São Paulo: Ônibus intermunicipais terão reajuste a partir de março

domingo, 14 de fevereiro de 2010


A partir da 0 hora do dia 6 de março, as tarifas das linhas intermunicipais de ônibus sofrerão reajuste de 4,22%. Os usuários têm até o dia 5 para comprar passagens com os valores atuais. Segundo a Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp), o aumento ficou abaixo dos 4,31% do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O reajuste vale para as linhas intermunicipais do Estado de São Paulo, exceto as que operam dentro das regiões metropolitanas. Segundo nota enviada pela Artesp, "os reajustes representam a recomposição dos custos operacionais das empresas que atuam no setor, e levam em conta as variações de preço de diversos itens (custos administrativos, autopeças, pneus etc.)". Segundo números da Artesp, os salários da categoria foram reajustados em 7%, as recapagens de pneus subiram 8,5%, pneus novos tiveram aumento de 4,09%, a carroceria dos ônibus suburbanos aumentou 9,42% e os chassis dos ônibus rodoviários, 4,55%.

A agência também afirma que mais de 228 veículos novos foram incluídos na frota do transporte intermunicipal do Estado de São Paulo no ano de 2009. Do total de acidentes ocorridos em 2009 na malha rodoviária estadual, em apenas 1% deles se envolveram ônibus do sistema intermunicipal do Estado de São Paulo.

Fonte: Estadão
READ MORE - São Paulo: Ônibus intermunicipais terão reajuste a partir de março

Em São Luis, passagens de ônibus estam mais caras


O que os usuários de coletivos temiam ocorreu. As passagens de ônibus ficaram mais caras neste sábado. O aumento é resultado da pressão dos empresários do setor, que alegam perdas após mais de seis anos sem reajuste nas tarifas. A população reclamou do aumento, mas diz que vai exigir as melhorias. Os novos valores ficam em R$ 1,30, R$ 1,60 e R$ 2,10, respectivamente nível 1, 2 e integrado, o que representa 23% de reajuste.

As mudanças estão previstas em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a SMTT e Sindicatos das Empresas de Transportes (SET) e mediado pelo Ministério Público (MP), vencido no último dia 4. “Precisávamos cumprir o acordo, por isso, esse aumento. Mas agora podemos cobrar as melhoras às empresas”, ressaltou o secretário- José Ribamar de Oliveira Filho.

As nove ameaças de greve sofridas ano passado, os problemas estruturais da frota, a reclamação constante dos usuários e a defasagem alegada pelo empresariado levou à formulação do TAC. O documento prevê notificação, multa e até perda da concessão de linhas, caso as empresas não cumpram clausulas. os itens. Segundo a SMTT, a partir de março os primeiro novos coletivos somarão à frota atual.

O prazo é que até 2010 seja concluída a inserção. A frota atual em São Luís corresponde 997 ônibus, distribuídos em 184 linhas.Para onde irão os novos ônibus e quanto caberá por linha ainda não se sabe. A SMTT irá sentar com o SET para definir a distribuição. Os bairros que norteiam a Avenida dos Africanos, São Cristóvão e adjacentes, além da zona rural estão entre os beneficiados pela nova frota. “São áreas onde se tem grande concentração populacional e onde há maior deficiência no transporte coletivo”, pontuou o secretário.

Os novos veículos terão três portas, elevadores e 47% serão equipados com adaptações para pessoas com deficiência.
Fonte: TV Canal 13
READ MORE - Em São Luis, passagens de ônibus estam mais caras

DF: Estudantes sofrem para conseguir o bilhete eletrônico que garante gratuidade no transporte coletivo.


Os postos de atendimento da empresa Fácil, responsável pela bilhetagem eletrônica do sistema de transportes do Distrito Federal, continuaram lotados durante o dia de ontem. O cadastramento e o recadastramento de usuários estavam disponíveis desde 18 de janeiro, mas como a inserção de créditos só foi liberada na última terça-feira, as cinco unidades — no Setor Comercial Sul, em Taguatinga Centro, na quadra central de Sobradinho, no Terminal Rodoviário Central do Gama e no Conic, no Setor de Diversões Sul — passaram a ser invadidas por uma multidão.

