Secretário de Trânsito sugere que moradores de Niterói troquem os carros pelas barcas

terça-feira, 11 de maio de 2010


O secretário de Trânsito de Niterói, Sérgio Marcolini, sugeriu que os moradores de Niterói e São Gonçalo troquem o transporte individual em seus carros pelas barcas que ligam o município ao Rio. Segundo o secretário, essa é a única alternativa para amenizar o caos provocado pela saturação da Ponte Rio-Niterói, que tem capacidade para 50 mil veículos por dia e hoje recebe 145 mil carros diariamente. um engavetamento com sete veículos na ponte, na manhã desta segunda-feira, engarrafou todas as vias de acesso e teve reflexos até são gonçalo.
- Não existe sistema de transporte que funcione baseado no uso do automóvel. A maior parte dos carros que passa pela Ponte Rio-Niterói tem apenas um passageiro. Nenhuma cidade suporta o uso intensivo dos automóveis. As soluções são complicadas porque não há alternativas viárias para fugir da Ponte, a não ser por Magé, mas ninguém passa por lá. A melhor opção é deixar o carro em casa e atravessar a Baía de Guanabara de barca - sugeriu o secretário.
Marcolini admitiu que o plano de contingência contra acidentes de Niterói está defasado:
- Qualquer acidente na Ponte causa impacto muito grande em Niterói, porque engarrafa também as vias de acesso - diz Marcolini. Barcas tiveram aumento de até 31% no número de usuários
Durante toda a manhã desta segunda-feira, as linhas das barcas Niterói-Praça XV e Charitas-Praça XV tiveram um aumento no fluxo de usuários de 18% e 31%, respectivamente, com três viagens extras realizadas em cada trajeto. A informação foi divulgada no início da noite pela concessionárias Barcas S/A. Entre 17h e 19h30m, o número de passageiros no trajeto Praça XV-Niterói chegou a 42.506, e a 3.600 no trajeto Praça XV-Charitas.
Por contrato, Barcas S/A tem que disponibilizar 10 mil lugares por hora nos horários de rush. Contua, a concessionária informa que proporciona viagens extras, em logística especial, aumentando a capacidade em até 30%, ou seja, chegando a 13 mil passageiros por hora.
A empresa também informou que está realizando melhorias como a instalação de climatizadores modelo turbo nos salões de embarque e de um sistema de som mais potente para a informação ao usuário. Especialista sugere plano de contingência
O especialista em transporte público Márcio Barbosa, professor da área de logística e transporte da Fundação Getulio Vargas (FGV) defendeu a criação urgente do plano de contigência para o sistema de transportes do Grande Rio. Barbosa disse que é preocupante a escalada progressiva com que os acidentes e interrupções no sistema viário interferem no tempo de viagem e de deslocamento das pessoas.
- O poder público, mais do que nunca, precisa estar a postos para agir não apenas em um plano de contingência, mas em uma verdadeira e efetiva "brigada", treinada e com todos os instrumentos necessários para atuar de maneira coordenada, no sentido metropolitano - sugeriu.
Ainda segundo o professor, as concessionárias Ponte S.A., responsável pela ponte Rio-Niterói, e Autopista Fluminense, que ganhou a concessão da BR-101 Norte, não conseguem individualmente administrar e ter eficácia nas suas medidas se não houver uma absoluta sintonia com as autoridades municipais em Niterói.
- Cada dia mais se agravam os problemas de congestionamento e a solução está inevitavelmente na criação de sistemas de transporte coletivo que possam ter prioridade na circulação viária. A solução metropolitana é a chave para se reduzir esses impactos e amenizar a deficiência da infraestrutura viária. O exemplo do corredor da Alameda São Boaventura, longe de ser o modelo ideal, em função de alguns princípios que não foram adotados já demonstra a redução do tempo de viagem para os usuários do transporte coletivo - exemplificou Barbosa. Secretário de Trânsito sugere que moradores de Niterói troquem os carros pelas barcas.

Fonte: O Globo"

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960