Prefeitura de BH investirá R$ 1,6 bi em “trânsito rápido” a partir de 2010

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009


Com o objetivo de dotar a cidade da infraestrutura adequada para sediar a Copa do Mundo de 2014, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) encaminhou, em 2 de dezembro, para a Câmara Municipal, projeto de lei que autoriza o Executivo a contratar um financiamento de até R$ 1,6 bilhão para investimentos a partir de 2010, principalmente na área de mobilidade urbana.

As intervenções, que devem ser feitas em, pelo menos, oito grandes vias de trânsito da capital, preveem a implantação em BH dos chamados BRTs (Bus Rapid Transit, ou corredores rápidos de trânsito). Conforme o prefeito Marcio Lacerda havia antecipado no final de novembro ao "Hoje em Dia", os recursos provenientes dessa operação de crédito poderão ser utilizados para custear também despesas de desapropriação e reassentamento. Sem novos aportes, essas intervenções não poderão ser feitas e inviabilizarão os projetos originalmente programados pela PBH para mobilidade urbana.

Segundo o próprio prefeito, os custos com desapropriações cresceram até três vezes acima das estimativas do Governo.Na mensagem encaminhada ao Legislativo, Lacerda justifica que precisa dotar o município das condições de infraestrutura "compatíveis com seu estágio de desenvolvimento" e com a "condição de cidade sede da Copa". A operação prevê a implantação, ampliação, modernização e adequação da infraestrutura viária e do sistema de transporte público coletivo urbano. Estão inseridas na proposta as Avenidas Antônio Carlos, Pedro I, Pedro II e Carlos Luz (Catalão).

Neste conjunto de intervenções, também é priorizada a expansão do Centro de Controle Operacional da BHTRANS. Sob o aspecto da circulação geral da cidade, foram priorizados os BRT nas Avenidas Cristiano Machado e Tereza Cristina e na Via 220 (Regional Barreiro), além da implantação da Via 710, com corredor exclusivo de ônibus (Regional Leste).

Esta última intervenção é destacada como importante ligação transversal, que permitirá a interligação entre diversas regiões da cidade, contribuindo para retirar grande parte de veículos de passagem da área central.Compatibilizando as demandas da Copa com as já existentes na cidade, planeja-se também viabilizar a implantação do Hospital Metropolitano, do terminal de transporte e do Centro de Convenções, todos os investimentos já previstos no planejamento municipal.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960