Segundo o governo e a empresa responsável pelo serviço, enquanto todos deixarem o cadastramento para a última hora, será impossível evitar as filas. “O volume de pessoas que poderia ter se recadastrado é grande. Se existissem 50 postos em Brasília hoje, haveria fila em todos eles”, afirmou o diretor do DFTrans, Paulo Munhoz. Para acelerar o atendimento e reduzir a procura, o procedimento também pode ser feito no site da empresa, www.facildf.com.br. Para diminuir o sofrimento dos estudantes, a empresa fará plantão especial durante o carnaval. Todas as agências funcionarão em horário normal, de 8h às 17h, na segunda e na quarta-feira de cinzas. Não haverá atendimento durante o fim de semana e na terça-feira.

O movimento era intenso na entrada do posto localizado no Setor Comercial Sul. Adolescentes aguardavam sentados debaixo da marquise durante horas. O corredor de entrada do prédio que abriga a agência estava tomado por duas filas sinuosas, uma para a recarga e a outra para cadastro e recadastro de alunos. Em vão, os funcionários tentavam organizar a balbúrdia. Os documentos exigidos no processo serviam de abano para aliviar o calor. A estudante universitária Beatriz Larchê, 19 anos, chegou ao Setor Comercial Sul por volta de 13h30. Duas horas depois, ainda havia 100 pessoas em sua frente. “Todos vêm no mesmo dia porque agora é de graça. Antes tínhamos que pagar um terço da passagem”, acredita.

Não era só a fila para abrir o processo ou atualizar os dados que assustava. A espera pela recarga também exigia grande dose de paciência. “Não é preciso entregar documentos, o processo é rápido. Essa fila deveria ser mais rápida”, protestava o estudante Audelino Ferreira, 18 anos. De acordo com Paulo Munhoz, a expectativa é de que, a partir de março, a recarga do cartão possa ser feita dentro dos ônibus, sistema aplicado para o vale-transporte e o cartão do cidadão. Antes disso, o DFTrans faz uma varredura no cadastro para descobrir e eliminar fraudes e irregularidades. A Secretaria de Educação passará a fornecer o relatório de controle de presença dos beneficiários diretamente ao órgão, sem que os alunos tenham que apresentar a comprovação mensalmente.

Na unidade do Conic, o tempo de espera era menor. Havia espaço para que todos aguardassem sentados. Keila Brito, 17 anos, foi ao local para retirar seu primeiro cartão de passe livre. Esperou cerca de 15 minutos para ser atendida. “Vou testar agora se os créditos entraram mesmo”, afirmou. Vitor Ximenes não teve a mesma sorte. Esperou por cerca de uma hora para receber o benefício. “Quando fui fazer o pedido, no Setor Comercial Sul, demorou mais de duas horas”, contou. No meio da tarde, o painel da agência do Conic mostrava que 622 estudantes tinham sido atendidos. Até a última quarta-feira, cerca de 45 mil estudantes fizeram o cadastro e o recadastro. Desse total, 75% das inscrições e atualizações foram pela internet.
Fonte: Correio Brasiliense
READ MORE - DF: Estudantes sofrem para conseguir o bilhete eletrônico que garante gratuidade no transporte coletivo.

Belo Horizonte avalia implantar monotrilho

Imagem Monotrilho japonês

Nem prolongamento do metrô, nem Veículo Leve sobre Trilho (VLT). A estação Vilarinho, na Região de Venda Nova, em Belo Horizonte, deverá ser ligada ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na região metropolitana, por uma linha de monotrilho. Meio de transporte ferroviário sobre trilhos suspensos por pilares, a aproximadamente 15 metros de altura, o monotrilho é muito comum nos Estados Unidos, Japão, China e alguns países europeus, como a Alemanha. Mas o ramal que terá de 22 a 30 quilômetros de extensão, passando pela Cidade Administrativa, no Bairro Serra Verde, poderá ser o único a funcionar no Brasil. O pioneiro, de seis quilômetros, foi criado em Poços de Caldas, no Sul de Minas, mas está desativado.

A construção do ramal está sendo analisada pelo consórcio espanhol Iberinsa-Spim, que assinou um convênio com o governador Aécio Neves (PSDB) em 20 de janeiro e vai investir 310 mil euros cerca de R$ 1 milhão no estudo de viabilidade social, econômica e ambiental do planejamento do Vetor Norte da capital, onde foi erguida a Cidade Administrativa, nova sede do governo. De acordo com o secretário de estado de Assuntos Internacionais, Luiz Antônio Athayde, tudo indica que o monotrilho seja a opção mais viável para o trecho, por causa do custo, bem menor do que o de metrô e VLT. Achamos que o metrô, de superfície ou subterrâneo, é uma opção muito cara. Portanto, faz mais sentido, e de fato começou a ser feito um estudo nessa linha, a criação do monotrilho.”

