximo, em 60 dias.”

Projeto custará R$ 139,6 mil
O trabalho da Logitrans custará R$ 139,6 mil. Trata-se da proposta com valor mais baixo entre as quatro empresas que participaram da licitação, realizada por convite. Para a comissão que organizou o processo licitatório, o preço proposto pela vencedora está dentro do valor praticado pelo mercado.
Mesmo com o parecer da comissão, a vereadora Marly Martin solicitou que a prefeitura repasse informações sobre as empresas participantes do processo. O objetivo é analisar a existência de um possível direcionamento.

READ MORE - Empresa curitibana vai redesenhar o transporte coletivo de Maringá

Novos ônibus serão utilizados no transporte coletivo de Foz


O prefeito Paulo Mac Donald de Foz do Iguaçu em companhia do Diretor Superintendente do Foztrans, Ailton José de Farias estiveram nessa segunda-feira (19) na garagem da empresa Irmãos Rafagnin conferindo os 10 novos ônibus, que passaram a circular na cidade até o final desta semana.

Mac Donald aproveitou para adiantar que a partir de uma licitação um novo sistema de transporte coletivo será implantado no município. “A população será beneficiada em todos os sentidos, seja no novo modelo de veículo trazendo conforto, redução do tempo de espera e eficiência nos serviços prestados pela empresa”.

Com base no estudo realizado “o novo sistema permitirá linhas racionalizadas, evitando sobreposição, como era anteriormente. Conseqüentemente isso reduz os quilômetros percorridos pelos ônibus, aumentando a freqüência. Desta forma também diminui o tempo médio de espera no ponto, de meia hora para 10 minutos. O resultado é a economia e mais conforto para a população”, informou Mac Donald.

O prefeito explicou que o estudo completo realizado por especialistas propiciou não só a mudança no sistema de transporte, mas também a transformação da frota. O veículo é um pouco menor, consome 40% menos combustível, e foi aumentada a freqüência com que ele irá rodar. “Ao invés de termos um ônibus a cada hora teremos três ônibus rodando neste mesmo tempo”, destacou.

Diferenciais
O novo modelo a ser exigido na licitação está preparado para atender os portadores de necessidades especiais, obesos e idosos como estabelece a legislação. Segundo o gerente geral da empresa Rafagnin Transportes, Juliano Ribeiro, independentemente do processo licitatório a renovação da frota precisa acontecer gradativamente, na medida em que a finda a vida útil dos veículos.

Na aquisição dos novos ônibus que atende também renovação de frota em outras cidades onde o grupo mantém serviços, Ribeiro informou que o novo modelo tem muitas melhorias. Citou como exemplo o assento do motorista que tem apoio de cabeça e regulagem pneumática e o aumento para quatro saídas de emergência, todas na lateral. “No elevado de acessibilidade para o cadeirante, fizemos um projeto de mudança na mecânica, diferente do convencional junto a fabrica de carroceria.

Criamos uma caixa blindada, para o motor ficar do lado de fora do veículo, o que permitiu a diminuição do ruído no interior do veículo. Isso também facilita na manutenção preventiva e ficou bem mais interessante o projeto”, identificou Ribeiro.

Fonte: Clica Foz
READ MORE - Novos ônibus serão utilizados no transporte coletivo de Foz

DF: Motoristas e cobradores fazem nova paralisação relâmpago esta manhã


Funcionários de empresas de ônibus paralisaram as atividades na manhã desta terça-feira (20/7). Alguns veículos chegaram a circular logo cedo, mas retornaram para as garagens por volta de 8h. O Sindicato dos Rodoviários não sabe informar quantas, quais nem quais os locais atingidos pela paralisação. No entanto, a reportagem do Correio flagrou coletivos das empresas Planeta, Viplan, Viva Brasília, Cidade Brasília e Condor estacionados na garagem do Setor O (Ceilândia).

A paralisação relâmpago começou no local, mas já chegou aos terminais do P Sul e da QNR, todos em Ceilândia. Os motoristas e cobradores querem receber o adiantamento de 40 % do salário e o valor da cesta básica, que deveriam ser depositados todo dia 20 e não estavam na conta dos trabalhadores esta manhã.

