Grande Recife implementa novo Sistema de Bilhetagem Eletrônica

sexta-feira, 7 de novembro de 2008


Montreal Informática. Esse é o nome da empresa vencedora do processo de licitação para a implantação do novo modelo de Bilhetagem Eletrônica no Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STPP/RMR). A empresa carioca foi oficializada como vencedora da concorrência no último mês de setembro, após o cumprimento de todas as etapas da licitação, incluíndo a entrega e aprovação das amostras de softwares que serão utilizados. A modernização no sistema de bilhetagem contratado pelo Grande Recife representa um avanço inédito no setor. Diferentemente do que acontece em outras cidades (do Brasil e do exterior) – onde há soluções extremamente modernas sendo utilizadas de forma individualizada - o sistema que será implantado na RMR agregará, de forma totalmente integrada, várias soluções tecnológicas. As vantagens da nova bilhetagem serão percebidas de imediato pelos usuários. Um dos destaques será o carregamento embarcado. Ou seja, a inserção de créditos no cartão eletrônico (no Vale-transporte ou Passe Fácil) será feita no próprio ônibus, após pagamento de boleto bancário, que poderá ser gerado, por exemplo, através a internet. Com isso, os usuários não precisarão mais enfrentar filas. No caso do VT eletrônico o pagamento dos créditos continuará sendo feito pelas empresas.
TECNOLOGIA
Outra novidade será a adoção de cartões que utilizam a tecnologia contact less, que dispensa a inserção do cartão no validador. Mais barato, seguro e durável do que os modelos com chip (utilizados atualmente), os novos cartões serão distribuídos sem custo para os usuários. A entrega gratuita da primeira via (que atualmente custa R$ 11,50) será possível graças à redução considerável no custo do material, negociado pelo Grande Recife. A ampliação dos benefícios da bilhetagem eletrônica para um número maior de usuários será possível graças à criação de novas modalidades de cartões. Haverá peças específicas para idosos, pessoas com deficiência, crianças menores de seis anos e usuários eventuais.No caso dos beneficiários de gratuidade, o uso do cartão eletrônico representa o fim de uma das principais queixas deste público: as dificuldades geradas pela limitação do espaço destinado à gratuidade. Com o cartão na mão, idosos e pessoas com deficiência poderão decidir se querem permanecer na área prioritária ou se optam por passar pela catraca, sem a necessidade de pagamento de tarifa, já que a nova tecnologia registra o caráter gratuito deste tipo de utilização. Já as crianças menores de seis anos (que não têm direito ao Passe Fácil), poderão passar pela catraca, sem nenhum ônus, pondo fim a prática de ter pular ou passar por baixo do equipamento. Já os usuários eventuais, como turistas, ou pessoas que utilizam o STPP, mas não têm emprego formal e por isso não possuem o Vale-transporte Eletrônico poderão utilizar a versão pré-paga do cartão. A rotina será a mesma utilizada na telefonia, onde o usuário compra um cartão com uma determinada quantidade de créditos e os utiliza da forma que lhe convém. A idéia do Grande Recife é disponibilizar a venda deste tipo de cartão em pontos comerciais diversos, espalhados em toda a RMR. Para o presidente do Grande Recife, Dilson Peixoto, o avanço tecnológico da nova bilhetagem eletrônica está atrelado à necessidade de mais eficiência ao sistema. “Com o novo modelo de bilhetagem, o Grande Recife dá início a um processo de integração inédito. As vantagens para os usuários serão imediatas”, disse o presidente. Para o diretor de Tecnologia da Informação do Grande Recife, Giovanni Pellinca – que esteve à frente de todo o processo de definição de modelo e da licitação – a chegada do novo sistema representa um avanço que deve ser comemorado com orgulho por todos que fazem parte do STPP/RMR. “Trabalhamos muito e o resultado foi um sistema moderno e confiável”, destacou Dilson Peixoto. Atualmente, entre bilhetes eletrônicos (vale transporte) e Passe Fácil, existem cerca de 560 mil cartões em circulação no STPP/RMR.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960