Previsto para ser concluído em nove meses, contados a partir da data em que o convênio foi assinado, o estudo dos espanhóis vai apontar qual o recurso financeiro necessário para a construção do trecho ferroviário, o traçado e onde ficarão as plataformas de embarque e desembarque, que serão no memo nível do trilho. De acordo com Paulo Tarso Resende, especialista em transporte e coordenador do Departamento de Infraestrutura e Logística da Fundação Dom Cabral, um quilômetro de monotrilho custa pouco mais de R$ 8 milhões, quatro vezes menos que o mesmo trecho de VLT, orçado em R$ 33 milhões. Já um quilômetro de metrô sai por R$ 99 milhões.

“O monotrilho nada mais é do que uma adaptação do VLT, porém, menos complexo, pois exige uma estrutura menor, semelhante ao antigo sistema de bondes, o que barateia seu custo. Ele tem uma cara futurista, com jeitão de trem bala, mas é apenas a evolução do antigo sistema de trens urbanos”, explicou o especialista. Ele ressalta que, por ser suspenso, os pilares podem ser colocados em rodovias e largas avenidas, com o trilho seguindo o mesmo traçado do sistema de transporte rodoviário, sem causar problemas ao trânsito. “Isso é um indicativo de que o ramal para Confins poderá passar pela MG-010, sem a necessidade de desapropriações, baixando ainda mais o custo.”

Resende afirma que o monotrilho tem a mesma capacidade do metrô para transportar passageiros: 250 pessoas por carro da composição. A velocidade média, no entanto, é de 45 quilômetros por hora, enquanto o metrô anda a 65 quilômetros por hora. “Os Estados Unidos usam muito o monorial, como em Las Vegas e Miami, assim como na Ásia e Europa. Está sendo uma escolha acertada criarem o ramal para atender essa parte da Região Metropolitana de Belo Horizonte”, disse Resende.Enquanto o monotrilho não sai, sete linhas de ônibus criadas para atender as 20 mil pessoas – sendo 16 mil servidores – que passarão diariamente pela Cidade Administrativa começam a rodar da capital para a nova sede do governo no dia 18.
Fonte: Revista Ferroviária
READ MORE - Belo Horizonte avalia implantar monotrilho

Blumenau: Siga recadastra alunos pela internet


O Consórcio Siga estima que 25 mil estudantes façam o recadastramento, via internet, do cartão Siga Escolar, ferramenta usada pelos alunos que usam o transporte coletivo na cidade.

Ontem, a empresa reforçou o pedido às instituições de ensino que ainda não enviaram os dados cadastrais dos estudantes, para que o façam o quanto antes, pois as informações são necessárias no processo de atualização.

Desde quarta-feira, quando o recadastramento começou, pais e alunos enfrentam problemas na execução do procedimento, exclusivo via internet.

No primeiro dia, um congestionamento no site do consórcio impossibilitou o acesso e poucos estudantes conseguiram fazer o processo.Ontem, o acesso foi mais tranquilo, mas apenas duas instituições haviam enviado os dados dos alunos.

No final da tarde, outra escola particular e todas as unidades da rede municipal de ensino também mandaram as informações. O pedido para o envio de informações foi feito no final de 2009, segundo a direção da empresa.

O estudante deve aguardar que a escola ou universidade envie os dados para poder fazer a atualização. De acordo com o consórcio, não há motivo de preocupação.

O atual cartão continuará disponível para compra e utilização de créditos de transporte até o dia 31 de março. No site, a empresa afirma que o prazo ainda poderá ser prorrogado.
Fonte: Jornal de Santa Catarina
READ MORE - Blumenau: Siga recadastra alunos pela internet

Ônibus vão usar bilhetagem eletrônica a partir de julho em Teresina


A partir de julho, o sistema de transporte coletivo de Teresina, que inclui os ônibus e vans urbanas, deverá estar totalmente adaptado à bilhetagem eletrônica, acarretando no fim do vale-transporte, utilizado para pagar a passagem no valor inteiro (R$ 1,75). O sistema terá um cartão que utilizará créditos, semelhante ao já usado pelos estudantes.

Segundo o diretor de Transportes da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), Sebastião Nunes Ferraz, o Plano Diretor de Transportes implantado pela Prefeitura de Teresina deu um prazo de seis meses para as empresas de ônibus e vans da capital adaptarem os veículos ao novo sistema. “O prazo começou a contar em janeiro e, portanto, já se passaram 45 dias. Acredito que, em julho, todos estarão prontos”, prevê o diretor.