De acordo com um dos diretores do Sindicato dos Rodoviários, Saul Araújo, há representantes dos trabalhadores nos terminais orientando os funcionários a retornar ao trabalho, já que o valor em questão pode ser depositado até o fim do dia de hoje.

A direção do sindicato se reúne às 14h para decidir os rumos de uma possível greve, caso o adiantamento e a cesta básica não sejam depositados. O sindicato da categoria destaca que o valor não foi pago pelos grupos Planeta, Viplan e Riacho Grande. Ao contrário da realidade encontrada pelo Correio no Setor O, Araújo afirma que os funcionários das empresas não pararam de trabalhar. “Eles estão esperando o resto do dia para ver se entra na conta. Afinal, hoje ainda é dia 20”.

Por meio de nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros e das Empresas de Transportes Coletivos (Setransp-DF) afirma que o adiantamento e a cesta básica não foram pagos porque não há dinheiro em caixa para efetuar os depósitos. O sindicato dos patrões não soube informar quais empresas estão em débito com os funcionários, mas destacou que o donos das empresas aguardam uma resposta do Governo do DF sobre a análise das planilhas de custos e a necessidade, alegada pelos patrões, de reajuste salarial.

Fonte: Correio Braziliense
READ MORE - DF: Motoristas e cobradores fazem nova paralisação relâmpago esta manhã

Kassab deixa para próximo prefeito reforma no transporte


A gestão Gilberto Kassab (DEM) empurrou para seu sucessor a responsabilidade de reorganizar o transporte público, atualmente feito em São Paulo por 20 mil ônibus e peruas. Em norma publicada sábado no Diário Oficial da Cidade, os contratos dos 6 mil perueiros foram prorrogados até 2013. Como consequência, ficou adiada a nova licitação para o setor - que deveria sair neste ano.
A prorrogação adiou, por exemplo, a possibilidade de se reduzir o número de peruas no centro e nos principais corredores exclusivos. Essa reforma foi defendida publicamente pelo ex-secretário dos Transportes Alexandre de Moraes, em abril, como forma de melhorar a velocidade dos carros e das linhas operadas pelos ônibus e evitar a disputa entre as viações e as cooperativas pelas linhas com maior demanda de passageiros.
Pelo contrato atual, às peruas caberia pegar os passageiros dos ônibus nas principais avenidas e levá-los aos bairros em itinerários diferentes dos operados pelas viações. Mas, após sete anos, desde que o governo municipal fez a permissão do transporte público a oito cooperativas de peruas, isso não tem ocorrido na prática. Com a renovação da frota nos últimos três anos, 2.900 veículos operados pelos perueiros são biarticulados, iguais aos ônibus. Isso aumentou a disputa pelas linhas rentáveis, enquanto os trajetos dentro das regiões mais periféricas contam com poucos veículos.
A Prefeitura negou ontem que vai deixar a responsabilidade de uma nova licitação para o próximo governo. A licitação "deverá, sim, ter início nesta gestão", afirmou, por meio de nota. Segundo a administração, será necessário um período de 180 dias para a aquisição da frota antes do início do contrato - em julho de 2013. O governo informou ainda que o aditamento do contrato por três anos e não por um (como defendia Moraes) foi para que os "permissionários possam financiar veículos novos", pois está prevista a substituição de 1,7 mil até 2011.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
READ MORE - Kassab deixa para próximo prefeito reforma no transporte

Trem-bala não reduzirá congestionamento em SP e Rio


O início da operação do trem-bala terá efeito reduzido sobre o fluxo de passageiros do aeroporto de Congonhas (SP) e sobre os trechos mais congestionados da Dutra tanto na capital paulista como no Rio de Janeiro.
É o que mostra uma comparação da Folha dos estudos de viabilidade do projeto com os fluxos de transporte desses dois sistemas. O argumento de que o trem ajudaria a descongestionar o aeroporto e a estrada, já próximos da saturação, tem sido usado por integrantes do governo para defender o projeto.
No caso de Congonhas, a redução de passageiros projetada equivaleria a só 8,8% dos que utilizam o aeroporto por ano.
Já para a Dutra, o fluxo de veículos/dia cairia 6,6%, no máximo, no trecho mais engarrafado de São Paulo. No Rio, seria 3,6% menor.
Ouça comentários do repórter sobre o trem-bala
Só há redução significativa no fluxo de passageiros entre Campinas e São Paulo, que poderia perder até 8,7 mil veículos/dia (cerca de 30% do fluxo em Campinas).
A empresa Halcrow fez o estudo de viabilidade econômica do projeto. Segundo a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), a pesquisa tem metodologia científica comprovada internacionalmente e o número de passageiros calculados foi obtido em pesquisas de opinião feitas com os usuários.
A agência informou que não comentaria os números.
Em 2008, a Halcrow projetou que, se o trem-bala estivesse em operação naquele ano, teria 4,4 milhões de passageiros/ano no trecho SP-RJ, 7,3 milhões no SP-Campinas e 4,9 milhões no SP-São José dos Campos-SP.
Os passageiros retirados desses principais trechos reduziriam fluxo de carro, ônibus e avião.
No caso dos aviões, foi projetada uma perda de 2 milhões de passageiros entre SP-RJ. Considerando 1 milhão em cada cidade, Congonhas ficaria com menos 8,8% dos 13,7 milhões dos usuários de 2008.
O percentual pode ser ainda pior porque naquele ano foi baixo o número de passageiros, após as restrições de uso impostas após o acidente com o avião da TAM, em 2007. Em 2006 foram 18,5 milhões de usuários.
"Ainda que 1 milhão possa parecer significativo, rapidamente seria absorvido pelo crescimento da aviação civil, que é de 30% ao ano", afirmou Pedro Azambuja, do Sindicato Nacional das Empresas Aeroportuárias.
Na Dutra, a média de veículos por trecho na chegada a São Paulo é de 124,2 mil ao dia. Considerando o estudo, no máximo 1.200 carros e ônibus deixariam de usar a via ao dia para fazer todo o trecho. Outros 7.100 de São José deixariam de usar a Dutra para ir à capital.
"É o fluxo de veículos das cidades do entorno que engarrafa, e o trem-bala não tira isso. Dos 900 mil veículos ao dia da Dutra, menos de 10% usam toda a via", afirmou Eduardo Rebuzzi, da Federação dos Transportadores de Carga do Rio de Janeiro.
Obra prioritária para o governo, o trem é orçado em R$ 33 bilhões -60% seriam financiados pelo BNDES. Estima-se que o custo real chegue a R$ 50 bilhões.


Detalhe do Projeto
http://img837.imageshack.us/img837/1711/1019844.gif
READ MORE - Trem-bala não reduzirá congestionamento em SP e Rio

Santo Amaro deve ter a primeira ciclovia integrada de São Paulo


Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, deve ser o primeiro bairro todo servido por uma malha de transporte cicloviário. A rede será integrada à futura ciclovia da marginal Pinheiros.
O projeto, ainda em fase de licitação, é grandioso. Prevê a execução de uma ciclovia de 38,21 km, em 44 vias. Hoje, segundo a Secretaria Municipal de Transportes, existem na cidade 45,5 km de ciclovias e ciclofaixas. Apenas a elaboração técnica do projeto vai custar R$ 145 mil.
A licitação prevê que a ciclovia tenha sinalização, bicicletários e integração com outros meios de transporte.
Segundo o subprefeito de Santo Amaro, Aílton Araújo Brandão, a ideia já vinha sendo discutida entre ONGs e a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente. As verbas para a implantação, ainda não definidas, virão da prefeitura.
"Esta vai ser a primeira ciclovia a ver a bicicleta como a gente quer que seja, um meio de transporte", afirma Leandro Valverdes, da Ciclocidade (Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo).
Ele diz que, embora restrita ao bairro, o projeto trata de um sistema completo, não de uma "ciclovia que vai do nada a lugar nenhum", mencionando a da Radial Leste.
A Secretaria de Transportes afirmou que tomou conhecimento do projeto na última semana e que ainda não há previsão de implantação.
"Passo sempre ali, é muito perigoso, o motorista de ônibus não respeita", disse Francisco dos Santos, 44, que pedala por duas vias que fazem parte do projeto.

READ MORE - Santo Amaro deve ter a primeira ciclovia integrada de São Paulo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960