O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina (Setut), Herbert Miúra, diz que a tecnologia a ser utilizada nos ônibus será do exterior, com equipamentos de última ponta. “Temos que fazer mudança no sistema e isso não acontecerá de uma hora para outra.

Nossa previsão é de estar com tudo pronto em julho, mas provavelmente vamos continuar aceitando os valestransportes concomitantemente com os cartões, até dezembro, quando aí, sim, o vale-transporte deixará de existir”, ressalta o empresário.
Ferraz conta que as empresas que fornecem hoje vale-transporte para os seus uncionários agora comprarão cartões eletrônicos com a mesma quantidade de créditos isponíveis no vale, e os repassarão aos empregados.

O custo do cartão já está embutido no valor da venda, mas será muito pequeno. “Além disso, o cartão terá tempo de uso ilimitado”, explica. Segundo a Strans, a maioria as capitais do Brasil já adotou o sistema e foi bem aceito pela população. Em eresina, mais de 500 ônibus e vans transportam mais de 150 mil passageiros por dia, endo que 35%.

Fonte: TV canal 13
READ MORE - Ônibus vão usar bilhetagem eletrônica a partir de julho em Teresina

Governo federal coloca VLP no orçamento da União

O Governo Federal vai direcionar, por meio do Ministério de Transportes, a verba de R$ 460 milhões pleiteada pela Prefeitura de Campinas para as obras de infraestrutura e instalação na cidade do Veículo Leve sob Pneus. Os recursos já constam no orçamento de 2010 da União, segundo o Ministério. O CAPITAL apurou que Secretaria de Transportes, sob o comando do petista Gerson Bittencourt, já prepara, junto com o prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT), o anúncio da verba, que deve sair até o mês de março. A construção do VLP é uma das 12 prioridades citadas pelo prefeito no plano plurianual do município.
A reportagem apurou que a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) já foi comunicada pelo Ministério do Transportes sobre a liberação da verba, mas a assessoria de imprensa disse apenas ter conhecimento de que o dinheiro foi reservado no orçamento. O anúncio da verba e do início da obra também é discutido internamente no PT. Segundo o presidente local da legenda, Ari Fernandes, o partido pretende discutir com o secretário se ele pretende continuar a frente da pasta e coordenar toda a implantação do projeto na cidade ou se vai deixar a pasta e candidatar-se a deputado estadual. “Ainda não me reuni com o secretário, por falta de agenda, mas vamos discutir se é importante ele estar a frente da implantação do VLP ou se deve sair candidato a deputado, já que esta obra é um marco para a cidade e dará grande visibilidade para a pasta”, considera. Com este destaque, Bittencourt seria o favorito do partido para a disputa da prefeitura, em 2012.
O VLP é um sistema de transporte que opera em linhas de superfície, com velocidade de até 70 quilômetros por hora e pode transportar até 16 mil passageiros por hora. Os veículos possuem comprimento que varia de 25 a 46 metros e largura de 2,20 metros e os vagões tem capacidade para transportar aproximadamente 450 passageiros. O raio necessário para curvas varia de 10 a 12 metros. Inicialmente, o projeto previa a construção de dois corredores, ligando as regiões do Ouro Verde e Campo Grande até a Rodoviária e Terminal Central e um ramal do Terminal Ouro Verde até o Aeroporto de Viracopos, totalizando cerca de 30 quilômetros de extensão, cujo orçamento chegaria a mais de R$ 1 bilhão.
Com a dificuldade em levantar todo o montante com o governo e a iniciativa privada, a prefeitura resolveu encurtar o projeto, deixando somente a região do Ouro Verde para ser atendida pelo novo modal e optando por colocar ônibus biarticulados no corredor do Campo Grande. Com isso, as obras poderão ser integralmente financiadas com a verba de R$ 460 milhões que o governo federal vai liberar. A extensão total do VLP caiu para 17,8 quilômetros. O novo projeto tem previsão de ser concluído até 2014.
A estrutura do VLP deve utilizar o antigo leito do Veículo Leve sob Trilhos (VLT), que vai passar a ser um corredor exclusivo, interligando os futuros corredores do Campo Grande e Ouro Verde até a área central, por meio do VLP e de ônibus articulados e biarticulados, que vai contar também com ciclovias, acesso para automóveis, entre outras estruturas.A nova modalidade é inédita no Brasil e tem importância estratégica para a cidade. No ano passado, Bittencourt esteve com uma comitiva da Emdec e da prefeitura na Itália, França e Holanda para conhecer modelos e experiências de sucesso do VLP em cidades destes países. O sistema será licitado para a iniciativa privada, que ficará responsável pela implantação e operação do VLP.
Bittencourt considera que o novo modal seja um estímulo para que a cidade de Campinas seja sede da transferência de tecnologia no setor ferroviário, que deve ser implantada com a construção do Trem de Alta Velocidade.“Quando o presidente Lula pediu ao prefeito fazer um projeto de veículo de mega capacidade de transporte público e optamos pelo VLP, naquele momento já foi discutido entre o prefeito e o presidente que isso seria um elemento importante de apropriação e transferência de tecnologia para a cidade. Por isso Campinas e região vão ter toda condição, por sua logística e empresas e instituições instaladas, de receber a transferência de tecnologia, o que seria extraordinário para o desenvolvimento da RMC”, disse Bittencourt.
Fonte: Blog A Corte
READ MORE - Governo federal coloca VLP no orçamento da União

O motorista de transporte coletivo urbano de Catanduva não poderá exercer a função de cobrador.


O motorista de transporte coletivo urbano de Catanduva não poderá exercer a função de cobrador. A medida foi efetivada depois da sanção da Lei nº 4.904 feita pelo prefeito Afonso Macchione Neto. A determinação é de autoria do vereador Marcos Crippa (PTB) e pretende proibir esses profissionais de desempenharem as atividades inerentes à função de cobrador.

A norma estabelece que são funções exclusivas dos cobradores de ônibus a cobrança das passagens aos usuários, bem como a orientação da utilização pelos usuários dos cartões magnéticos com créditos de passagens. E também o auxílio da operacionalização do sistema de ajuda técnica para a pessoa com deficiência física ou com mobilidade reduzida.

Essas funções estão previstas na Classificação Brasileira de Operações oferece descrição detalhada das funções tanto de motorista de ônibus quanto de cobrador de transporte coletivo. Ao elaborar a determinação, Crippa citou que outro aspecto de relevância ligado à manutenção dos empregos dos cobradores está totalmente direcionado ao problema de segurança dos usuários, pois os motoristas desviam suas atenções da condução dos veículos coletivos ao exercerem paralelamente as funções de cobradores, violando assim o artigo 144, caput, da Carta Magna Federal de 1988, onde diz: ‘a segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio’.

Crippa disse que o ‘desvio de função’ apresenta risco e é inviável o exercício de ambas as atividades pela mesma pessoa, dentro do mesmo período de tempo. “O motorista precisa de concentração e não tem condições físicas nem psicológicas de realizar amplas funções, sem o auxílio de outro profissional, responsável pela cobrança dos usuários”, o autor da Lei.

A proibição prevista pela Lei Municipal poderá ser substituída por uma norma federal. Isso porque na Câmara dos Deputados tramita o Projeto de Lei 6648/09, de autoria do deputado Neilton Mulim (PR-RJ), que proíbe os motoristas de ônibus de exercer ao mesmo tempo a função de cobradores. Conforme o projeto, o acúmulo dessas duas funções é infração gravíssima, punida com multa e apreensão do veículo.

A proposta altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97). Porém, não será inclusa nas penas a exigência de pontuação na carteira de habilitação do condutor.

Fonte: O Regional
READ MORE - O motorista de transporte coletivo urbano de Catanduva não poderá exercer a função de cobrador.

Em Blumenau, sindicatos e governo discutem aumento de tarifa


O aumento da tarifa do transporte coletivo foi motivo de discussão ontem entre representantes de trabalhadores, do poder público municipal e do Legislativo. De manhã, líderes de sindicatos e entidades sociais reuniram-se com o prefeito João Paulo Kleinübing (DEM).

De acordo com Leandro Spezia, presidente do Sindicato dos Bancários de Blumenau e coordenador do Fórum dos Movimentos Sociais de Blumenau, a intenção era mostrar ao governo a opinião das entidades, que consideram o reajuste abusivo. Segundo Spezia, foram apresentados parcialmente os cálculos que deram base ao aumento. O prefeito disse aceitar discutir o aumento com base em números e sinalizou a possibilidade de nova reunião na semana que vem.

À tarde, tanto representantes dos sindicatos quanto o presidente do Seterb, Rudolf Clebsch, foram à Câmara de Vereadores falar sobre o aumento. Clebsch apresentou dados da planilha do transporte coletivo, sustentando o reajuste. Os principais motivos foram a redução no número de usuários e o aumento dos gastos com pessoal no sistema de transporte coletivo.
Fonte: Jornal de Santa Catarina
READ MORE - Em Blumenau, sindicatos e governo discutem aumento de tarifa

Campinas: 55 veículos disponíveis no sistema Corujão


Para coibir depredações da frota pública e também para ampliar ainda mais a área de segurança voltada aos usuários do transporte na cidade de Campinas, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), em conjunto com a Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), anunciou ter resolvido definir que os 55 veículos que estarão disponíveis no sistema Corujão, nas linhas especiais e mesmo na frota reserva no Terminal Central, durante os dias de folia, vão operar com câmeras internas.

A ideia da proposta é que as câmeras possam para acompanhar toda a operação, inclusive a movimentação dentro dos veículos. A medida visa evitar incidentes e prejuízos ao sistema. Para um evento de carnaval de grandes dimensões, uma operação de trânsito e transporte proporcional ao tamanho da festa. Serão 92 agentes da Mobilidade Urbana, envolvidos na operação de Carnaval da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), nos cinco dias de folia na cidade.

Para quem resolver se dirigir ao carnaval de carro, a opção de estacionamento será uma área delimitada ao longo da Avenida Magalhães Teixeira (trecho de 2 quilômetros), com capacidade para receber até 700 veículos.
Fonte: Panorama Brasil
READ MORE - Campinas: 55 veículos disponíveis no sistema Corujão

Alunos já podem encaminhar cartões para passe escolar ao ano letivo 2010

Os estudantes que utilizam o sistema de transporte coletivo em Rio Grande já podem encaminhar seus cartões de passe escolar para o ano letivo de 2010. As escolas são responsáveis pelo envio das listas contendo o nome dos estudantes para o devido cadastrodos novos alunos e a comercialização dos passes escolares daqueles que já se utilizam do serviço.
As escolas públicas municipais e estaduais deverão, em até dez dias antes do início do período letivo, apresentar a listagem completa dos alunos devidamente matriculados. Na documentação, deve constar obrigatoriamente o nome do aluno, o turno de estudo e a carga horária, conforme Termo de Ajustamento de Conduta celebrado junto ao Ministério Público do Estado.
Quanto aos alunos matriculados em instituições de Ensino Superior, estes deverão apresentar a confirmação de matrícula para o ano letivo 2010. Já os demais estabelecimentos de ensino deverão enviar as respectivas listas de alunos devidamente matriculados, constando obrigatoriamente nome, turno e carga horária. Os cartões de passe escolar do ano letivo 2009 serão recadastrados gratuitamente, mediante comparecimento do aluno devidamente matriculado na sede da empresa Mais Rio Grande, na rua Marechal Floriano Peixoto, 521, no Centro, portando documento de identidade e o respectivo cartão magnético.
Os alunos que não estavam cadastrados no ano letivo de 2009, ou que tenham extraviado o seu cartão de passe escolar, deverão apresentar uma fotografia 3x4, documento de identidade e pagamento da taxa de emissão do cartão de passe escolar no valor de R$ 5. O recadastramento dos cartões será realizado de forma instantânea, e os novos cartões serão emitidos em até uma semana após a confirmação do pedido.
O recadastramento dos cartões ou emissão de novos está sendo feito desde a última sexta-feira. No entanto, a medida está condicionada à apresentação das listas de alunos matriculados pelo estabelecimento de ensino, ou da confirmação de matricula pelo aluno, no caso das instituições de Ensino Superior.
READ MORE - Alunos já podem encaminhar cartões para passe escolar ao ano letivo 2010

Estudantes precisam recarregar cartões em Veranópolis

Os estudantes de Veranópolis que utilizam o cartão de estudante no transporte coletivo, devem comparecer no ecritório da empresa Sovel, operadora do sistema, para poderem recarregar os créditos dos cartões de embarque nos ônibus da cidade.
para os alunos que utilizam o transporte escolar no munícipio, basta comparecer nos locais e horários tradicionais.
Os estudantes do turno da noite, que moram nas comunidades de lajeadinho, monte bérico e vila azul, devem providenciar os cartões do transporte coletivo para o retorno após as aulas. o endereço da empresa Sovel fica na rua 24 de maio, 783. as aulas recomeçam na próxima quinta-feira dia 18.
READ MORE - Estudantes precisam recarregar cartões em Veranópolis

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960